Todas as publicações de snk

Ikari Warriors

27 de novembro de 2017
Ikari Warriors

Ikari Warriors é um clássico jogo de tiro estilo run and gun e shoot ’em up desenvolvido e lançado pela SNK em 1986, originalmente para os fliperamas. Este game de rolagem vertical saiu na época em que muitos clones do Commando estavam invadindo o mercado. Entretanto, o Ikari Warriors inovou em relação a esse game, trazendo os joysticks rotativos e a possibilidade de jogar simultaneamente por duas pessoas, superando tecnicamente o similar da Capcom e se tornando um sucesso instantâneo.

O grande sucesso o Ikari Warriors justificou ports para vários outros sistemas. Além do arcade, o game ganhou versões para Apple II, Amiga, Atari 2600, Atari 7800, Atari ST, Acorn Electron, Amstrad CPC, BBC Micro, Commodore 64, NES, MSX2, PC e ZX Spectrum. Além destes ports, ele também rendeu duas sequências oficiais, o Victory Road (1986) e o Ikari III: The Rescue (1989).

Vídeo

O vídeo acima mostra o gameplay e comenta o Ikari Warriors. Foi feito pelo canal Defenestrando Jogos. O vídeo é meio curtinho (tem quase 11 minutos), mas depois de conferir o gameplay, você pode jogar uma versão online do game em nosso site mesmo.

Screenshots

As screenshots acima foram ampliadas. A resolução original do Ikari Warriors padrão é raster, 216 x 288 e 1024 cores.

Gameplay

Em Ikari Warriors, os jogadores encarnam o Coronel Ralf e o Segundo Tenente Clark e tem que tentar alcançar a vila de Ikari, enfrentando hordas de inimigos compostas de tanques de guerra, soldados inimigos, minas e helicópteros. Uma série de power-ups ao longo do caminho e veículos que podiam ser usados pelos jogadores ajudam-nos ao prosseguir no game.

Graças aos inovadores joysticks rotativos, em Ikari Warriors, os jogadores podem movimentar-se nas oito direções, assim como usar dois botões, um para a arma padrão e o outro para as granadas. Como já dissemos, o game também permitiu que se até duas pessoas jogassem simultaneamente, algo também que era novidade na época.

Curiosidades

  • De acordo com o designer do game, Keiko Iju, o jogo foi inspirado em filmes do Rambo, com inclusive seu primeiro nome baseado no título japonês do Rambo: First Blood Part II (Rambo: Ikari no Dasshutsu ou The Furious Escape);
  • Coincidentemente ou não, o game Rambo: First Blood Part II, do Master System, tem o gameplay bastante similar ao Ikari Warriors;
  • Stan Szczepanski detém o recorde mundial oficial Guinness do game, com 1.799 mil pontos;
  • Ikari Warriors foi o primeiro game de sucesso a usar joysticks de oito direções. O TNK III, lançado em 1985, também da SNK, foi o primeiro a usar tais controles, mas não fez tanto sucesso;
  • O jogo foi intitulado apenas como Ikari (怒, “fúria”), originalmente, no Japão;
  • Seus personagens principais Ralf e Clark se tornaram muito famosos em outro jogo da SNK, o King of Fighters, no time que leva o nome deste primeiro jogo;
  • Ralf e Clark também fazem pontas nos Metal Slugs 6 e 7;
  • A SNK também lançou um clone do Ikari Warriors em 1987 chamado Guerrilla War (chamado de Guevara, no Japão). O jogo apresenta os sociopatas, genocidas e socialistas Che Guevara e Fidel Castro como protagonistas.

Saiba Mais

The Super Spy

31 de outubro de 2017
The Super Spy

The Super Spy (ザ・スーパー・スパイ)é um jogo dos primórdios do Neo Geo, onde o jogador encarna um agente secreto que deve se infiltrar em um esconderijo cheio de terroristas e derrotar todos os bandidos. Lançado em 8 de outubro de 1990 pela SNK, The Super Spy combina tiro em primeira pessoa, beat ’em up e elementos de RPG.

O jogo foi lançado originalmente para os fliperamas e só foi portado para o Neo Geo (1991), o Neo Geo CD (1994) e Wii (2012).

Em 2017, o usuário do fórum do ZDoom willkuer apresentou o seu projeto Super Spy Doom, um mod inspirado no The Super Spy e em filmes de ação antigos para o Doom.

Screenshots

As screenshots acima foram tiradas da versão de arcade do The Super Spy e foram ampliadas. A resolução original desta versão do game é  Raster 320 x 224.

Vídeo

O vídeo acima foi feito pelo canal Defenestrando Jogos e, como de costume, mostra bem o gameplay e traz algumas informações e curiosidades sobre o game que foram usadas neste post.

Enredo

O enredo gira em torno de Roy Heart, um agente da CIA que precisa percorrer andares de escritórios e armazéns para acabar com o Zolge King, um grupo de terroristas responsável pelos horríveis assassinatos de milhares de pessoas num atentado com bombas no metrô. O Sr. Heart é enviado até a um arranha-céus que foi dominado pelos terroristas e está sendo usado como fábrica de bombas para limpar a área e achar os responsáveis pelo atentado, e começa a abrir caminho na base da bala e da porrada.

Gameplay

Como dissemos, o The Super Spy mistura elementos de vários gêneros, como luta, FPS e RPG. A movimentação no jogo é feita basicamente através de ataques e apenas avançando ou retrocedendo nos corredores. O jogador também pode desviar, fazer o strafe, inclinar, se defender e só pode avançar depois que todos os inimigos do campo de visão forem eliminados.

Ocasionalmente, o jogador pode avançar para os quartos para salvar reféns ou emboscar os inimigos. Salvar reféns recupera energia, pode reparar ou fazer upgrades no equipamento etc. O protagonista também pode ganhar experiência matando os inimigos, o que pode lhe fazer avançar níveis e aumentar seu poder de ataque.

O sistema de combate melee parece com o Mike Tyson’s Punch-Out!! e o jogador conta quatro tipos de ataque: socar, chutar, faquinha (que perde poder e fica enferrujada com o uso) e pistola (com munição limitada). Como dissemos, estes ataques podem receber upgrades. Por exemplo, alguns reféns podem garantir uma metralhadora semiautomática. As armas de fogo também podem ser usadas para explodir vários materiais explosivos e infligir dano aos inimigos.

Os inimigos consistem principalmente de homens mascarados, ninjas e pistoleiros que se tornam mais fortes à medida que o jogador progride pelos níveis. Eles vão sendo variados com palette swap. Existem sub-chefes como engenheiros, cientistas e uns bombados. Para terminar o jogo, ambos os chefes da primeira missão devem ser eliminados e todos os seis na segunda missão.

Curiosidades

  • O game é um dos 12 primeiros jogos a serem lançados pela SNK para seu então novo console, o Neo Geo AES e para o sistema de arcade MVS. Além de Super Spy também saíram jogos como Magician Lord, NAM-1975, Ninja Combat, Riding Hero, Cyber Lip, Baseball Stars Professional, Puzzled e um jogo de Mahjong;
  • The Super Spy usa um esquema similar ao Crossed Swords, porém este é mais focado no RPG e hack & slash, ao invés de tiro e luta.
  • O líder dos terroristas, o King, tem um leve Semelhança com Geese Howard quando este vilão veste seus ternos em Fatal Fury e The King of Fighters, outros games da SNK.

