Principais Atualizações

Defenestrando Robo Army (1991)

19 de fevereiro de 2017
Defenestrando Robo Army (1991)

Neste vídeo do canal Defenestrando Jogos, você vai conferir o gameplay do Robo Army, apresentado de um modo bastante descontraído e informativo, como o de costume. Muitos dos dados que usamos para criar este post foram tirados do próprio vídeo, como normalmente fazemos nos domingos.

Robo Army é um beat ’em up desenvolvido pela Irem e lançado para os arcades em 30 de outubro de 1991, no Japão, pela SNK. Não é um game muito famoso e foi portado apenas para o console Neo-Geo (1991) e CD Neo-Geo (1995). Era para ter uma sequência, Robo Army II, mas esta foi, aparentemente, cancelada.

Um dos motivos da falta de atenção para o jogo pode ter sido a sua péssima jogabilidade. O jeito que os inimigos te atingem realmente irrita, às vezes, e os golpes parecem não acertar direito. Isso é péssimo nos jogos do gênero.

Pelo menos os gráficos são muito bons, bem coloridos e detalhados, algo com o que a SNK não parecia poupar esforços na época.

Enredo

Em um mundo cheio de caos e destruição, um novo poder obscuro governa a terra. O exército cibernético chamado de Hell Jeed veio com um único objetivo, criar cidades cibernéticas. Milhares de robô infestam as cidades onde nenhum ser humano pode ser encontrado. A hostilidade foi tanta que houve um genocídio, com os cérebros humanos utilizados para equipar os novos soldados. A invasão do exército cibernético colocava medo na população das grandes cidades e apenas poucos afortunados fugiram para salvar suas vidas. Desamparado, o mundo parecia condenado e o fim da humanidade parecia certo. Entretanto, felizmente, a esperança não estava perdida. Maxima e Rocky, dois ciborgues que não tiveram o chip de obediência implantado em seus corpos, podem devolver a paz ao planeta. Será que o Hell Jeed irá dominar o mundo ou ele será detido pelos protagonistas?

Gameplay

O jogo usa três dos quatro botões padrão do Neo-Geo. O A é usado para atacar, B é usado para saltar e C é usado para os especiais. Pode ser jogado por um ou dois jogadores simultaneamente, que podem transformar seus personagens em um carro futurista e correr pra cima dos inimigos.

Curiosidades

  • Rocky aparece como um outro Strike no The King of Fighters 2000.
  • Uma versão da explosão de energia aparece no jogo The King of Fighters como o super golpe de Maxima, praticamente dando a entender que ele e o coronel Maxima do jogo Robo Army são a mesma pessoa.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Cool-Fu Master

18 de fevereiro de 2017
Cool-Fu Master

Em Cool-Fu Master, pelo menos, você é o cara mais popular da escola. Entretanto, chegar até a sala de aula pode ser problemático. As minas não largam do seu pé e os valentões querem te surrar, além de outras distrações que aparecem.

Teste seus reflexos e habilidades, neste jogo de ação com estilo cartunesco, tentando chegar na sala de aula sem se atrasar e sem perder sua fama de legalzão.

Controles

  • →: Continuar correndo
  • ↑: Pular
  • C: Beijar
  • X: Chutar
  • Z: Socar
  • Use a ação correta para cada tipo de desafio.

Clique Aqui Para Jogar

10 mods brasileiros para Doom

17 de fevereiro de 2017
10 mods brasileiros para Doom

Conheça 10 mods brasileiros para Doom que talvez você conhecia mas talvez não sabia que eram brasileiros, na estreia do nossa nova série de vídeos, Gaming DooM.

A proposta dos Gaming DooMs é formar uma série além dos vídeos comuns que a gente já faz sobre o FPS da id Software. Estes vídeos serão narrados e mais descontraídos, falando sobre curiosidades ensinando alguma coisa sobre algum mod etc.

