Defenestrando Pit-Fighter (1990)

Assista ao grande clássico Pit-Fighter sendo defenestrado neste vídeo bastante descontraído e informativo que estamos adicionando aqui para você conferir no domingão.

Este vídeo do jogo de luta do fliperama dos anos 90 foi feito pelo canal Defenestrando Jogos e traz, além das imagens do antigo game, bastante informações e curiosidades sobre o mesmo. Nós usamos estes dados para montar esta publicação, diga-se de passagem.

Pit-Fighter é um jogo de luta desenvolvido e lançado pela Atari originalmente em agosto de 1990, para os arcades. Inovador, o Pit-Fighter chamava muita atenção nos fliperamas, especialmente por causa do tamanho da máquina, feito para abrigar três jogadores ao mesmo tempo; seu tema, inspirado em filmes de pancadaria dos anos 80; e o uso de gráficos digitalizados como sprites, algo nunca visto em games do gênero até então, antecedendo em dois anos o Mortal Kombat nesta característica.

Embora pareça que existem muitas críticas negativas a respeito do Pit-Fighter atualmente, a verdade é que ele reinou nos fliperamas que eu frequentava até a chegada do Street Fighter II: The World Warrior. Não me lembro da galera falando mal nesta época, mas sim muitos colegas e amigos comentando por causa dos motivos citados acima. Eu não cheguei a jogar muito este clássico, mas lembro que ele era maneiro até de assistir.

O sucesso do Pit-Fighter foi suficiente para lhe garantir uma enorme quantidade de ports para vários outros sistemas. O game ganhou versões para Atari 7800 (protótipo), MegaDrive/Genesis, Master System, Game Boy, Atari Lynx, Super Nintendo, Amstrad, Atari ST, Commodore Amiga, Commodore C64, MS-DOS e Sinclair ZX Spectrum. Ele também saiu em formas de compilações ou junto com outros games para outras plataformas, como o Commodore Amiga (1992, Pit Fighter/Super Space Invaders); Windows (17 de fevereiro de 2006, Midway Arcade Treasures Deluxe Edition), Mega Drive (1995, Telstar Double Value Games: Pit-Fighter / Wrestle War), PlayStation 2 (2004, Midway Arcade Treasures 2); Xbox (11 de outubro de 2004; Midway Arcade Treasures 2), GameCube (14 de outubro de 2004; Midway Arcade Treasures 2); Xbox 360 (6 de Novembro de 2012, Midway Arcade Origins) e PlayStation 3 (6 de Novembro de 2012, Midway Arcade Origins).

Apesar disto, o Pit-Fighter não ganhou nenhuma sequência. Parece que estavam planejando uma para o Genesis (Mega Drive) com mais personagens jogáveis mas desistiram. Veja mais informações nas curiosidades.

Enredo

Em Pit-Fighter, três lutadores, cada um com suas próprias técnicas, vão participar de um campeonato de luta underground. Buzz, um ex-lutador de luta livre muito forte, Ty, um kickboxer muito ágil, e Kato, um faixa preta terceiro grau muito veloz, vão galgar seu caminho até o topo das lutas enfrentando e derrotando outros lutadores de rua até derrotar o campeão, o misterioso Masked Warrior.

Os oito adversários (não são jogáveis) e o nome dos atores que os interpretaram em parenteses, que os protagonistas vão ter que encarar são:

  • Executioner (John Aguire);
  • Southside Jim (James Thompson);
  • Angel (Angela Stellato);
  • C.C. Rider (Rich Vargas);
  • Mad Miles (Miles McGowan);
  • Heavy Metal (Kim Rhodes);
  • Chainman Eddie (Eddie Venancio);
  • Masked Warrior (Bill McAleenan).

Gameplay

Posso dizer que o Pit-Fighter é um jogo de luta competitivo com um pouco da jogabilidade beat ’em up, algo que também vi no Street Smart (SNK), Violence Fight (Taito) e no Mat Mania (Technōs). Os lutadores se movimentam em 8 direções, podem combinar variados golpes, arremessar objetos nos oponentes e usar armas. Só que, ao invés de enfrentar vários adversários por uma série de fases, em Pit-Fighter, até três lutadores enfrentam cooperativamente uma variedade de lutadores de rua em partidas mais ou menos justas (às vezes, vem dois contra um e a multidão interfere frequentemente).

Tem também um power-up chamado de power pill que deixa o cara verde, mais forte e mais resistente. A multidão, além de apunhalar os lutadores, vai empurrar de volta pra arena qualquer um que sair fora dela. Tem também um gordão barbudo que tenta dar uma porretada que, quando derrubado, dropa o porrete que pode ser usado pelo jogador.

A cada três lutas, uma fase de bônus chamada de Grudge Match aparece. Nestas lutas, o jogador tem que encarar um clone do seu personagem, se estiver jogando sozinho, ou os outros jogadores, se for no multiplayer. As Grudge Matches são vencidas quando o oponente é derrubado três vezes (ao contrário das lutas normais que terminam quando um dos lutadores perde toda a energia), mas o perdedor não é eliminado da partida, só não ganha a grana extra do vencedor.

A última luta é, invariavelmente, contra o Masked Warrior, uma entidade misteriosa que mais parece um sujeito que curte sadomasoquismo. Se for uma partida multiplayer, os jogadores vão se enfrentar antes de cair na porrada contra este tipo.

Pit-Fighter também conta com impressionante zoom na câmera lado a lado, embora um um pouco falho como experiência de jogo. Vale frisar que apenas na versão gabinete dedicado é que os três protagonistas podiam ser jogados simultaneamente.

Curiosidades

  • A edição 49 da EGM (de agosto de 1993) exibiu uma matéria de 2 páginas sobre a sequência que estavam planejando para o Pit-Fighter. A revista afirmou que o projeto estava 75% completo e seria lançado no último trimestre do ano para o Genesis. Kato, Buzz e Ty iriam retornar junto com três novos lutadores selecionáveis: Connor (campeão de karatê), Tanya (Roller Queen) e Chefe (Ex-guarda-costas). As imagens mostravam dois lutadores controlados pela CPU Helga (nível 1) e Jay-Jay (nível 2). De acordo com as imagens, parecia mais uma requentada no original, com gráficos aprimorados e novos lutadores;
  • O porte de Pit-Fighter para MS-DOS inexplicavelmente utiliza um algoritmo de redimensionamento de sprites que os estende apenas na vertical. Isso resulta em um aspecto de lutadores esquisitamente magros na tela;
  • O Pit-Fighter estava disponível tanto em gabinetes dedicados como em kits de conversão. As versões foram convertidas eram normalmente o jogo alojado em máquinas para dois jogadores, enquanto a máquina dedicada suportava até três jogadores. As versões dedicadas tinham monitores de 25 polegadas, mas, eventualmente, muitas dessas máquinas adaptadas para o Street Fighter II The World Warrior;
  • Pit-Fighter foi originalmente lançado como um jogo dedicado. 5.500 unidades foram produzidas nos EUA e 1000 na Irlanda para a distribuição europeia. O preço de venda foi de 2495 dólares em sua época de lançamento;
  • A versão kit de conversão foi lançada em março de 1991. 400 kits foram produzidos nos EUA e 155 na Irlanda. O preço de venda do kit foi de 995 dólares.

Deixe um comentário

eXTReMe Tracker
Copyright © 2001 - 2017 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.