Saiba Mais

  • Super Spy Doom – Um mod para (GZ)Doom que usa gráficos e elementos do The Super Spy misturado com tiradas típicas de filmes de ação consagrados.

P.O.W.: Prisoners of War

16 de outubro de 2017
P.O.W.: Prisoners of War

P.O.W.: Prisoners of War, conhecido no Japão como Datsugoku – Prisoners of War, é um game de luta beat ’em up desenvolvido pela Electrocoin e a SNK e lançado por esta empresa em agosto de 1988. O jogo saiu originalmente para os fliperamas, mas, apesar de poder ser considerado um clássico do gênero, só rendeu um port para o Nintendo 8-bit em 1989, que apresentava mudanças substanciais no gameplay.

Em P.O.W.: Prisoners of War, dois prisioneiros de guerra conseguem escapar do cativeiro e tentam se infiltrar na base inimiga, tentando não apenas fugir deste inferno, mas acabar com toda a operação. O jogo não apresenta uma jogabilidade das melhores, porém conta com aspectos memoráveis como o tema, as armas, bons gráficos (pra época) e uma bela trilha sonora.

Screenshots

As screenshots acima foram ampliadas. A resolução original é raster, 256 x 224 pixels (Horizontal), com 2048 cores.

Vídeos

Acima, temos o gameplay do P.O.W.: Prisoners of War feito pelo canal Defenestrando Jogos, O vídeo, como o de costume, compartilha informações e curiosidades de uma forma bem descontraída, as quais usamos para montar esta publicação.

E acima, temos um vídeo curto que fizemos do game para o nosso canal do Vid.me.

Enredo

Depois de escapar da prisão, os protagonistas devem se infiltrar na base do exército inimigo e frustrar os planos de um vilão megalomaníaco, derrotando-o e voltando para casa. A luta não será fácil, pois o esquadrão inimigo tem armamento e pessoal altamente treinado que vai fazer de tudo pra trazer os heróis de volta ao cativeiro, vivos ou mortos.

Gameplay

Como dissemos, o P.O.W.: Prisoners of War é um beat ’em up. Ele pode ser jogado por até duas pessoas simultaneamente, onde cada um encarna um prisioneiro de guerra que começa o jogo com apenas com seus punhos, descritos como armas letais que devem ser usadas do melhor modo possível. No decorrer do game, eles podem recolher armamento, que varia de facas até armas de fogo, dropado pelos inimigos, Além das armas e socos, os heróis podem também chutar, saltar, combinar golpes (como voadoras e cabeçadas) e movimentarem-se em oito direções.

A versão do Nintendinho, embora mantenha a premissa original do game, é apenas single player e apresenta substanciais mudanças nos controles, devido ao fato deste console possuir apenas dois botões. O gameplay é diferente no geral, também: o jogador pode recolher também granadas em certos pontos do game, encarar novos inimigos e um chefão diferente. O P.O.W.: Prisoners of War do NES conta com power-ups que são obtidos em umas cabanas e salas das fases, após derrotados os inimigos que se encontram dentro.

Curiosidades

  • P.O.W.: Prisoners of War apresenta elementos do Street Smart, outro título do SNK, indicando que deve ter sido tomado por base para este game.

Cyber-Lip

12 de outubro de 2017
Cyber-Lip

Cyber-Lip é um jogo de plataforma, shoot ’em up e run and gun desenvolvido pela SNK e lançado em novembro de 1990. Saindo originalmente para os fliperamas, o game foi portado, posteriormente, para o Neo-Geo (1 de julho de 1991) e para o Neo-Geo CD (21 de abril de 1995).

O Cyber-Lip é um jogo que pode ser facilmente comparado com o Contra, embora possua um ritmo aparentemente menos frenético e gráficos mais detalhados. Possui também elementos do Metal Slug, o que pode ser explicado pelo fato de parte da equipe que viria a desenvolver este game estava envolvida na criação do Cyber-Lip.

Screenshots

As screenshots abaixo foram ampliadas para serem publicadas aqui. A resolução original do game é  
Horizontal, Raster, 304 x 224 pixels e 4096 cores.

Vídeo

Abaixo, temos o Cyber-Lip sendo defenestrado em gameplay comentado feito pelo Celso Affini. Além de mostrar um pouco deste game de uma forma descontraída e divertida, este trabalho também fornece informações e curiosidades sobre o título da SNK. Nós usamos estas informações, junto com outras fontes, para montar este post:

Enredo

Em 2020, o povo da Terra fundou uma colônia e criou um exército de androides para defendê-las dos aliens. Infelizmente, o Cyber-Lip Master Defense Computer, a inteligência artificial que controla esta defesa, enlouquece e decide “proteger” a colônia destruindo a todos. Rick e Brook são dois soldados humanos veteranos que foram enviados por algum governo federal não especificado para o combate, em uma última tentativa de salvar a Terra desta ameaça. O supercomputador militar com defeito controla um enorme exército de androides e ciborgues militares que os heróis vão ter que enfrentar.

Os mais atenciosos vão perceber que o enredo de Cyber-Lip encontra paralelos com o do Exterminador do Futuro

Gameplay

Cyber-Lip pode ser jogado por um ou dois jogadores e conta, como dissemos acima, com elementos de plataforma, shoot ’em up e run and gun, tudo com a tela em rolagem horizontal.

Os heróis tem dois modos de disparo. Um é a arma padrão e o outro é para um lança foguetes e arremesso de granadas. Os jogadores podem alternar entre os dois modos em qualquer momento, mas só podem transportar uma quantidade limitada de granadas ou foguetes. Também pode-se recolher armas e power-ups como um orbe ao longo dos níveis.

Cada estágio tem um chefão que deve ser derrotado para avançar no jogo.

No final de algumas fases, os protagonistas vão entrar em um elevador e os jogadores podem, então, escolher se sobem ou se descem. Isto implica em mudar a sequência do jogo e encontrar novas fases.

Curiosidades

  • Como dissemos, o Cyber-Lip tem semelhanças fortemente inspiradas no Contra original, de 1987. A Konami, por sua vez, fez referência ao Cyber-Lip no Contra Shattered Soldier, de 2002;
  • O Cyber-Lip tem bastante propaganda subliminar para a época. Você consegue dizer quais são?

Magician Lord

6 de setembro de 2017
Magician Lord

Magician Lord (マジシャンロード) é um jogo de plataforma com rolagem lateral desenvolvido pela Alpha Denshi e lançado no dia 26 de abril de 1990 pela SNK. Neste game, o jogador assume o papel de um mago chamado e sua missão é salvar sua terra natal, num contexto de fantasia medieval, e conta com seis tipos de transformações que lhe dão poderes especiais.

O título saiu simultaneamente para o fliperama e para o console caseiro Neo Geo e, posteriormente, ganhou ports para outros sistemas: Neo-Geo CD (1994), Nintendo Wii (2007), PlayStation 2 (2008) e o Sony PSP (2008).

O Magician Lord conta com jogabilidade e gráficos muito bons, especialmente considerando a época em que foi, porém é demasiadamente difícil. É mais um jogo que deveria ser revisitado, tipo portado para o PC com mais opções e balanceando a dificuldade, porém sem perder o estilo do original dos anos 90.

Enredo

O bruxo Elta, o último Magician Lord, está em uma jornada para salvar sua terra natal do maligno feiticeiro Gal Agiese. Este macumbeiro planeja ressuscitar Az Atorse, o Deus da Destruição, usando os oito tomos do poder místico. Elta tem, então, que encarar as criações de Agiese que vão tentar impedi-lo de atravessar os oito diferentes níveis.

