Dracula 3: The Path of the Dragon

Dracula 3: The Path of the Dragon é um adventure point and click de terror de 2008 com jogabilidade casual, perspectiva em 1ª pessoa, enigmas para resolver e um mistério que envolve vampiros e nazistas.

27 de novembro de 2021

Dracula 3: The Path of the Dragon é um adventure independente de terror e estilo point and click onde um padre é enviado à Transilvânia para investigar um processo de canonização, mas acaba se envolvendo numa trama onde o Conde Drácula e precursores dos nazistas fazem parte. Foi desenvolvido pela Kheops Studio e lançado originalmente em 10 de abril de 2008.

Publicado pela Microids e disponibilizado para Windows, Mac, iOS e OnLive, o Dracula 3: The Path of the Dragon foi geralmente recebido de forma mista pela crítica. Pelo menos até o momento, o game conta com centenas de avaliações ligeiramente negativas no Steam.

O jogo é sequência Dracula: Resurrection (1999) e Dracula: The Last Sanctuary (2000), embora seu enredo não tenha relação direta com nenhum deles. Além disto, uma sequência foi lançada em duas partes em 2013: Dracula 4: The Shadow of the Dragon e Dracula 5: The Blood Legacy. Isto pode ser explicado pelo bom número de vendas do game.

Vídeos

Acima, temos um trailer oficial do Dracula 3: The Path of the Dragon.

O segundo vídeo é um walkthrough/longplay/guia/detonado do jogo sem comentários e com mais de cinco horas de duração. Assista apenas se estiver procurando ajuda pra zerar o game ou se não se importar com spoilers.

Sinopse

Em setembro de 1920, a Santa Sé nomeia o Padre Arno Moriani, o “Advogado do Diabo”, para investigar uma candidata potencial à canonização na Transilvânia. Mas nas em meio às ruínas perturbadoras que já foram o castelo de Vlad, o Empalador, sua investigação toma um rumo inesperado…

Obviamente, vampiros não existem… Mas como se pode ter tanta certeza, parado nas névoas sombrias da Transilvânia? O sacerdote fará sua investigação em meio a histórias de atos sangrentos e medos ancestrais.

Gameplay

Em Dracula 3: The Path of the Dragon, o Pe. Arno Moriani é enviado à Transilvânia para uma investigação sobre o processo de canonização de Martha Calugarul, uma médica devota ao seu trabalho durante a Primeira Guerra Mundial e considerada uma santa em sua aldeia. Mas, logo que chega, Moriani tem a sensação de que as marcas no corpo da médica não vêm de um poder divino, mas do próprio Conde Drácula. Ele decide investigar para saber se o infame vampiro está vivo ou não.

Este é um adventure point and click com jogabilidade casual, perspectiva em 1ª pessoa, mudança do cursor se uma ação for possível, inventário, enigmas para resolver, transcrição de diálogo, anotações e uma lista de objetivos.

The Path of the Dragon também emprega um HUD “vazio” e o inventário pode ser acessado ao pressionar um botão, que também permite o acesso a uma lista de objetivos, detalhes de todas as conversas, registros de todos os documentos vistos e coletados e opções para salvar, carregar ou encerrar um jogo.

A interface point and click básica é usada para mover e manipular o mundo. Cada tela pode ser visualizada em 360 graus e, conforme o cursor é movido pela tela, pode-se mudar para diferentes estilos dependendo da situação: cursor neutro (nenhuma interação é possível), uma seta (o jogador pode se mover na direção indicada), uma boca (pode falar com o personagem sobre o qual a opção aparece), um olho (uma área ou objeto pode ser examinado em mais detalhes), uma lupa (objeto contém informações importantes que precisam ser examinadas mais de perto), uma mão (pode pegar o objeto), uma engrenagem (o jogador deve usar um item de inventário para iniciar a interação com o objeto), uma engrenagem com linha vermelha (item de inventário está sendo usado de forma errada), uma seta horizontal esquerda-direita (o objeto pode ser movido para a esquerda e direita), uma seta vertical para cima-baixo (o objeto pode ser movido para cima e para baixo), uma seta circular (o objeto pode ser girado).