O primeiro Gaming DooM fala um pouco sobre estes mods brasileiros que apresentamos nesta publicação:

Abaixo, seguem os 10 mods brasileiros, com os links para as suas respectivas publicações, para você obter mais informações e baixá-los:

  1. Lowtech Remake – Mod que oferece apenas armamentos disponíveis num nível de tecnologia contemporâneo. É uma recriação do mod LowTech Weapons, mas com mais funcionalidades avançadas, como chute melee e tiro secundários.
  2. Higor’s Smoother Doom – Deixa as animações mais suaves e realistas, no estilo do Smooth Doom, porém vai além.
  3. Doom Reinforced Core – Traz uns zumbis muito macabros, no estilo Left 4 Dead, e armas com visuais mais modernos, tiradas do Quake 4, Doom 3 e do Hunter’s Moon.
  4. Aracnocide – Substitui inimigos, armas e alguns elementos do game, com o destaque para os insetos e aracnídeos que ficam no lugar dos monstros, as novas classes e o arsenal disponível.
  5. Unofficial Add-Ons for D4D – Pacote de add-ons não oficial para o Doom 4 Doom que adiciona muitas coisas a este mod, como novos gráficos, opções, monstros e comportamento dos mesmos.
  6. GZDoom64 – Conversão total do Doom II no Doom 64, com gráficos, sons, mapas, monstros e sprites portados com muita fidelidade para o GZDoom.
  7. Doom Flakes – Um mod que mistura vários elementos de outros Dooms mas que procura manter o gameplay o máximo vanilla o possível.
  8. Brutal Doom – O famoso mod que leva o Doom a um nível totalmente novo, adicionando mais dificuldade, modos de tiros diferentes, gráficos e animações mais ricas execuções e, claro, muito sangue e tripas.
  9. Hunter’s Moon – Basicamente, é a mistura de Quake III Arena com Serious Sam no Doom, que conta com armamento com visual moderno e um pack com belos mapas complexos e bem trabalhados, além de monstros baseados em models e tal.
  10. Brutal Doom 64 – O port “brutal” do Doom 64 pro GZDoom/Zandronum também é brasileiro e de excelente qualidade. Não tem a mesma brutalidade cômica do Brutal Doom original, mantendo apenas elementos que não atrapalham o clima macabro do game original.

Como o Facínora disse no vídeo, não deu para lembrar de todos os mods brasileiros (inclusive esquecemos o Higor’s Brutal Doom, mas fizemos um vídeo novo para compensar) e demos preferência aos que já cobrimos aqui ou no canal.

Também, não falamos sobre modders brasileiros, e sim sobre os mods que foram desenvolvidos pelos nossos patrícios. Portanto, não esquecemos de alguns bons artistas que tem por aí que participaram de interessantes projetos com os gringos e tal.

Enfim, esperamos que gostem do vídeo! Não esqueçam de prestigiar lá no canal, comentando, dando joinha e tudo mais!

Avenging Spirit

16 de fevereiro de 2017
Avenging Spirit

O Avenging Spirit é um jogo de plataforma desenvolvido pela C.P. Brain e lançado pela Jaleco, em 1991, originalmente para os fliperamas. Este jogo é conhecido no Japão como Phantasm (ファンタズム) e conta com um bootleg (versão não oficial) coreano, chamado Monkey Elf.

O game oferece um visual bonito, com gráficos típicos da época, bons efeitos sonoros e músicas, boa jogabilidade e conta a história de um fantasma que possui os corpos dos inimigos e tem que salvar sua namorada. Isto faz também o Avenging Spirit oferecer uma característica bem original: para poder atuar no mundo dos vivos, o protagonista tem que dominar um dos inimigos e podendo, assim, utilizar suas habilidades. Esta característica única promoveu várias possibilidades de jogo, potencialmente garantido muito replay, visto que conta com uma boa quantidade de inimigos diferentes com características diversas.

Apesar de ser um jogo com uma ideia inovadora e de boa qualidade, permaneceu um título obscuro, por alguma razão. O Avenging Spirit não rendeu nenhuma sequência, sendo portado apenas para dois sistemas, pro Gameboy, lançado em 1992, e pro console virtual 3DS, em 2011.

Enredo

Enquanto caminhava com sua namorada, o herói do jogo é emboscado por inimigos desconhecidos que sequestram o seu amor e lhe matam no processo. Agora, como um espírito errante com a capacidade de possuir qualquer corpo com que ele se depara, o herói é convocado pelo pai de sua namorada para salvá-la do misterioso sindicato do crime que a mantém como refém. Uma vez completada a missão, o herói poderá descansar em paz.