Gameplay

O protagonista tem que pular, atirar e escalar pelas fases até chegar ao final de cada uma delas, onde vai enfrentar um servo de Gal Agiese até chegar à ultima fase, onde ele finalmente encara Az Atorse em pessoa.

O gameplay é típico dos títulos do gênero da época para o arcade, o que torna Magician Lord bem desafiador. Para completar a treta, Elta deve chegar à fase final e derrotar o inimigo o mais rápido possível. Se o jogador levar muito tempo para concluir essa tarefa, ele será atacado por um monstro invencível.

A principal forma de ataque é um fraco mais rápido projétil de energia que pode lançado em uma das quatro direções. As esferas especiais que aparecem funcionam como power-ups, transformando o herói em um ser diferente, tornando-o mais poderoso e dando-lhe novo ataques.

Estas são as seis formas diferentes que Elta pode assumir ao pegar as esferas:

  • Dragon Warrior: Nesta forma, o ataque é por meio de um fogo de curto alcance mas contínuo. Este, ao contrário do ataque normal, também pode ser apontado para as diagonais;
  • Waterman: Os ataques nessa forma são como granadas de água que estouram ao tocar o solo e formam em pilares de água. Ele pode bater várias vezes, causando dano adicional, mas apenas abrangendo uma pequena área;
  • Poseidon: Sendo uma versão mais poderosa do Waterman, Poseidon chuta ondas de água que viajam ao longo do solo causando vários hits. Isto faz com que os inimigos se congelem e quebrem com o impacto. Esta forma é muito poderosa, porém se move muito lentamente;
  • Shinobi: Essa forma tem ganhos em agilidade e ataques com poderosos arcos mágicos de fogo que são largos, mas lentos;
  • Samurai: Embora limitada, esta forma é a única que pode atacar através de paredes, escudos ou até mesmo vários inimigos. Ela usa um ataque de energia que causa dano massivo;
  • Raijin: Esta é a forma que tem a capacidade de um grande impulso, assim como um ataque único que cria um campo elétrico contínuo em torno do corpo do protagonista.

Screenshots

As screenshots abaixo foram tiradas da versão de arcade do Magician Lord e foram ampliadas. A resolução original é raster, 304 x 224 pixels (horizontal) com 4096 cores:

Vídeo

Abaixo, temos o gameplay do Magician Lord em um vídeo foi produzido e publicado pelo canal Defenestrando Jogos. Ele também nos trouxe muitas informações e curiosidades sobre o título, e várias das informações usadas neste post foram retirados dele.

Curiosidades

  • Este é o primeiro jogo da Alpha Denshi para o hardware SNK Neo Geo, sendo o primeiro game que usou as capacidades de “zoom” e “stretching” do equipamento;
  • Na época, Magician Lord foi o game mais desejado do Neo Geo. Todas as avaliações de revistas foram muito positivas. Hoje em dia, é um dos games mais baratos do console.

Ikari Warriors [Online]

19 de agosto de 2017
Ikari Warriors [Online]

Esta é versão do Ikari Warriors do Nintendinho 8-bit pronta para ser jogada online, no seu browser, sem necessidade de download, instalação etc.

Conhecido simplesmente por 怒 (Ikari, ou “ódio”) no Japão, Ikari Warriors foi o primeiro grande lançamento da SNK nos EUA, tornando-se um clássico imediatamente. Este run and gun/shoot ’em up foi uma resposta ao Commando, um grande sucesso da época (meados dos anos 80), porém, Ikari Warriors trouxe inovações em relação a este game que o superaram e impactaram o mercado de forma indelével.

Controles

  • Enter: Botão Start
  • CTRL: Botão Select
  • Setinhas: Movimentar
  • Z: Botão A (Atira)
  • X: Botão B (Granada)

Saiba Mais

Clique Aqui Para Jogar

NAM-1975

18 de julho de 2017
NAM-1975

NAM-1975 é um jogo de tiro da SNK lançado em 26 de abril de 1990, originalmente, para os fliperamas. O game contém temática da Guerra do Vietnã e foi o primeiro game lançado para as plataformas Neo Geo caseiras e de arcade.

O NAM-1975 foi portado para o Neo Geo (1991), Neo Geo CD (1994), Virtual Console (2013) e Nintendo Switch (2007).

Enredo

“O rugido dos helicópteros nos leva de volta à realidade. Nunca esqueceremos o pesadelo que foi aquele verão…” Estas foram as frases que começaram a história de Silver e Brown, os protagonistas do NAM-1975.

O jogo se passa numa versão bastante fictícia dos últimos meses da Guerra do Vietnã, com a sua história começando com os dois veteranos entrando na guerra para resgatar o Dr. R. Muckly, um ex-cientista do Exército Americano. Ele foi sequestrado por terroristas da Northside. Nancy Muckly, a filha do Dr. Muckly também foi seqüestrada e presume-se estar presa no interior do Vietnã.

No entanto, à medida que o jogo avança, os exércitos descobrem que o Dr. R. Muckly está louco e está construindo um gigantesco canhão a laser para assumir o controle do mundo (o que é a batalha final do game). Apesar do intenso poder de fogo do canhão a laser, as tropas derrotam o Dr. Muckly e salvam o mundo. Entretanto, a guerra continua no Vietnã…

Gameplay

NAM-1975 pode ser jogado por até dois jogadores ao mesmo tempo que podem assumir o controle dos dois veteranos do Vietnã. Estes devem abrir caminho através de uma série de níveis abarrotados de inimigos.

Os protagonistas podem-se movimentar para um lado e para o outro, executar saltos mortais para evitar o fogo inimigo e usar sua arma para atacá-los. Se o botão A estiver pressionado, a mira é movimentada pela tela através do direcional. Caso contrário, o direcional movimenta os personagens. Estes também podem atirar granadas com o botão B e correr pressionando o botão C. Se durante a corrida, o direcional for colocado na diagonal, o soldado dá um mortal para tentar evadir os ataques e ser morto..

Existe um grande número de armas mais poderosas que podem ser encontradas durante as missões. Granadas e lança-chamas são dropados pelos inimigos abatidos, podendo ser recolhidas e usadas. Os pontos de bônus também aparecem deste modo durante o game.

A batalha final contra o canhão a laser do Dr. Mucky ficou infame devido a impossibilidade de usar continues caso os personagens morram.

Vídeo

O vídeo abaixo produzido e narrado pelo canal Defenestrando Jogos. Ele mostra o seu gameplay e compartilha várias das informações que usamos para montar este post:

Screenshots

As screenshots abaixo foram tiradas da versão de arcade do NAM-1975 e foram ampliadas. A resolução original do game é 304×224 pixel, com paleta de 4096 cores:

Curiosidades

  • Este foi o primeiro jogo desenvolvido para o hardware do Neo Geo MVS;
  • NAM-1975 é claramente influenciado pelo Cabal, desenvolvido pela TAD Corp e lançado em setembro de 1988, pela Taito. Há quem diga que é um plágio descarado;
  • Outra das influências de NAM-1975 foi o filme Nascido Para Matar (Full Metal Jacket), de 1987 e dirigido por Stanley Kubrick. Há várias referências, como o soldado gritando na introdução com o “Born To Kill”, escrito no capacete, e uma senhora vietnamita com uma AK-47 (que é visto perto do final do filme);
  • Também há outras referências a outros filmes famosos sobre a Guerra do Vietnã, como o Apocalypse Now (1979) de Francis Ford Coppola;
  • Os cartuchos lançados na Europa foram censurados devido a uma mulher na arte da capa vestida de forma indecente. Vários cartuchos vinham com uma tarja preta para cobrir a mina.

