Mensagens Recentes

Páginas: [1] 2 3 ... 10
1
Qualquer coisa! / Hi there
« Última Mensagem: por Sarahvony Online Junho 01, 2020, 01:47:33 am »
I found this article very interesting.
 
You may have seen on NBC news concerning the implantable RFID microchip that some people are getting put in their hand to make purchases, but did you know this microchip matches perfectly with prophecy in the Bible?
 
You may have heard of the legendary number "666" that people have been speculating for possibly thousands of years on what it actually means. This article shares something I haven't seen before, and I don't think there could be any better explanation for what it means to calculate 666. This is no hoax. Very fascinating stuff!
 
Article: co.voice-truth.com
2
Papo de Videogame / Re:Instalando e rodando mapas e mods de Quake em ports avançados
« Última Mensagem: por Facínora Online Maio 14, 2020, 08:03:23 am »
Muito útil. Tava querendo saber mesmo.
3
Projetos e mods para Doom / Re:Kriegsland II: Untergrund [v1.3 16/11/19]
« Última Mensagem: por Tyrant120 Online Maio 12, 2020, 09:43:52 pm »
Aproveitando o tópico, vou postar os dois vídeos que eu tenho com o Kriegsland II:


4
Papo de Videogame / Instalando e rodando mapas e mods de Quake em ports avançados
« Última Mensagem: por Tyrant120 Online Abril 23, 2020, 04:23:55 pm »
O primeiro Quake possui uma boa variedade de mapas e mods, jogá-los em ports avançados como Darkplaces e Quakespasm não é difícil, basta ter uma noção básica dos comandos do jogo, é mais prático do que parece.

Primeiramente certifique-se de que a pasta ID1 está na pasta do port. Caso não esteja, vá onde o Quake está instalado e copie a pasta ID1 para a pasta do port desejado. É nela que estão os arquivos principais do jogo (está para o Quake como o IWAD é para o Doom).

Instalaçao

Para instalar mapas individuais, basta extrair o ZIP do mapa e colocar na pasta "maps" que tem na pasta ID1 (caso essa pasta "maps" não esteja lá, crie uma). Normalmente os arquivos ZIP dos mapas contém um arquivo .bsp (o mapa em si) e um .txt ou read.me dando as informações do mapa.

No caso dos mods, é só colocar a pasta do mod na pasta do port.

Abrindo o mapa

Existem várias formas de rodar um mapa, vamos usar como exemplo um dos remakes do mapa 01 do Doom 2 pro Quake, o nome do arquivo é doom2_01.bsp, suponhamos que você tenha ele lá instalado no Quakespasm, então você pode fazer um dos seguintes procedimentos:

- Entre no jogo normalmente, abra o console e digite map doom2_01;

- Crie um arquivo .txt, digite quakespasm.exe +map doom2_01 e salve como um arquivo .bat;

- Crie um atalho do .exe do port, clique com o botão direito do mouse, vá em Propriedades, depois no campo Destino, logo depois do caminho do port, coloque +map doom2_01, depois salve (recomendo renomear e mudar o ícone do atalho, além de facilitar a identificação, dá um aspecto mais organizado aos seus atalhos)

É possível especificar o nível de dificuldade usando o parâmetro +skill no caso do esquema do .bat e do atalho junto com o número da dificuldade correspondente, onde 0 é easy, 1 é normal, 2 é hard e 3 é nightmare. Então voltando ao nosso exemplo, se eu quiser jogar no modo Nightmare, coloco +skill 3 depois do comando do mapa, ficando +map doom2_01 +skill 3. Caso o nível não seja especificado, o mapa abrirá na dificuldade Normal.

Rodando mods

É basicamente a mesma coisa dos mapas, mas colocando o nome da pasta do mod e usando o comando -game em vez de +map, então se eu quiser jogar o mod X-Men: Ravages of Apocalypse, coloco -game xmen. No Darkplaces é possível carregar mods na opção "Browse Mods", no menu de opções

Tem ainda vários launchers que tornam o processo de rodar mapas e mods mais fácil ainda, conforme eu for testando com o tempo eu atualizo o tópico.

E aproveitando o tópico, aqui vai dos vídeos meus de Quake, os dois são de remakes do mapa 01 do Doom 2 e o segundo mapa é o que eu usei no primeiro exemplo:



5
Papo de Videogame / Re:SST Band, a banda oficial da Sega
« Última Mensagem: por Facínora Online Fevereiro 09, 2020, 09:57:37 pm »
wow que legal
6
Papo de Videogame / SST Band, a banda oficial da Sega
« Última Mensagem: por Tyrant120 Online Fevereiro 09, 2020, 09:45:17 pm »
Sega Sound Team Band, ou SST Band como é mais conhecida, era uma banda formada em 1988 por músicos que trabalhavam no departamento de som da Sega, e que faziam versões instrumentais de BGMs dos principais jogos da empresa.