Gameplay

Como dissemos acima, o personagem do jogo, sendo um fantasma, pode possuir um corpo com o qual irá combater os inimigos do jogo. Quando esse corpo é morto, desde que haja um inimigo nas proximidades (exceto o chefão da fase) o fantasminha pode tomá-lo e continuar jogando.

Cada vez que isso é feito, o jogador perde parte da sua energia espiritual. Se o herói morrer quando não houver inimigos por perto, é game over.

O leque dos inimigos muda e aumenta na medida em que os jogadores vão progredindo no game (Avenging Spirit pode ser jogado por até 2 jogadores ao mesmo tempo), recolhendo power-ups, possuindo os inimigos e matando-os, junto com os chefões de cada fase.

Screenshots

Vídeo

O vídeo abaixo foi feito e comentado pelo canal Defenestrando Jogos, que mostra o gameplay e expõe algumas informações que usamos para montar esta publicação:

Saiba Mais

E se o Kramer jogasse Brutal Doom?

15 de fevereiro de 2017
E se o Kramer jogasse Brutal Doom?

O que você acha que aconteceria se o Kramer, o peculiar personagem do sitcom Seinfeld, jogasse Brutal Doom? Será que ele utilizaria o mod para ilustrar alguma de suas teorias de vida pro seu vizinho, o Jerry?

Este é um vídeo de humor que fizemos em conjunto com a Kibes do Seinfeld, no Facebook, que tenta adivinhar o que aconteceria caso o Kramer, para explicar que 94% da comunicação é não-verbal, desse uma jogadinha no mod do SGtMarkIV.

O episódio original que as imagens do popular seriado de comédia é o The Cartoon (S9E13), quando o Kramer, finalmente percebendo que ele tem a língua muito grande, decide fazer uma espécie de voto de silêncio, para evitar problemas (que acabam acontecendo, de qualquer maneira). Apesar de ficar calado, ele quer mostrar que nem tudo que é comunicado precisa ser verbalizado.

O vídeo é curtinho. Dê uma assistida e nos diga o que achou.

Veja Mais

Tem que ter uma mente muito doentia para misturar Seinfeld com Doom, porém, isso não é novidade:

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

BrutalBloodPatch [Brutal Doom v20b no GZDoom 2.2]

14 de fevereiro de 2017
BrutalBloodPatch [Brutal Doom v20b no GZDoom 2.2]

O BrutalBloodPatch possibilita o Brutal Doom v20b a rodar no GZDoom 2.2, corrigindo o erro (”blood.txt” error line 633).

O patch foi disponibilizado pelo ProjectRemap e deve ser carregado DEPOIS do arquivo do Brutal Doom.

Resolvemos adicionar este fix mesmo na iminência do lançamento do Brutal Doom v20c que, certamente, corrigirá o erro. Fizemos isto pois sempre tem aqueles que gostam de jogar as versões antigas, por algum motivo ou outro, e também pra encher linguiça.

Vídeo

Este replay gravado na E1M1 do Ultimate Doom no GZDoom 2.3, mostrando que é compatível com versões posteriores à 2.2 também:

Veja Mais

site ou autor do arquivo ProjectRemap tamanho do arquivo 6,8KB licencaGrátis Download

Jogando Doom com o telefone fixo

14 de fevereiro de 2017
Jogando Doom com o telefone fixo

Este vídeo mostra um sujeito, o Samuel Pereira, jogando Doom com o telefone fixo, em algo que parece ter sido um desafio de eletrônica e tudo mais.

Ele pegou um aparelho velho de telefone e usou as teclas numéricas para movimentação e o botão que desliga o telefone para atirar (tipo o gancho). Ou seja, ele fez o aparelho de joystick, enquanto o resto ficou por conta do monitor e tal.

Não deu para pedir mais informações, visto que o vídeo é fechado para comentar, mas deu pra ver que ele estava jogando no Mapa 1 da phase 2 do Freedoom, num gameplay vanilla.

Se alguém tiver mais alguma informação sobre esta experiência nos comunique, para podermos deixar a publicação mais completa. E também mandar parabéns pro cara pelo feito, é bem legal.