Quando o jogador clica em uma pessoa com quem deseja falar, uma lista de tópicos de conversa aparece na tela. Quando se pega um item, é automaticamente colocado em um suporte automático ao invés do inventário principal, e deve ser transferido manualmente do suporte automático para a tela do inventário. Isso permite se classificar o inventário da maneira que desejar.

Uma parte importante de uma partida é examinar documentos, que têm uma seção separada na tela do inventário, apresentando inúmeras opções. Por exemplo, o jogador pode organizar os documentos de duas maneiras: por título ou pela ordem em que foram encontrados. Também se pode “sinalizar” documentos para relacioná-los a pistas específicas e, então, examinar todos relacionados a qualquer pista particular, sem ter que navegar por documentos não relacionados.

A tela de documentos também inclui uma visualização de “comparação” para examinar diferentes cópias das mesmas imagens para encontrar diferenças, e todos os documentos podem ser examinados em mais detalhes com uma lente de aumento. O jogo também inclui cópias completas da Bíblia e do Drácula de Bram Stoker, e cada texto tem uma opção que abre o livro em uma passagem aleatória. Se feito em determinados momentos de uma partida, a opção aleatória pode apresentar pistas sobre como proceder. Quando for o caso, a opção de “página aleatória” pisca.

A versão resumida de três partes para iOS de 2010, também foi lançada para Windows como a Dracula Series, adiciona vários novos recursos ao jogo, como um recurso de ajuda opcional, que destaca zonas interativas em cada tela, e um “inventário rápido”, que permite segurar um item e acessá-lo sem ter que entrar na tela de inventário. Esta versão também remove vários dos quebra-cabeças mais difíceis e é mais curta do que a versão original, com várias cenas e pontos de enredo ausentes.

Destaques

  • Gráficos e cutscenes em alta definição, com vistas panorâmicas completas para ver todos os detalhes enervantes.
  • Desbloquear quebra-cabeças exigirá um teste de suas habilidades em visão, som e sabor (de sangue).
  • Bônus escondidos especiais espreitam na escuridão. A recompensa vale a pena se você se atrever a obtê-los.
  • Música atmosférica, escuridão e ambientes que induzem ao medo, uma investigação que prova que quanto mais você escava, mais mergulha nesta aventura ocultista diabólica.

Enredo (com spoilers)

O jogo começa em 1920, com o cardeal Felicio Briganti enviando o padre Arno Moriani, da Sagrada Congregação dos Ritos, ao vilarejo de Vladoviste, na diocese de Alba Iula, na Transilvânia, para investigar uma candidato à santidade, Martha Calugarul, uma médica e cientista que morreu vários meses antes. O processo se torna importante porque a Transilvânia foi recentemente anexada pela Romênia, deixando os católicos em minoria, e a Igreja sabe que um santo local pode ajudar os católicos a reafirmar sua identidade em relação à maioria ortodoxa na diocese.

Ao chegar em sua pousada, Moriani conhece Ozana, a dona da estalagem, e Janos Pekmester, um professor de História Medieval que está em Vladoviste para escavar as ruínas próximas do Castelo do Crepúsculo, residência de Vlad Tepes durante seu tempo como Voivode. Moriani fica sabendo da biografia de Calugarul e que depois de se tornar uma cientista, ela foi gravemente queimada, forçando-a a usar um véu na lateral do rosto. Mais tarde, ela trabalhou com o professor Heinrich von Krüger na investigação de uma doença do sangue chamada “síndrome P”. Durante a guerra, ela permaneceu em Vladoviste e cuidou dos combatentes de ambos os lados. A médica falaceu na cama, aparentemente de exaustão, logo após a guerra.

No dia seguinte, Moriani conhece um repórter, Stephan Luca, que lhe conta que Calugarul foi assassinada. Ele mostra os arquivos de Moriani nos quais Calugarul relata pessoas morrendo por uma inexplicável perda de sangue, antes da qual eles eram propensas a sonambulismo e reagiam violentamente ao alho. Todos esses pacientes tinham dois pequenos hematomas no pescoço quando morreram e todos tinham a “anomalia P” no sangue. Luca afirma que Calugarul acreditava que um vampiro estava ativo em Vladoviste, e jurou percorrer o “The Path of the Dragon” (“O Caminho do Dragão”) para encontrá-lo e enfrentá-lo. No entanto, porque Calugarul acreditava em vampiros e se engajou em práticas ocultas para combatê-los, ela não pode ser canonizada, o que não seria mais do que o certo.

