Coleção em Ação Show – Esquadrão Atari

O Coleção em Ação Show traz tudo sobre o Esquadrão Atari, uma equipe de super-heróis que viviam histórias de jogos da Atari em revistas em quadrinhos publicadas originalmente pela DC Comics durante os anos 80. [Acesse a descrição completa]

Newsletter:

Visão geral

Este vídeo do excelente canal Coleção em Ação Show traz tudo sobre o Esquadrão Atari — uma equipe de super-heróis inspirados nos games da Atari, especialmente os do Atari 2600 — que foi criada nos anos 80 e conta com fãs até os dias de hoje.

Esquadrão Atari, ou Atari Force, é também o nome de duas séries de revistas em quadrinhos publicadas pela DC Comics de 1982 a 1986. Em julho de 2015, a Dynamite Entertainment anunciou que iria reimprimir as HQs originais e uma nova série baseada nos jogos Asteroids, Centipede, Crystal Castles, Missile Command, Tempest e Yars’ Revenge. No Brasil, a Abril publicou a segunda série na Heróis em Ação e Superamigos.

O enredo da Esquadrão Atari centra numa equipe de humanos de diferentes nações que usam a nave multidimensional Scanner One para procurar um novo planeta para a humanidade habitar, visto que a Terra da sua dimensão estava condenada por um apocalipse ecológico. A equipe foi escolhida a dedo pelo A.T.A.R.I. (“Advanced Technology and Research Institute” ou “Instituto de Pesquisa e Tecnologia Avançada”), e consistia em Martin Champion, comandante da missão; Lydia Perez, piloto e oficial executiva; Li-San O’Rourke, oficial de segurança; Mohandas Singh, como engenheiro de voo; e Dr. Lucas Orion, oficial médico. Uma criatura alienígena semissenciente, chamada Hukka por causa do barulho que fez, mais tarde se juntou como mascote do time.

A segunda equipe, formada aproximadamente 25 anos após a primeira, também era liderada por Martin Champion, quem estava convencido de que o inimigo da equipe original, o Dark Destroyer, ainda existia. Embora estivesse correto, a maior parte da humanidade não acreditava nisso, mas o deixava pensar assim devido ao seu heroísmo em liderar o Esquadrão Atari à Nova Terra. Outros membros foram Christopher “Tempest” Champion, filho de Martin Champion e Lydia Perez; Erin “Dart” Bia O’Rourke-Singh, filha de Mohandas Singh e Li-San O’Rourke; Hukka; Morphea, uma empata insetóide; Babe, uma criança alienígena de imenso tamanho e força; e Pakrat, um roedor humanoide ladino. Adições posteriores à equipe foram Blackjak, amante humano de Dart; Taz, um pequeno guerreiro alienígena; e Kargg, ex-subalterno do Dark Destroyer.

As cinco edições da primeira série foram boladas principalmente para ilustrar os enredos dos cartuchos e incluídas nos jogos Defender, Berzerk, Star Raiders, Phoenix e Galaxian. Os quadrinhos foram escritos por Gerry Conway e Roy Thomas e os artistas incluíam Ross Andru, Gil Kane, Dick Giordano e Mike DeCarlo.

Um encarte especial da Atari Force apareceu em duas capas de quadrinhos datadas de janeiro de 1983 e serviu como uma prequela para a série em andamento lançada um ano depois. Era a história publicada anteriormente na minirrevistinha do Phoenix, mas o título foi alterado para “Code Name: Liberator” e o nome da nave em destaque tornou-se Liberator. Além disso, os alienígenas pareciam mais com sapos na arte. Em 1992, a Atari lançou um jogo de arcade chamado Liberator, o qual apresenta o comandante Martin Champion e o nome Atari Force.

Em 1983, a DC Comics publicou uma HQ baseada em Star Raiders que estava ligada às minirrevistinhas. Escrito por Elliot S! Maggin e ilustrado por José Luis García-López, foi o primeiro título da série DC Graphic Novel, tinha um formato maior do que os quadrinhos normais e alcançou um mercado muito maior (por meio de lojas especializadas) do que o pequeno grupo de pessoas que comprou o cartucho do 2600.

A segunda série, composta de 20 edições, foi lançada mensalmente entre janeiro de 1984 a agosto de 1985, no formato de quadrinhos convencional. Gerry Conway voltou como escritor, enquanto José Luis García-López se tornou o principal desenhista, com o artista conceitual da Atari Force original Ross Andru desenhando as 4ª e 5ª edições. Na edição de número 13, Eduardo Barreto assumiu como desenhista e Mike Baron tornou-se o redator regular da #14 até a edição final, #20. As edições 12 a 20 também continham histórias reservas de diferentes escritores e artistas. Em 1986, uma edição “especial” foi lançada com o trabalho de diferentes criadores, alguns dos quais tinham feito histórias de backup para o volume 2. A história de backup da edição #20, “Hukka vs. o Bob!” (por Keith Giffen, Robert Loren Fleming e Karl Kesel), foi reimpressa no Best of DC #71, contendo as melhores histórias em quadrinhos do ano, em abril de 1986. Foi também eleita uma das melhores HQs pela Revista Buyers Guide, entre outras.

Enfim, o apresentador do vídeo desta publicação, Teily Fábio, nos traz estas e outras informações, junto a cenas dos quadrinhos, resumos das histórias principais e diversas curiosidades. E tudo é bem-feito e agradável de assistir. Pena que o vídeo é curto (pouco mais de 11 minutos), mas tem gente que gosta é assim mesmo.

Particularmente, não conhecia o Esquadrão Atari, mas achei muito bacana. É mais uma campanha de marketing interessante das antigas ligada aos videogames, como as que estiveram relacionadas o Chex Quest e o anime Zillion.

Mais Atari 2600


Vídeo adicionado em: 4 de julho de 2021

Categorias: Vídeos

Tags: , , ,

Autor/canal: Coleção em Ação Show

Acessado: 31 vezes.

Duração: 11:01

Deixe um comentário