Robo Army

22 de Maio de 2017
Robo Army

Robo Army é um beat ’em up desenvolvido pela Irem e lançado para os arcades no dia 30 de outubro de 1991, no Japão, pela SNK. Ele apresenta personagens cibernéticos rebeldes que lutam contra um exército de ciborgues que domina o mundo.

Não é um game muito famoso, sendo foi apenas para os consoles Neo-Geo (1991) e CD Neo-Geo (1995). Era para ter uma sequência, Robo Army II, mas esta foi, aparentemente, cancelada.

Um dos motivos da falta de atenção para o jogo pode ter sido a sua jogabilidade, relativamente péssima. O jeito que os inimigos te atingem, por exemplo, realmente irrita e, às vezes, e os golpes parecem não acertar direito. Isso é algo que não pode acontecer nos jogos deste gênero.

Pelo menos, os gráficos de Robo Army são muito bons, bem coloridos e detalhados, algo com o que a SNK não parecia poupar esforços na época.

Eu notei algumas semelhanças no enredo e alguns elementos deste jogo no Cyborg Justice (1993), do Mega Drive, mas não sei dizer se são coincidências.

Enredo

Em um mundo cheio de caos e destruição, um novo poder obscuro governa a terra. O exército cibernético chamado de Hell Jeed veio com um único objetivo, criar cidades cibernéticas. Milhares de robô infestam as cidades onde nenhum ser humano pode ser encontrado.

A hostilidade foi tanta que houve um genocídio, com os cérebros humanos sendo utilizados para equipar os novos soldados. A invasão do exército cibernético colocava medo na população das grandes cidades e apenas poucos afortunados conseguiram fugir para salvar suas vidas. Desamparado, o mundo parecia condenado e o fim da humanidade parecia certo

Entretanto, felizmente, a esperança não estava perdida. Maxima e Rocky, dois ciborgues que não tiveram o chip de obediência implantado em seus corpos, se rebelaram e podem devolver a paz ao planeta. Será que o Hell Jeed irá dominar o mundo ou seus planos serão frustrados pelos protagonistas?

Gameplay

O jogo, como dissemos, é um beat ’em up, onde os jogadores (pode ser jogado por até dois humanos cooperativamente) enfrentam um grande número de inimigos. Os controles usam três dos quatro botões padrão do Neo-Geo. O A é usado para atacar, B é usado para saltar e C é usado para os especiais.

Algumas vezes, os inimigos destruídos deixam partes que podem ser recolhidas e serem usadas como armas, assim como alguns itens que aparecem pelas fases, como barris e veículos.

Além dos golpes normais, combinações, armas e especiais, os personagens podem se transformar em um veículo futurista e correr pra cima dos inimigos.

Vídeos

O vídeo com o gameplay do Robo Army abaixo foi feito pelo canal Defenestrando Jogos. O conteúdo foi apresentado de um modo bastante descontraído e informativo, como o de costume, e muitos dos dados que usamos para criar este post foram tirados do próprio vídeo:

Já o vídeo abaixo mostra apenas um trecho do game que gravamos de bobeira:

Screenshots

Curiosidades

  • Rocky aparece como um outro striker de Maxima no The King of Fighters 2000. Ele teria aparecido durante os estágios de planejamento do King of Fighters ´99, na equipe Robo Army, mas a ideia foi abandonada. De qualquer maneira, resolveram deixá-lo assim para o próximo game da série como um tributo ao game.
  • Uma versão da explosão de energia aparece no jogo The King of Fighters como o super golpe de Maxima, praticamente dando a entender que ele e o coronel Maxima do jogo Robo Army são a mesma pessoa.

Street Smart

25 de Abril de 2017
Street Smart

Street Smart (ストリートスマート) é um antigo jogo de luta da SNK, lançado em agosto de 1989 para os fliperamas. O jogo, que tem como objetivo ganhar dinheiro, garotas e fama nas lutas de rua, apresenta elementos, trilhas sonoras e personagens que consagrariam, mais tarde, os games desta firma.

Aliás, é bem provável que todos os games de luta da SNK surgiram do Street Smart. Dificilmente, os elementos apresentados nele são coincidências… Certamente, a firma requentou os personagens para os seus jogos subsequentes. Não que isso seja algo ruim, é só um detalhe interessante sobre o título.

O Street Smart foi bem recebido pela crítica, apesar da sua jogabilidade ter sido considerada estranha, à primeira vista. Na verdade, tem uma boa jogabilidade, sendo um jogo divertido, apesar de ser ainda muito simples, se comparado com títulos que surgiriam depois.

Eventualmente, o jogo foi portado, em 1991, para o Mega Drive (Genesis). Tal versão foi desenvolvida e lançada pela Treco, com algumas diferenças no gameplay e gráficos em relação à original. Em 2011, o game foi incluído na compilação SNK Arcade Classics Vol 1 (SNK Arcade Classics Vol 0, no Japão).

Gameplay

O Street Smart é um beat ’em up onde os jogadores (pode ser jogado por dois ao mesmo tempo) podem se movimentar em 8 direções em uma arena, chutando ou socando seus inimigos. Embora o game não conte com nenhum tipo de especial, você pode combinar saltos e chutes para dar uns golpes diferentes, porém não são poderosos. O game inova com um sistema de combo bastante simples, porém, consta que é o primeiro a ter esta funcionalidade.

Os inimigos são bem difíceis de matar. Eles tem muita energia e arrancam muito da sua.

Ao contrário da maioria dos jogos deste gênero, os personagens lutam em uma arena fechada, com o jogador podendo escolher entre o veloz Karate-Man (que parece com o Takuma, do Art of Fighting) e o forte Wrestler (que parece com o Terry Bogard, do Fatal Fury).

O seu multiplayer é cooperativo, na hora que um segundo personagem entra no jogo. A partir daí, tem os dois enfrentando dois uma dupla de oponentes e depois se enfrentando, na Grudge Match, pra determinar quem vai ganhar pontos e vidas de bônus. A diferença é que os dois jogadores podem continuar assim até o fim do game, se enfrentando depois das lutas contra o computador mas sem dar game over pro perdedor.

Oponentes

  • “Slippery” Sam Santana (38 anos; 205lb*);
  • “Tiptoes” Tommy (45 anos; 310lb);
  • Jake “The Wrench” (40 anos; 185lb);
  • Larry “Legbreaker” Lubinski (19 anos; 220lb);
  • Antonio “Crybaby” Palermo (25 anos; 265lb);
  • Mike “The Muscle” McDermit (30 anos; 290lb);
  • Bobby Brown (21 anos; 175lb).

*1kg = 2.20462lb

Screenshots

Vídeo

O vídeo abaixo foi feito pelo canal Defenestrando Jogos que, além de mostrar um pouco do gameplay do peculiar título, traz também várias informações sobre o mesmo. Alguns dos dados deste post foram tirados deste vídeo:

Ninja Combat

18 de Abril de 2017
Ninja Combat

Ninja Combat é um jogo de luta estilo beat´n up com rolagem lateral desenvolvido pela Alpha Denshi e lançado pela SNK em 1990, primeiramente, para os fliperamas.

O Ninja Combat foi portado, posteriormente, para os sistemas: Neo-Geo (1991), Neo-Geo CD (1994), PlayStation 2, Nintendo Wii e Virtual Console (2007).