Veja Também

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Too Many Super Shotguns

13 de fevereiro de 2017
Too Many Super Shotguns

Too Many Super Shotguns é um mod de Doom II do Bread Knight que adiciona ao jogo armas absurdas, principalmente escopetas.

Desde espingardas com dezenas de canos e lança repolhos ao Gabe Newell e uma que só serve para matar o jogador, o mod é, às vezes, chamado de joke wad, por causa destas armas ridiculamente exageradas (embora alguns possam discordar). Ele também altera o visual de alguns itens, os drops o comportamento de alguns monstros.

Vídeo

Gravei o vídeo abaixo no Mapa 12 do Jenesis, um megawad de James “Jimmy” Paddock, por conter uma grande quantidade de monstros para testar o peculiar arsenal do Too Many Super Shotguns:

Screenshots

Compatibilidade

O mod foi testado no GZDoom 2.3 com o Doom 2. Apesar disto, testei também brevemente com os IWADs do Ultimate Doom e os do Freedoom, (ambas phases) parecendo funcionar sem maiores problemas (talvez tenha alguma imagem faltando etc, mas não dá pau no jogo).

Saiba Mais

site ou autor do arquivo Bread Knight tamanho do arquivo 22,86MB licencaGrátis Download

Defenestrando Spider-Man: The Video Game

12 de fevereiro de 2017
Defenestrando Spider-Man: The Video Game

Hoje vamos mostrar o gameplay de mais um clássico de fliperama, o Spider-Man: The Video Game, jogado e comentado pelo canal Defenestrando Jogos, que sempre traz muitas informações e curiosidades de uma forma bem descontraída. O conteúdo desta publicação foi feito, principalmente, com dados tirados do próprio vídeo.

Spider-man – The Video Game é um jogo de luta desenvolvido e lançado pela Sega, em setembro de 1991, para os fliperamas (Sega System 32). Como você poderia imaginar, é inspirado no popular personagem da Marvel, o Homem-Aranha e em suas histórias.

Apesar de ser um jogo excelente, com belos gráficos e animações, excelente jogabilidade e algumas funcionalidades inéditas e de ter sido bem recebido pela crítica, a Sega não quis portar ele para nenhum outro sistema. Segundo o vídeo, ele poderia ter sido convertido facilmente para o Sega Saturn, por causa do hardware do console. Talvez isso não aconteceu por questões de licenciamento dos personagens.

Vai saber.

Enredo

O Homem-Aranha e seus aliados, Homem-Aranha (Spider-Man), Gata Negra (Black Cat), Gavião Arqueiro (Hawkeye) e o Namor (Sub-Mariner), tem que recuperar um artefato místico do Rei do Crime (Kingpin) e, depois, do Doutor Destino (Doctor Doom).

Gameplay

Trata-se de um  beat ’em up side scrolling que pode ser jogado por até quatro jogadores ao mesmo tempo. Eles podem escolher entre um dos quatro heróis e devem lutar através quatro níveis enfrentando, vilões como Venom, Escorpião (Scorpion), Lagarto (Lizard), Duende Verde (Green Goblin), Homem Areia (Sandman), Rei do Crime, Duende Macabro (Hobgoblin), Electro, Dr. Octopus e, é claro, o próprio Dr. Destino.

Cada personagem uma arma diferente que pode ser usada a qualquer momento do jogo, embora custando sua energia. O Homem-Aranha usa suas teias, a Gata Negra usa um cabo com um gancho, Gavião Arqueiro usa seu arco e flechas e o Namor usa sua descarga elétrica.

O jogo alterna entre dois modos, o Big Mode e o Wide Mode. Ele começa como um beat´n up normal, sendo possível movimentar nas 8 direções, atacando com socos, voadoras e especiais. Pporém, em determinados momentos, a perspectiva dá um Zoom Out e você passa a enxergar os personagens mais distantes, nesse momento, a jogabilidade passa a ser mais semelhante a um run and gun ou platformer, atirando com a arma que o personagem possui.