Moriani liga para Briganti, que o ordena a abrir uma investigação provando que vampiros não existem, explicando que desde a publicação do Drácula de Bram Stoker, a crença em vampiros está em alta, e o Vaticano quer acabar com essa superstição. Moriani chama von Krüger, que afirma que o vampirismo é na verdade uma doença do sangue chamada “síndrome P” e, portanto, pode ser explicada cientificamente. Ele então segue para Budapeste para encontrar a Professora Irina Boczow, uma especialista no assunto, que conta a história do vampirismo, começando com Lilith. Para a surpresa de Moriani, revela que ela acredita que os vampiros são reais e lhe dá um livro, “The Lords of Twilight”, publicado pela Thule Society, que diz que para se tornar um vampiro é preciso completar The Path of the Dragon, um ritual de iniciação, algo que Tepes fez em sua juventude.

Enquanto isso, Luca decide realizar tal ritual sozinho, acreditando que encontrará Drácula, quem planeja matar, no final. Moriani escreve seu relatório refutando vampiros, mas na manhã seguinte, Luca é encontrado morto a tiros, e Moriani decide seguir o plano de Luca. Entre a correspondência de Calugarul, ele encontra evidências de que o caminho começa onde Tepes foi mantido prisioneiro na Turquia, e então viaja para a prisão nas montanhas, onde descobre que prisioneiros foram deixados como alimento para uma criatura que vivia na floresta para poupar os aldeões. Tepes, entretanto, aparentemente escapou.

Ao retornar a Vladoviste, Moriani descobre que Ozana foi coagida a tirá-lo da pousada, e os moradores não querem mais falar com ele. Ele liga para Boczow para dizer que planeja percorrer o Caminho para matar tudo o que encontrar, e ela o aconselha a ir vê-la. Ao chegar em Budapeste, no entanto, ele a encontra assassinada e retorna a Vladoviste só para descobrir que sua amiga e substituta de Calugarul, Dra. Maria Florescu, está desaparecida. Em um galpão próximo, descobre Pekmester inconsciente em um caixão.

Na pousada, encontra uma bomba em sua porta, mas a desarma. Ozana conta que Pekmester e um homem de Alba Iula estiveram em seu quarto. Ele entra na sala de Pekmester e descobre que Pekmester e von Krüger são membros da Sociedade Thule e têm trabalhado com a Guarda de Ferro (um grupo paramilitar fascista). Ele também descobre que von Krüger está em contato com um jovem membro do Partido Alemão dos Trabalhadores quem ele acredita ser muito mais “empreendedor” do que Anton Drexler. Como tal, enviou a Pekmester um extrato de um manifesto no qual o jovem está trabalhando – uma versão inicial do Mein Kampf.

Moriani constata que von Krüger e Pekmester estão tentando percorrer o Caminho, o que eles acreditam terminar no Castelo do Crepúsculo, em um esforço para se tornarem vampiros. Ele também fica sabendo que Pekmester descobriu o túmulo de Calugarul estava vazio.

Moriani entra em uma passagem secreta nas colinas que levam ao castelo. Em um labirinto subterrâneo, encontra Pekmester, que explica que Florescu é serva de Drácula. Ele foi vê-la no dispensário esperando que ela o levasse até Drácula, mas o morto-vivo o nocauteou e colocou-o no caixão, e ele acordou no labirinto.

Eventualmente, Moriani entra nas catacumbas. Von Krüger chega no pátio acima, implorando a Moriani para deixá-lo entrar, mas Moriani se recusa. Florescu chega e revela que é/era Calugarul. Quando ela seguiu O Caminho com a intenção de matar Drácula, ele ofereceu sua imortalidade e sua beleza de volta, e ela aceitou. Ela explica que Pekmester matou Luca e Boczow, e von Krüger é o chefe da Sociedade Thule, que deseja outra Guerra Mundial. Ela deseja sorte a Moriani quando o próprio Drácula se aproxima. Porém, Moriani arma a bomba que desarmou na pousada, e as catacumbas são destruídas.