Screenshots

As screenshots abaixo foram tiradas da versão de fliperama do Ninja Combat:

Vídeo

O vídeo abaixo foi produzido pelo canal Defenestrando Jogos, e conta com muitas informações e curiosidades a respeito deste game, as quais usamos para montar esta publicação, além de mostrar o gameplay do mesmo:

Enredo

No final da década de 90, dois guerreiros ninjas gêmeos conhecidos por Joe e Hayabusa (seriam uma referência a Joe Musashi e Ryu Hayabusa?) estão travando uma batalha contra um clã ninja maligno. Eles tem como missão lutar contra a Kage Ichizou em sua fortaleza, a Torre Ninja, que surgiu a partir da baia de Nova York e mandar, de uma vez por todas, o demônio Genyousai para as profundezas. Dois guerreiros ninja gêmeos conhecidos por Joe e Hayabusa.

No decorrer da jornada, quando alguns inimigos forem derrotados, eles passarão a lutar ao seu lado. São três dos subchefes: Musashi, Kagerow e Gembu, que tornam-se personagens opcionais ao terminar cada estágio.

Gameplay

Como já dissemos, o Ninja Combat é um beat ’em up. Ele conta com armas que podem ser recolhidas pelos dois heróis principais e usadas, como nunchakus, maças, machados e katanas. Também tem combinação de ataques e golpes especiais, como um ataque com mortal onde vários oponentes são atacados ao mesmo tempo e um grande dragão que é conjurado para destruir todos os inimigos da tela.

Os jogadores (pode ser jogado por duas pessoas em cooperação) controlam os protagonistas enquanto eles abrem caminho através de um parque de diversão, enfrentando uma imensa horda de lacaios do clã maligno e seus líderes.

Além dos dois heróis principais, Joe e Hayabusa, alguns subchefes se tornam selecionáveis depois de aparecerem, Musashi, Kagerow e Gembu.

Curiosidades

  • Ninja Combat foi o nono jogo lançado para o sistema MVS da SNK.
  • Apenas os 2 jogadores principais, Joe e Hayabusa, podem recolher as armas especiais, como espadas, machadinhas e maças. Os outros três jogadores (Musashi, Kagerow e Gembu), que se tornam selecionáveis depois de aparecer como subchefes, não. Para descartar uma arma especial que você pegou, pressione o botão B (pulo).
  • O jogo tem uma grande semelhança com o clássico Gang Wars, de 1989. Também criado pela ADK e distribuído pela SNK nos fliperamas, ele manteve a aparência de um jogo para outro mas com algumas melhorias técnicas que a placa MVS oferecia.

 

Alpha Mission II

28 de Março de 2017
Alpha Mission II

Alpha Mission II, também conhecido como ASO II: Last Guardian, é um shoot ’em up lançado pela SNK, originalmente para os arcades, em março de 1991.

Trata-se da continuação do Alpha Mission, ou ASO: Armored Scrum Object, de 1985. Em Alpha Mission II, as naves espaciais ASO tem que defender os seres humanos do ataque de alienígenas hostis, mais uma vez.

Posteriormente, o Alpha Mission II foi portado para outros sistemas: Neo-Geo (1991), o Neo-Geo CD (1994) e pro Sony PlayStation Store (2010).

Gameplay

Como no primeiro ASO, um game da época do Xevious e bastante parecido com ele, Alpha Mission II é um shmup vertical de tela cheia onde o jogador controla aeronaves que contam com armamentos variáveis, que consistem de lasers ar-ar, mísseis ar-solo e outras armas de destruição em massa, como nukes. As armas comuns podem ser melhoradas com power-ups que são recolhidos durante o jogo até quatro vezes, e com as Power Weapons, compradas no fim de cada fase ou depois de recolher três peças do mesmo tipo de armadura. Tem também vários outros itens que podem ser recolhidos nas fases que garantem efeitos diferentes, como andar de trás pra frente.

O game pode ser jogado até por duas pessoas ao mesmo tempo, e se algum deles tomar um tiro ou colidir, ele perde uma vida.

Vídeo

O vídeo que nos mostra o gameplay do Alpha Mission II foi produzido e narrado pelo canal Defenestrando Jogos que, além de mostrar um pouco de como o game é, também oferece interessantes informações sobre o mesmo.

Algumas destas informações foram tiradas para montar a publicação do game em nosso site:

Screenshots

Riding Hero

25 de Março de 2017
Riding Hero

Riding Hero é um jogo de corrida de motocicletas desenvolvido e lançado pela SNK em julho de 1990, nos fliperamas japoneses.

O game depois foi portado para os consoles Neo-Geo (1991) e Neo-Geo CD (1995).

Enredo

Uma corrida alucinante espera por você para conquistar o Grand Prix Mundial de motovelocidade! Depois de obter a licença internacional, um jovem piloto deve batalhar para abrir o seu caminho até a corrida de 8 horas de Suzuka.

Gameplay

O Riding Hero, a princípio, parece com o clássico Hang-On da Sega, em sua versão de fliperama ou de Mega Drive (Super Hang-On) porém com uma pista menor. Conta com controles relativamente simples, sendo usadas apenas três teclas, uma para acelerar, frear e usar o turbo (quando disponível). Entretanto, os controles as vezes são imprecisos, tornando difícil manter-se na pista. Também apresenta uns erros de colisão, o que pode tornar o game meio complicado.

Riding Hero também conta com três modos de jogo diferentes:

  • Modo WGP (World Grand Prix): O modo arcade clássico onde você tem que vencer uma série de corridas, chegando à linha de chegada dentro de um certo limite de tempo.
  • Story Mode (Modo História): Neste modo, que conta com elementos de RPG, o piloto vai crescendo gradualmente até as 8 horas de Suzuka. Além de disputar as provas, o jogador deve cuidar do estado de saúde do motorista e deve comprar motocicletas cada vez mais poderosas, para melhorar seu desempenho.
  • Multi Play Mode (Multiplayer): Os gabinetes do Riding Hero podem ser conectados uns aos outros, permitindo que dois jogadores se desafiem na corrida.

Screenshots

Vídeo

O vídeo abaixo é do canal Defenestrando Jogos. Além de mostrar um pouco do gameplay do Riding Hero, ele fornece uma série de informações, muitas das quais usamos para montar esta publicação:

Curiosidades

  • O Riding Hero é o primeiro jogo do Neo-Geo a disponibilizar a funcionalidade Multi Play, que citamos acima, onde um gabinete do jogo podia ser ligado no outro para que os jogadores pudessem competir entre si.

Eightman

20 de Março de 2017
Eightman

Eightman é um jogo de luta que mistura beat ’em up e plataforma, com rolagem horizontal, desenvolvido pela Pallas e lançado em setembro de 1991, pela SNK.

O game é baseado no antigo anime e mangá do 8 Man (8マン), um Shōnen dos anos 60 escrito por Kazumasa Hirai, desenhado por Jiro Kuwata e que dizem ser a inspiração do clássico RoboCop.

Eightman, que foi lançado em para os fliperamas do sistema Neo-Geo, foi portado para o console Neo-Geo no mês seguinte ao seu lançamento original, em novembro de 1991.

