Guilherme Freire – Dragon Ball e a desvirilização dos desenhos infantis

Guilherme Freire traz sua opinião a respeito de Dragon Ball, especificamente sobre as séries anime, e a desvirilização dos desenhos animados infantis que veio progressivamente se instalando no ocidente nas últimas décadas. [Acesse a descrição completa]

Newsletter:

Descrição completa

Temos aqui uma live onde o professor de filosofia Guilherme Freire traz sua opinião a respeito de Dragon Ball, especificamente sobre as séries anime, e a desvirilização dos desenhos animados infantis que veio progressivamente se instalando no ocidente nas últimas décadas.

O vídeo foi exibido ao vivo em 14 de março de 2024, mais ou menos uma semana depois que recebemos a triste notícia do falecimento do grande Akira Toriyama, o criador desta e de outras obras importantíssimas, inclusive no tocante aos games. Em mais de 1 hora de duração, Freire faz algumas considerações que comparam animes como Dragon Ball e Cavaleiros do Zodíaco com desenhos menos velhos, aqueles com a vibe de Bob Esponja e Vaca e o Frango.

Os comentários são interessantes, analisando alguns símbolos de Dragon Ball e identificando os elementos que não são edificantes em outras produções, mas tem alguns meio superficiais ou imprecisos, como dizer que o Tenshinhan nunca foi popular por supostamente ser vaidoso, sendo que ele nunca parou de treinar e tinha uma vida provavelmente asceta (inclusive, no auge do Dragon Ball Z, a galera sempre lembrava dele por ser o humano mais poderoso do bagulho). Outra coisa que achei paia foi falar que O Laboratório de Dexter tem umas coisas estranhas (tá, mas só depois de duas temporadas muito legais), e isso ao mesmo tempo em que se elogia Samurai Jack, que não apenas é do mesmo criador, Genndy Tartakovsky, como tem um estilo muito mais brisado. Outras vacilações foram esse péssimo costume de toda hora cortar o raciocínio e mudar de assunto pra responder bobeira do chat e o baixo volume do áudio, que te faz aumentar o volume do computador pra escutar direito e consequentemente faz qualquer outra coisa ficar insuportavelmente alta.

Bom, tive que fazer essas críticas pontuais aqui, porque se for pra falar de coisa boa, que seja com muito capricho. De qualquer maneira, acho que vale a pena trazer pra cá um conteúdo sobre Dragon Ball (e outros produtos relevantes da cultura pop) que não sejam clichês e nem só a respeito dos seus aspectos mais imediatos, pra estimular a inteligência e gerar debates mais frutíferos sobre temas mais úteis.

Então, por causa disso, não deixe de deixar seus comentários aí pra nós.

Abraços!

Mais Dragon Ball


Vídeo adicionado em: 19 de março de 2024

Categoria(s): Vídeos

Tags: ,

Canal: Guilherme Freire

Acessado: 21 vezes.

Duração: 1:08:20

2 comentários para “Guilherme Freire – Dragon Ball e a desvirilização dos desenhos infantis”

  1. Helinux disse:

    o desenho animado de um modo geral, seria uma certa terapia para em certas horas…acredito!!!! Vendo desenho ajuda vc a esqucer um pouco dessa loucura humana e a violência que a todo tempo e todos os dias são mostradas na tv!!!! sou da época da Manchete…cresci vendo Yamato, Pirata do Espaço, Speed Racer e Macross…as músicas desses jogos foram as primeiras coisas que ouvi em Japonês, para um criança ouvir um idioma novo era algo engraçado e surpreendente!!!! Com o tempo vieram os Tokusatsu, também as músicas me facinavam e muito…principalmente quando determianda música ou trilha sonora era posta junto com o Jaspion ali lutando!!!! Esses detalhes, muitas pessas ignorantes não saberiam prestar a atenção, veriam apenas a violência que ali existe…isto é, era uma violência que não tinha sangue e empolgava em forma de torcida sobre o personagem na hora da luta!!!! Com os games, foram a mesma coisa…vieram as críticas sobre violência e fazer mal as crianças!!!! Uma coisa eu posso dizer, ver anime me fez gostar de coisas orientais, música, idioma e cultura!!!! Infelizmente a cultura brasileira é muito mal colocada perante as crinaças do nosso Brasil…não vemos mais desenho animado nas principais emissoras de TV brasileira, excluíram praticamente e algumas emissoras abertas ainda tentam focalizar na criança e adutlto que curtem assistir desenho animado!!!! No Brasil só é focado na política, Big Brother e Carnaval…e criança só é lembrada na época de Páscoa por causa dos Ovos de chocolate e dia das crinaças!!!! Até o esporte está mais focado no canal fechado, outra área que seria bem vinda para a molecada!!!! Para finalizar, o anime incentiva e acrescenta muito a nossa cultura de um modo geral, conheço pessoas que foram estudar e trabalhar no Japão porque era fã de Spectreman ou de CDZ…isso tudo contribuiu para aprender um novo idioma!!!! No Brasil deveria também existir em escolas públicas a opção de estudar pelo menos o básico para o idioma Japonês, Já que nenhum governo do Brasil…pode ser a cidade evoluída que for…não dão prioridade para a educação, tudo é maqueado e iludido, sempre falta professor em alguma matéria quando começa o ano letivo!!!! Valeu!!!!

    • Facínora disse:

      a sorte é que ainda se encontra na internet, com maior ou menor facilidade, desenhos/animes de boa qualidade, alguns antigos, outros nem tanto, mas que servem às crianças sem problemas. Cabe aos pais procurar e introduzir as boas obras, que, sim, são entretenimento, mas também trazem boas lições e ensinam bons valores. Por enquanto ainda as temos disponíveis em seus formatos originais (sem cortes ou censuras) por aí, ma até quando? Creio que valeria a pena fazer backup offline, quando não em mídia física, desses desenhos e séries.

      Abraços!

Deixe um comentário