Enquanto Moriani morre, Pekmester lamenta que eles tenham perdido a chance, mas von Krüger garante que eles irão retornar. Sem ser visto por nenhum deles, um vapor verde sobe dos escombros ao ar.

Já na Londres de 1942, em um bunker, o Capitão Cunningham do Exército Britânico está interrogando Pekmester. Cunningham quer saber a natureza de uma operação secreta nazista em 1941, chefiada pelo general von Krüger, com o codinome “Operação D”. Pekmester pergunta a Cunningham se o nome Vlad Tepes significa algo para ele. Cunningham é indiferente e Pekmester pergunta “Você não acredita em vampiros?” à medida que as luzes da sala se apagam.

Curiosidades

  • As vendas globais combinadas dos três primeiros jogos da série alcançaram 1 milhão de cópias em 2009.
  • Um evento Dracula Blood Drive foi organizado em cinco hemocentros em toda a Bay Area, no estado americano de San Francisco, em 31 de outubro de 2008. Na ocasião, cada doador de sangue à Cruz Vermelha recebeu uma cópia do jogo.
  • Uma Bíblia em latim está totalmente disponível durante todo o jogo.
  • Na versão alemã, suásticas (incluindo um quebra-cabeça) e um símbolo da Sociedade Thule (uma baboseira nazista) foram removidas. Em outro quebra-cabeça, o jogador precisa desenhar um “X” em vez de uma suástica.
  • De fato, alguns críticos ressaltaram negativamente o fato de que vários quebra-cabeças do game são muito esotéricos e/ou ilógicos, embora outros considerassem isso adequado à temática do título.
  • O roteiro de Path of the Dragon de Benoît Hozjan ganhou o prêmio de “Melhor Cenário” no Milthon Festival du Jeu Vidéo de 2008.
  • O jogo também foi nomeado em duas outras categorias, “Melhor jogo para PC” e Yan Volsy de “Melhor trilha sonora”, perdendo para TrackMania United Forever e Big Bang Mini, respectivamente.
  • Dracula 3 foi anunciado pela publsiher MC2 France e pelo Kheops Studio em abril de 2007, logo após as duas empresas chegarem a um acordo para criar o título. Como sequência de Dracula: Resurrection e Dracula 2: The Last Sanctuary, o anúncio encerrou um período de inatividade de anos da série.
  • O jogo não foi inciialmente concebido como uma sequência dos primeiros dois games. Em vez disso, foi projetado como uma “mudança abrangente de perspectiva na abordagem do mito do Drácula”, de acordo com Benoît Hozjan, da Kheops.
  • O projeto foi inicialmente agendado para lançamento durante a temporada de compras natalinas de 2007, mas sofreu um atraso no início de 2008. Depois de mudarem seu nome para Dracula 3: The Path of the Dragon naquele fevereiro, o jogo foi lançado na França em 10 de abril de 2008.

Screenshots

Sobre o download

O Dracula 3: The Path of the Dragon é um jogo normalmente pago que pode ser encontrado para Windows e Mac no Steam. O nosso link de download leva a esta versão. Tem também uma coletânea que traz os três primeiros jogos da série no GOG.

Idiomas

  • Áudio: inglês, francês e alemão.
  • Interface: inglês, francês, italiano, espanhol (Espanha), russo e alemão.
  • Legendas: italiano, espanhol (Espanha) e russo.

Requerimentos mínimos em sistema

Veja também

autor, site, canal ou publisher Kheops Studio tamanho do arquivo 2,9 GB licençaComercial sistemas operacionais compativeisWindows e Mac download link Download

Observação: se você gostou deste post ou ele lhe foi útil de alguma forma, por favor considere apoiar financeiramente a Gaming Room. Fico feliz só de ajudar, mas a contribuição do visitante é muito importante para que este site continua existindo e para que eu possa continuar provendo este tipo de conteúdo e melhorar cada vez mais. Clique aqui e saiba como. Obrigado!

Deixe um comentário

Inscreva-se na nossa newsletter!