Enredo

Após o detetive Yokoda ser assassinado por criminosos, seu corpo é achado pelo Professor Tani, que o leva para seu laboratório, onde ele faz um experimento que falhou sete vezes. Yokoda se torna o mais novo elemento a ter sua vida transferida para um corpo androide e, pela primeira vez, o experimento é bem sucedido. Assim, Yokoda renasce como o andróide conhecido como 8 Man, capaz de correr em velocidades impossíveis e mudar sua forma, para se passar por outras pessoas. Ele se transforma em Yokoda, desta vez se batizando como “Hachiro Azuma”. Ele mantém tudo em segredo, algo que só era conhecido por Tani e seu chefe de polícia Tanaka. Até sua namorada, Sachiko, e amigo Ichiro não sabem que ele é um androide. Como 8 Man, Hachiro luta contra o crime e leva seus assassinos à justiça.

Gameplay

Como dissemos, o Eightman é uma mistura de beat ’em up com plataforma, embora focando mais no primeiro gênero. Nele, os jogadores (pode ser jogado por dois ao mesmo tempo), enfrentam uma grande quantidade de inimigos horizontalmente (só se move na esquerda ou direita), podendo saltar para plataformas, recolher power-ups e combinar golpes. Tem também especiais e outros elementos típicos dos beat ’em ups.

Vídeo

Para mostrar o gameplay do Eightman, vamos adicionar este vídeo tirado do excelente canal Defenestrando Jogos, aqui. Este mostra, além de um pouco do game, muitas informações, as quais tiramos e adaptamos nesta publicação.

Screenshots

no images were found

Curiosidades

  • Como dissemos, este jogo é baseado em uma série de desenho animado japonês dos anos 60, embora com os personagens não se parecendo exatamente como o Eightman tradicional;
  • O mangá foi publicado na Weekly Shonen Magazine, de 1963 à 1966;
  • A série animada, produzida pela Eiken com TCJ Animation Center, foi transmitida na Tokyo Broadcasting System, de 17 de Novembro de 1963 à 31 de Dezembro de 1964, com um total de 56 episódios, mais o episódio especial de despedida, “Goodbye, Eightman“;
  • O jogo manteve o conceito de um super robô combatente do crime, porém a crítica não gostou muito, afirmando que era tedioso e forçando muito a gimmick da supervelocidade do herói. Já o Celso, do Defenestrando Jogos, falou que é um beat ’em up bom, algo que ele raramente fala dos títulos deste gênero lançados pela SNK.

Ghost Pilots

13 de Março de 2017
Ghost Pilots

Ghost Pilots é um obscuro jogo de tiro shoot ’em up de rolagem vertical lançado pela SNK, originalmente para os arcades, em 25 de janeiro de 1991. Ele conta com gameplay, estilo e elementos semelhantes aos jogos da série 19XX, da Capcom.

Ele faz parte de uma série de games, composto de, além do Ghost Pilots, do Sky Adventure (1989) e do Ghost Pilots (1991).

O jogo tem uma boa jogabilidade e bons gráficos, e foi portado, posteriormente, para o Neo-Geo e o CD Neo-Geo.

Enredo

Durante a Segunda Guerra Mundial, um general nazista ambicioso enviou suas forças contra os Aliados. Dois formidáveis pilotos freelancers, Tom Phillips e Charlie Singley, conhecidos como Ghosts Pilots (Os Pilotos Fantasmas), partem em seus hidroaviões para combater as forças do Eixo frente a frente.

Screenshots

Vídeo

O vídeo abaixo que mostra o gameplay do Ghost Pilots é do canal Defenestrando Jogos. É bem agradável de assistir, informativo e foi publicado, originalmente, no dia 1 de dezembro de 2016.

A maioria das informações desta publicação foi tirada do próprio, que exibe a versão de fliperama do game:

Gameplay

O game, que pode ser jogado por um ou por dois jogadores ao mesmo tempo, é bem difícil, mesmo no nível de dificuldade mais fácil.

Diferentemente da maioria dos jogos do gênero até na época em que foi lançado, o veículo controlado pelo jogador é um hidroavião, em vez de alguma nave espacial ou avião de combate. O jogador pode escolher os tipos de bombas para este hidroavião, afim de lutar contra outros aeroplanos, tanques, navios de guerra e muitas outras unidades.

Ao longo do caminho, power-ups podem ser coletados para melhorar o poder de fogo, medalhas em forma de estrela podem ser recolhidas aumentar a pontuação e bombas podem ser adicionadas ao inventário, podendo ser acumuladas num máximo de nove unidades.

Na primeira e na última fases, o jogador tem a opção de iniciar com a mega bomba ou a ogiva magnética. Na fase do mar, o jogador também tem a escolha da bomba de chama de gás. Na fase de ataque aéreo, o jogador também tem a opção de minas aéreas. Se dois jogadores estiverem presentes na partida, ambos não podem escolher o mesmo tipo de bomba.

Todo segmento do game tem um chefão que varia entre bombardeiros jumbo, enormes tanques e outras grandes máquinas de guerra. O jogador tem de visar os pontos fracos dos chefões para destruí-los. Alguns chefes disparam bolas de fogo perigosas que se dividem quando atingidas pelos disparos do jogador, tornando a batalha mais difícil.

O primeiro estágio é dividido em duas partes, o que significa que não há checkpoints no meio da fase. Quando se atinge um checkpoint, a pontuação geral é contabilizada. Após a primeira etapa, o jogador pode optar por fazer ou o estágio do ataque marítimo ou ir para a fase do ataque aéreo. O estágio do ataque marítimo consiste principalmente de unidades marítimas e terrestres, enquanto a fase de ataque aéreo é composta por uma maioria de unidades aéreas. Se o jogador passar por estas fases, a última etapa é liberada e, em seguida, ele irá enfrentar um tanque do tamanho de uma cidade para ganhar o jogo.

King of the Monsters

8 de Fevereiro de 2017
King of the Monsters

King of the Monsters é um jogo de luta desenvolvido pela SNK e lançado para os arcades, em 1991, que apresenta uns monstros gigantescos, no melhor estilo kaiju ou tokusatsu, se enfrentando num monstruoso torneio de prowrestling (ou luta livre, telecatch etc). E fazem isso, é claro, enquanto destroem as cidades japonesas.

O game apresenta belos gráficos pra época, um cenário bem interativo (com os esforços inúteis dos humanos ao tentar destruir os monstros, nos detalhes) e personagens interessantes, porém a jogabilidade não ajuda. Este ponto fraco é o que, provavelmente, impediu o King of the Monsters de ter sido um grande sucesso, levando em conta a qualidade dos recursos do game.

Apesar disso, ele rendeu uma sequência, o King of the Monsters 2 – The Next Thing, e uma boa quantidade de ports, ganhando versões para Neo-Geo, Super Nintendo, Mega Drive, PlayStation 2, PSP,  PC e Nintendo Wii.

Particularmente, eu me lembro que esse jogo era massa, mas era papa ficha. Eu alugava o Rampage pra jogar no Master System só porque eu me empolguei com o King of the Monsters e não tinha como ir toda hora no fliperama ao meu bel prazer. Na época, eu era novo, não tinha dinheiro e ainda não existiam emuladores e a gente se virava com jogos similares, só pra ficar relembrando e esperando a hora de voltar pro fliper e matar a saudade.

Vídeo

O vídeo com o gameplay acima foi feito e narrado pelo Celso Affini, do canal Defenestrando Jogos, quem, embora não goste muito deste título, nos forneceu algumas informações interessantes e curiosidades sobre o game, que foi uma das fontes para este nosso post.