Um marco na trajetória da banda foi quando eles se apresentaram no Game Music Festival de 1990, evento voltado para trilhas sonoras de videogames. Esse evento também contou com a participação da Zuntata, a banda oficial da Taito. Vale lembrar que na época, além da Sega, várias outras empresas de games tinham suas bandas oficiais com a mesma proposta, como o Kukeiha Club da Konami e a Alpha Lyla, da Capcom.

A banda se desfez em 1993, mas em 2011 voltou com o nome de Blind Spot, e com uma formação diferente da original.

Aqui vai alguns vídeos da banda se apresentando:







NOTA: enquanto estava atrás de informação para o tópico, encontrei uma postagem do blog da TecToy mostrando bastante coisa sobre a banda, vale a pena conferir: http://blogtectoy.com.br/conheca-sst-band-banda-de-game-music-da-sega-dos-anos-90/
7
Papo de Videogame / Re:Qual(is) game(s) você está jogando agora?
« Última Mensagem: por Facínora Online Dezembro 07, 2019, 07:13:46 am »
Doom.
8
Papo de Videogame / Re:Quais consoles você tem/teve?
« Última Mensagem: por Facínora Online Dezembro 07, 2019, 07:13:16 am »
Atari 2600, Master System e Mega Drive da Tectoy. Tive também contato com o Telejogo, mas era da minha mãe.
9
Papo de Videogame / Re:O jogo da Super Máquina do NES
« Última Mensagem: por Facínora Online Dezembro 07, 2019, 07:12:01 am »
Belo tópico. O jogo parece bacana, só achei estranho o painel do KITT, pois acaba dando a impressão que vocÊ controla um carro gigante.
10
Papo de Videogame / O jogo da Super Máquina do NES
« Última Mensagem: por Tyrant120 Online Dezembro 06, 2019, 01:24:29 am »
Knight Rider é um jogo de corrida feito para o Nintendinho (NES) baseado na famosa série de TV dos anos 80 com o mesmo nome, conhecida aqui no Brasil como "A Super Máquina", onde Michael Knight (interpretado por David Hasselhoff) combatia o crime com a ajuda de seu carro altamente tecnológico controlado por uma inteligência artificial, o K.I.T.T. (a super máquina do título, que usava como modelo o carro Pontiac Trans Am).

A série obteve bastante sucesso na época em que foi exibida (1982 a 1986), gerando depois vários derivados, como filmes, séries (incluindo A Nova Super Máquina, de 2008) e jogos. Um deles é o jogo feito pela Pack-in-Video para o NES dois anos após o fim da série, em 1988 (no caso a versão japonesa, as versões americana e européia saíram em 1989 e 1990, respectivamente, sendo a americana publicada pela Acclaim).

O gameplay consiste basicamente em correr nas pistas de quinze cidades, começando por São Francisco e terminando em Los Angeles, podendo ser jogado em dois modos: o Mission Mode e o Drive Mode.

O Mission Mode é onde acontece o enredo do jogo (terroristas invadiram uma base militar americana cabe a Michael Knight e K.I.T.T. impedirem o plano correndo pelas estradas dos EUA) e no qual o jogador deve lidar com três tipos de veículos: os vermelhos (inimigos), os azuis (civis) e os amarelos (inimigos que dão power-ups ao serem destruídos). Sem contar os caminhões aliados com o logo das Indústrias Knight que também dropam power-ups e os chefes que aparecem no final de cada fase.

Já no Drive Mode, o jogador terá que chegar ao final do percurso apenas desviando dos carros azuis, sem as armas e os inimigos. Os carros amarelos ainda aparecem nesse modo, mas apenas para dropar os power-ups. Nesse modo o K.I.T.T. já possui todos os atributos no nível máximo.

Antes do jogador iniciar cada fase, aparecerá uma tela com o chefe de Michael Knight, Devon Miles, dando as instruções da missão. Logo após aparecerá outra tela com a Dra. Bonnie Barstow, mecânica-chefe das Indústrias Knight, mostrando os upgrades disponíveis para o K.I.T.T., como combustível, armadura e outros atributos (a cada fase o jogador recebe um ponto pra colocar em um desses atributos). Detalhe que no Drive Mode as telas com Devon e Bonnie ainda aparecem, mas apenas com o aviso "DRIVE MODE".

A dificuldade do jogo é consideravelmente alta, por isso K.I.T.T. conta com diversas habilidades, como o pulo e o uso de armas, que são a padrão (a única com munição infinita), o raio laser e os mísseis.

A parte gráfica aqui é extremamente caprichada. As animações são bem fluidas e o cenário de fundo se altera no decorrer da fase. O painel do K.I.T.T. é bem detalhado, com todas as informações da partida (velocidade, combustível, armadura, munição, entre outras coisas), e inclui a caixa de voz do K.I.T.T. presente na série.

Mais informações sobre o jogo aqui (em inglês): https://strategywiki.org/wiki/Knight_Rider_(NES)

Gameplay com as primeiras fases:

Páginas: [1] 2 3 ... 10