Guilherme Freire – Akira e o aceleracionismo cyberpunk

Neste vídeo, o professor de filosofia Guilherme Freire fala sobre a cultuada obra Akira, popularizada pela animação japonesa de 1988, comparando-a com o aceleracionismo cyberpunk. [Acesse a descrição completa]

Newsletter:

Visão geral

Neste vídeo, o professor, conferencista e palestrante em filosofia Guilherme Freire fala sobre a cultuada obra Akira, popularizada e consagrada pela impressionante animação japonesa de 1988, comparando-a com a filosofia pós-moderna, em especial o aceleracionismo cyberpunk, tanto no pensamento de Gilles Deleuze como no antigo conto britânico Nick Land. Freire também analisa brevemente a simbologia de Akira, embora não foque tanto nisso como em seus outros vídeos.

Akira é originalmente uma série de mangás cyberpunk japonesa escrita e ilustrada por Katsuhiro Otomo. Foi inicialmente distribuída na Young Magazine, uma revista de mangá seinen, de 1982 até 1990, e então reunida em seis volumes tankōbon pela editora Kodansha entre 1984 e 1991. Foi publicada nos Estados Unidos pela Marvel Comics, sob a Epic Comics, tornando-se um dos primeiros mangás a ser totalmente traduzido para o inglês. Atualmente, Akira é publicado pela Kodansha Comics na América do Norte.

O mangá se passa em uma Neo-Tóquio pós-apocalíptica e futurista, mais de duas décadas depois de uma explosão misteriosa ter destruído a cidade, e se concentra nos esforços de Kaneda, líder de uma gangue de motociclistas adolescentes, da militante revolucionária Kei, um trio de Espers e o Coronel Shikishima de tentar evitar que Tetsuo, amigo de infância mentalmente desequilibrado de Kaneda, use suas poderosas e instáveis habilidades telecinéticas para devastar a cidade e despertar um indivíduo misterioso com habilidades psíquicas semelhantes chamado Akira, o responsável pela destruição de Tóquio há vários anos.

Em 1988, o longa-metragem de mesmo nome baseado no mangá foi lançado. Dirigido por Katsuhiro Otomo, produzido por Ryōhei Suzuki e Shunzō Katō, e escrito por Otomo e Izo Hashimoto, é amplamente considerado pela crítica como um dos maiores filmes de animação e ficção científica já feitos, bem como um marco na animação japonesa. É também um filme fundamental no gênero cyberpunk, particularmente no subgênero cyberpunk japonês, assim como na animação adulta. Akira teve um impacto significativo na cultura pop em todo o mundo, abrindo caminho para os animes e a cultura popular japonesa no ocidente, além de influenciar diversos trabalhos em animação, quadrinhos, cinema, música, televisão e videogames.

Em sua interessantíssima e intelectualmente densa exposição, o professor Freire fala sobre a relação entre Tetsuo (o antagonista primário de Akira), a Singularidade e Kaneda, e a emancipação nietzscheana.

Esse é um daqueles vídeos que tem que ver umas três ou quatro vezes para entender tudo mais ou menos. Mas vale a pena. Deu até vontade de assistir Akira de novo.

Deixe as suas considerações nos comentários.

Mais curiosidades


Vídeo adicionado em: 17 de janeiro de 2021

Categorias: Vídeos

Tags: , ,

Autor/canal: Guilherme Freire

Acessado: 23 vezes.

Duração: 16:42

Deixe um comentário