Screenshots

Gameplay

Os jogadores escolhem um dos seis monstros (4 nos ports para sistemas 16-bit) para lutar, com dois jogadores podendo se unir para lutar contra os monstros juntos. Os combates terminam quando um dos monstros é subjugado no solo (como na luta livre) por três segundos ou o tempo acabe. No segundo caso, o jogador perde também.

O game apresenta 12 fases no total (8 nos ports para 16-bit) onde o jogador tem que derrotar todos os seis monstros, com o último sendo ele mesmo mas com uma cor diferente (palette swap). Daí, o jogador tem que enfrentar todos os monstros de novo, na mesma ordem, mas em cidades diferentes.

Curiosidades

  • A série King of Monsters, apesar de esquecida depois do segundo game, teve seus personagens reaparecendo em 2005, quando a SNK Playmore lançou o Neo Geo Battle Coliseum, um jogo de luta com vários dos personagens populares da firma. Cyber Woo, Yuki, Ai e Atomic Guy, além de duas fases do King of Monsters, aparecem neste game.
  • Atomic Guy (Atomic Gai), Super Geon (Super Zion) e o Cyber Woo aparecem em cartas do jogo SNK vs Capcom: Card Fighters DS, de 2006.
  • O game foi incluido no SNK Arcade Classics Vol. 1,o que levou a várias artes raras da produção do King of Monsters serem apresentadas no disco.
  • O King of Monsters era apresentado regularmente no programa televisivo Nick Arcade, da Nickelodeon. O game era, geralmente, escolhido em detrimento de outros títulos populares, como ActRaiser, Super Ghouls ‘n Ghosts e El Viento. Isso acontecia também nas primeiras transmissões do programa Games World, exibido pela Sky1.

Sobre o download

Temos para download a versão para PCs do King of Fighters no GOG, pronta para rodar nos sistemas operacionais modernos: Windows 7/8/10, Mac OS X (10.9+) e Linux (Ubuntu 14.04, Ubuntu 16.04) .

site ou autor do arquivo SNK tamanho do arquivo 41MB licencaUS$3,16 sistemas operacionais compativeisWindows, Mac e Linux Download

Sengoku

19 de Janeiro de 2017
Sengoku

Sengoku é um antigo beat ’em up da SNK que foi lançado no ano de 1991, originalmente para os arcades, que conta com interessantes personagens, enredo e bons gráficos. O jogo não apresenta uma jogabilidade satisfatória, como a maioria dos games do gênero desenvolvidos pela firma, na época.

Não foi exatamente bem recebido pela crítica, embora tenham reconhecido a característica dos protagonistas poderem se transformar em outros personagens como um conceito interessante. Apesar disso, Sengoku teve sucesso suficiente para gerar uma uma série games de mesmo nome, sendo seguido de Sengoku 2 e Sengoku 3.

Sengoku também foi portado para os seguintes sistemas: Neo-Geo, Super NES/Super Famicom, Sega CD (Mega-CD), Neo-Geo CD, PlayStation 2, Sony PSP e Nintendo Wii.

Enredo

Há séculos, um guerreiro cruel e insanamente tirânico foi derrotado pelos dois samurais de elite, mas jurou retornar no futuro. Quando ele cumpre sua promessa, ele libera forças de guerreiros japoneses feudais mortos-vivos para destruir o mundo e seu povo. A este Shogun das Trevas só se opõem dois guerreiros dotados de dons espirituais, um ninja e um vaqueiro ocidental (chamados Dan e Bill na versão de SNES), que descobrem ser descendentes dos samurais da elite que derrotaram o caudilho séculos atrás. Eles também tem a capacidade de se transformar em diferentes lutadores como um Samurai, um cachorro e um ninja.

Gameplay

O beat ’em up pode ser jogado por 1 ou 2 jogadores, simultaneamente, cada um com o máximo de seis pontos de vida. Quando alguns inimigos são derrotados, uns orbes surgem que servem para transformar os protagonistas. Tais formas tem um uso limitado, mas seus ataques e saltos diferem da forma original e seus poderes são aprimorados na medida em que coletam os power-ups.

Ao longo do jogo, os jogadores precisarão sobreviver às hordas de inimigos, coletando orbes coloridos. Cinco orbes verdes curam um ponto de vida. O vermelho dá ao jogador uma única espada, o ciano dá ao jogador uma espada dupla, o roxo dá ao jogador uma espada santa com duas mãos e o orbe amarelo dá ao jogador um ataque mágico limitado.

Screenshots

Vídeo

O vídeo abaixo é um dos excelentes e antigos publicados pelo canal Defenestrando Jogos, onde o Celso não apenas narra o gameplay mas também compartilha uma série de informações e curiosidades relevantes sobre o game. Nós usamos várias destas informações para montar este post.

O melhor é que, ao invés de bancar o débil mental, como acontece na maioria dos outros canais de games.

Curiosidades

  • Este jogo é conhecido no Japão como “Sengoku Densyo“, o que pode ser traduzido diretamente do japonês como Tradição na Guerra Civil;
  • O jogo inclui diferentes itens com diferentes cores que mudam os ataques especiais;
  • Na segunda fase, há uma loja chamada “Boutique Athena”, no fundo, sendo possível ver o logotipo original do Athena, um jogo de plataforma da SNK de 1986.

Dicas e Trapaças

  • Segure o botão de ataque por alguns segundos para lançar uma explosão de energia a partir do punho do jogador.
  • Há alguns samurais cujas as espadas podem ser quebradas se o jogador apertar o botão de ataque repetidas vezes. Lembre-se que este truque só pode ser feito quando o jogador está em sua forma normal e de mãos vazias (sem power-ups).

Fatal Fury: King of Fighters (1991)

8 de dezembro de 2016
Fatal Fury: King of Fighters (1991)

Fatal Fury: King of Fighters, chamado também apenas de Fatal Fury,é o primeiro game da popular e clássica série de jogos de luta da SNK. O jogo foi lançado em novembro de 1991, no Japão, para o sistema Neo Geo de consoles e arcade, originalmente.

Um dois mais conhecidos títulos do gênero de todos os tempos, o Fatal Fury permite os jogadores a escolher um dos três personagens, Terry Bogard, Andy Bogard e Higashi, para lutar contra oito personagens controlados pelo computador, sendo os últimos oponentes o Billy Kane e o Geese Howard. Quando um jogador secundário entra, ele tem a opção de jogar cooperativamente ou contra o primeiro jogador.

O sucesso do game justificou os seus vários ports. Além do fliperama, o Fatal Fury teve versões para o Neo Geo CD, Mega Drive, SNES, Neo Geo, PC Engine, Game Boy, X68000, Sega CD, Game Gear, FM Towns, Sega Saturn, Windows, PlayStation, Neo Geo Pocket Color, Dreamcast, PlayStation 2, Virtual Console, Xbox Live Arcade, Nintendo Wii e Sony PSP.

Além dos ports, também abriu espaço para uma porrada de outros games de luta da SNK, não apenas da série Fatal Fury, mas outras de franquias, como The King of Fighters, Samurai Shodown e World Heroes.

Enredo

Vários anos atrás, dois jovens chamados Geese Howard e Jeff Bogard estavam sendo treinados por um mestre das artes marciais chamado Tung Fu Rue, na cidade na costa oeste americana conhecida como Southtown.

Geese sonhava em explorar os seus ensinamentos para ganhar influência sobre o crime em Southtown, algo que Tung Fu Rue não aprovava, mas, apesar disto,continua a ensinar Geese com desejo de alcançar o coração de seu pupilo. Quando Tung decidiu fazer seu sucessor Jeff e não Gesse, o mesmo desenvolveu ressentimento em relação a ambos os homens e, depois, de se tornar comissário de polícia Southtown, ele matou Jeff a sangue frio.

