Processo contra a Bethesda ameaça adiar sua aquisição pela Microsoft

Processo contra a Bethesda ameaça adiar sua aquisição pela Microsoft. O problema se centraria na forma como a Bethesda promoveu o Fallout 4 Season Pass.

2 de março de 2021

Processo contra a Bethesda ameaça adiar sua aquisição pela Microsoft, algo que noticiamos aqui a setembro de 2020 e já parecia como algo dado como certo.

Segundo a fonte, o problema se centraria na forma como a Bethesda promoveu o Fallout 4 Season Pass, o que foi alvo de um processo legal. Agora, um grupo de advogados quer saber se ao ser comprada pela Microsoft, a ZeniMax Media seria libertada das responsabilidades.

A jogada judiciária foi apresentada por um tal de X-Law Group que, em julho do ano passado, alegou que a ZemiMax mentiu aos consumidores na forma como vendeu o Season Pass, que quem o comprou não devia ter de pagar pelo Creation Club, que consideram outro DLC para Fallout 4, o que contraria o que foi afirmado em 2015. Eles pedem compensações que podem exceder os 1 mil milhões de euros.

Quando foi anunciado que a Microsoft iria comprar a ZeniMax e consequentemente a Bethesda, sua subsidiária, os advogados entraram para obter mais informações e bloquear o negócio: se a compra significar que os materiais passam para uma nova entidade legal, consequentemente esta poderá proteger-se de quaisquer responsabilidades relacionadas com outra companhia.

Ou seja, a Microsoft vai adquirir a ZeniMax através de uma nova subsidiária, chamada Vault, que passará a ser a nova dona de todas as propriedades intelectuais da Bethesda. Essa Vault não efetuou qualquer acordo com os consumidores sobre Fallout 4 e estes advogados do X-Law Group estariam procurando proteger o seu processo contra a Bethesda.

Segundo alegam, os compradores do Fallout 4 Season Pass merecem receber, pelo menos, 250 euros pela forma como foram tratados pela Bethesda e incluem ainda diversas despesas do processo e indenizações. No entanto, temem que a Bethesda possa usar a aquisição como uma forma de escapar ao processo, algo que a acusam de ter feito anteriormente, quando adquiriu a Human Head e transferiu os seus bens e propriedades para outra companhia e evitou responsabilidades legais com a Ragnarok Game, que tinha um contrato com a Human Head antes da aquisição.

Será que vão conseguir embarreirar a parada mesmo? Acho que não vai dar em nada. E você?

Veja também

Observação: se você gostou deste post ou ele lhe foi útil de alguma forma, por favor considere apoiar financeiramente a Gaming Room. Fico feliz só de ajudar, mas a contribuição do visitante é muito importante para que este site continua existindo e para que eu possa continuar provendo este tipo de conteúdo e melhorar cada vez mais. Clique aqui e saiba como. Obrigado!

Deixe um comentário

Inscreva-se na nossa newsletter!