Doom rodando num cartucho de Nintendo 8-bit

Vídeo que mostra o Doom, em sua versão completa original (não é um port), rodando num cartucho de Nintendo 8-bit em um console não modificado, com uma qualidade gráfica bastante decente até. [Acesse a descrição completa]

Newsletter:

Visão geral

Este vídeo do canal TheRasteri mostra o Doom, em sua versão completa original (não é um port), rodando num cartucho de Nintendo 8-bit em um console não modificado, com uma qualidade gráfica bastante decente até.

Como o Doom precisa de 8 MB de RAM e um CPU 80386SX de 33MHz, enquanto o NES garante apenas 2 KB de RAM e seu CPU 6502 é só de 1,79 MHz, o sujeito teve que fazer um gato para esta proeza dar certo, o que basicamente consistiu em embutir um Raspberry Pi (um computador de placa única muito pequeno) no cartucho.

O vídeo está em inglês, mas, pelo que entendi, o autor combinou umas gambiarras: um esquema pra transformar um cartucho de NES 8-Bit em um console Raspberry Pi, uma técnica de emulação reversa e um controlador USB de alta velocidade para fazer a transferência de dados e garantir mais estabilidade e qualidade visual. Desta forma, o Doom é processado no Raspberry Pi, mas usa o circuito integrado no Nintendinho responsável pela geração de sinais de vídeo a partir de dados gráficos armazenados na memória, o Picture Processing Unit. Não se falou se o joystick do videogame serve para jogar o icônico jogo de tiro em primeira pessoa deste jeito.

Ao que parece, esse remendo deve funcionar em qualquer console NES 8-Bit, e o TheRasteri pretende publicar o projeto como uma espécie de guia de “como construir seu próprio cartucho de Doom“, o que será feito depois que ele melhorar a qualidade gráfica ainda mais e corrigir alguns bugs.

O camarada diz que algumas pessoas podem considerar este hack que fez como uma trapaça, mas também alega que o que foi feito não é muito diferente do que a Nintendo fez com o chip Super FX no cartucho do Star Fox do SNES, ou a Sega, com o Virtua Processor (SVP) na fita do Virtua Racing do Mega Drive.

Diria que houve um pouco de sensacionalismo na forma em que ele divulgou seu feito, mas não acho nada num nível condenável e de forma alguma deixa de ser algo muito engenhoso. E você? Qual a sua opinião?

Veja também


Vídeo adicionado em: 19 de junho de 2019

Categorias: Vídeos

Tags: , ,

Autor/canal: TheRasteri

Acessado: 91 vezes.

Duração: 01:18

Deixe um comentário