Este evento foi testemunhado pelos seus dois filhos adotivos, Terry e Andy Bogard. Tung Fu Rue levaria Terry para criá-lo e treiná-lo, enquanto o outro irmão, Andy, foi enviado ao Japão para aprender artes marciais de Hanzo Shiranui. Anos mais tarde, os dois irmãos entram no campeonato The King of Fighters com o objetivo de confrontar o assassino e vingar a morte de seu pai.

Vídeo

O vídeo abaixo é do canal Defenestrando Jogos, sempre bem informativo e bem humorado, mas sem palhaçadas irritantes, e várias informações desta publicação foram retiradas e adaptadas do próprio. Foi publicado, originalmente, no dia 28 de janeiro de 2016.

Screenshots

Curiosidades

  • Trigésimo terceiro jogo do sistema Neo Geo, o Fatal Fury: King of Fighters é conhecido no Japão como “Garou Densetsu – Shukumei no Tatakai” (traduzido do japonês como “Legend of Hungry Wolf – Battle of Destiny”).
  • Originalmente, o game era chamado de “Real Bout”, mas a SNK optou por alterar seu título para “Fatal Fury”. Podemos ver o título original do jogo na bandeira de uma loja no fundo do cenário de Hwa Jai, “Real Bout Shop”.
  • De acordo com o flyer americano, o nome do jogo é “Fatal Fury – The Battle of Fury” mas, na tela título dentro do jogo, aparece “Fatal Fury – King of Fighters”.
  • O nome oficial do torneio é “The King of Fighters”. Isso pode ser visto se você olhar de perto o cartaz visto na tabela de pontuação. Mais tarde, a SNK usaria esse nome para um jogo aonde vários personagens da empresa se enfrentariam em dream matches.
  • A música que toca durante a luta entre dois jogadores é a mesma da primeira fase do jogo “Street Smart“.
  • Este é o primeiro jogo que contou com um dos lutadores mais famosos da SNK, Terry Bogard, quem, ao longo dos anos, tem aparecido em muitos jogos, geralmente vestindo sua jaqueta familiar com uma estrela em suas costas e um boné na cabeça. No entanto, o que está em seu boné é diferente, provavelmente porque ele atira tantos deles, mas isso é uma outra história. Na maioria dos jogos, ele usa um boné vermelho com uma parte em branco com alguns dizeres, como “Wild Running”. Em outros, têm o logotipo da Neo Geo, mas a frase comumente aceita como padrão é “Fatal Fury”, mesmo.
  • Terry Bogard aparece em “Quiz King of Fighters“, como personagem selecionável.
  • Este jogo foi um sucesso tão grande no Japão que uma animação foi lançada com a assinatura de Masami Obari como desenhista. O enredo deste filme é bastante fiel ao enredo principal do jogo e todos os seus personagens tem destaque. Foi lançado nos EUA por cortesia da Viz Vídeo, uma divisão da Viz Comics.
  • A versão japonesa apresenta muitas diferenças na listas de movimento para os três personagens principais (Assim como em King of Fighters, Terry, Andy e Joe possuem movimentos claramente baseados na versão japonesa do jogo). Todas as outras versões apresentam comandos de joystick muito simplificados de seus movimentos conhecidos como Fatal Blows.
  • Embora, muitas vezes, esse jogo receba o título de clone do Street Fighter II, Fatal Fury estava em desenvolvimento ao mesmo tempo do clássico da Capcom. Além do mais, todas as operações dos jogos de luta da SNK foram dirigidas por Takashi Nishiyama e Hiroshi Matsumoto, que, anteriormente, participaram da criação do primeiro Street Fighter para Capcom, em 1987. Então, as semelhanças do jogo são o resultado de eles serem diferentes reinterpretações da mesma fonte. Takashi Nishiyama, diretor do Street Fighter, se refere a Fatal Fury como “meu Street Fighter II”.
  • Fatal Fury é, provavelmente, mais conhecido pela introdução do sistema multiplanos, onde as lutas podem se mover entre o fundo e o primeiro plano. Esta é mais uma novidade interessante que o diferencia dos outros jogos de luta da época. Alguns níveis têm apenas um plano. Ataques que normalmente jogam o adversário para o outro plano fazem que o adversário colida com algum tipo de obstáculo no fundo.
  • A SNK teve a ideia absolutamente fantástica de introduzir um modo cooperativo para dois jogadores. Isto significa que dois jogadores podem se juntar para lutar contra um adversário controlado pela CPU ao mesmo tempo, tornando a batalha contra os chefes muito mais fácil, porque eles não podem bloquear em ambos os lados ao mesmo tempo. O modo cooperativo é definitivamente a inovação principal do jogo, e é frustrante o fato de não ter se tornado popular, reaparecendo, brevemente, apenas na série Street Fighter Alpha. Independentemente disso, a ideia foi incrível e definitivamente faz Fatal Fury valer a pena jogar mesmo nos dias de hoje. Depois de cada luta cooperativa contra um chefe, uma luta entre os companheiros de equipe começa e o seu vencedor via continuar no game.

Burning Fight

29 de novembro de 2016
Burning Fight

Burning Fight é um jogo de luta beat ’em up da SNK, lançado em 1991 para os fliperamas, originalmente. O game conta com vários elementos característicos do gênero, em especial, do Final Fight, embora pareça ter sido criado para competir com o clássico Double Dragon, da Technōs.

Além dos arcades, o Burning Fight também contou com versões para o console Neo-Geo, Neo-Geo CD, PlayStation 2, Sony PSP e Nintendo Wii.

Gameplay

Além do enredo típico, onde os personagens encaram uma perigosa quadrilha nas ruas de uma cidade decadente, conta também com objetos para serem recolhidos e usados contra os inimigos, seleção balanceada dos lutadores e cenários com interação parcial, onde os chars podem quebrar telefones públicos ou placas pelo caminho.

Cada um dos personagens tem suas características diferentes, como no The Combatribes: Ryu é rápido mas fraco, Billy é lento mas muito forte e Duke é balanceado.

O game pode ser jogado por 1 ou dois jogadores ao mesmo tempo.

Enredo

Dois renomados detetives de polícia do Departamento de Nova Iorque, Duke e Billy, se unem para combater o crime organizado quando partem no encalço de um perigoso sindicato do crime japonês.

Sua investigação levou-os para as ruas do Japão, em Osaka, onde se encontram com um policial e especialista em artes marciais chamado Ryu. Ele concorda em se juntar aos gaijins para rastrear o chefão do crime e acabar com seu reinado de terror, de uma vez por todas.

Screenshots

Vídeo

O vídeo abaixo foi publicado pelo canal Defenestrando Jogos no dia 8 de dezembro de 2016 e mostra muitas características e curiosidades sobre o game, além do gameplay. Aliás, várias informações deste post foram tiradas do próprio.

Curiosidades

  • Duke, um dos personagens desse jogo aparece como um dos strikes em The King of Fighters 2000;
  • Em The King of Fighters 2002, Duke também faz uma ponta no cenário do México;
  • Em Neo Geo Battle Coliseum, Yuki se envolve em sua própria energia azul e fica com a forma semelhante ao corpo de Duke, executando o executa o golpe Submarine Screw.
  • Seja social e nos siga!

           
  • Páginas

  • Tags Especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2017 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.