Curiosidades

  • Algumas das músicas utilizadas do Spider-Man – The Video Game, são, na verdade, remix esde músicas do jogo 1986 da Sega, “Quartet”.
  • Outros recursos como efeitos sonoros também foram requentados de outros games e até inimigos, como uns do clássico Moonwalker.
  • O Duende Verde faz uma das suas poucas aparições no game em Spider-Man – The Video Game.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Color Zapper

11 de fevereiro de 2017
Color Zapper

Atire lasers coloridos nos inimigos para explodir eles para a pqp, em Color Zapper um quebra-cabeça gratuito e online para o seu browser.

Use uma grande variedade de itens, seja para combinar cores, redirecionar lasers, destruir obstáculos e muito mais, neste viciante quebra-cabeças muito doido.

Clique Aqui Para Jogar

Cell vs. Ryu e Ken

9 de fevereiro de 2017
Cell vs. Ryu e Ken

Este é um vídeo humorístico que mostra como seria se o Ryu e o Ken, do Street Fighter, resolvessem enfrentar o Cell, do Dragon Ball Z, no torneio dele, que vimos no final da saga de Cell, no anime.

Como poderíamos imaginar, a empreitada dos dois amigos teve consequências hilárias.

Produzido e publicado pelo canal TeamFourStar, ele foi publicado no dia 3 de fevereiro de 2017 e enviada na nossa comunidade pelo João Girardi, e é muito bem feito.

Lembrou um pouco o nosso antigo projeto, o Dragon Ball Z vs. Capcom… ahuehaueuha

O vídeo está em inglês, mas conta com várias legendas que podem ser ativadas, se você quiser, e uma delas é em português brasileiro.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

King of the Monsters

8 de fevereiro de 2017
King of the Monsters

King of the Monsters é um jogo de luta desenvolvido pela SNK e lançado para os arcades, em 1991, que apresenta uns monstros gigantescos, no melhor estilo kaiju ou tokusatsu, se enfrentando num monstruoso torneio de prowrestling (ou luta livre, telecatch etc). E fazem isso, é claro, enquanto destroem as cidades japonesas.

O game apresenta belos gráficos pra época, um cenário bem interativo (com os esforços inúteis dos humanos ao tentar destruir os monstros, nos detalhes) e personagens interessantes, porém a jogabilidade não ajuda. Este ponto fraco é o que, provavelmente, impediu o King of the Monsters de ter sido um grande sucesso, levando em conta a qualidade dos recursos do game.

Apesar disso, ele rendeu uma sequência, o King of the Monsters 2 – The Next Thing, e uma boa quantidade de ports, ganhando versões para Neo-Geo, Super Nintendo, Mega Drive, PlayStation 2, PSP,  PC e Nintendo Wii.

Particularmente, eu me lembro que esse jogo era massa, mas era papa ficha. Eu alugava o Rampage pra jogar no Master System só porque eu me empolguei com o King of the Monsters e não tinha como ir toda hora no fliperama ao meu bel prazer. Na época, eu era novo, não tinha dinheiro e ainda não existiam emuladores e a gente se virava com jogos similares, só pra ficar relembrando e esperando a hora de voltar pro fliper e matar a saudade.

Gameplay

Os jogadores escolhem um dos seis monstros (4 nos ports para sistemas 16-bit) para lutar, com dois jogadores podendo se unir para lutar contra os monstros juntos. Os combates terminam quando um dos monstros é subjugado no solo (como na luta livre) por três segundos ou o tempo acabe. No segundo caso, o jogador perde também.

O game apresenta 12 fases no total (8 nos ports para 16-bit) onde o jogador tem que derrotar todos os seis monstros, com o último sendo ele mesmo mas com uma cor diferente (palette swap). Daí, o jogador tem que enfrentar todos os monstros de novo, na mesma ordem, mas em cidades diferentes.

Screenshots

Vídeo

O vídeo com o gameplay abaixo foi feito e narrado pelo Celso Affini, do canal Defenestrando Jogos, quem, embora não goste muito deste título, nos forneceu algumas informações interessantes e curiosidades sobre o game, que foi uma das fontes para este nosso post:

Curiosidades

  • A série King of Monsters, apesar de esquecida depois do segundo game, teve seus personagens reaparecendo em 2005, quando a SNK Playmore lançou o Neo Geo Battle Coliseum, um jogo de luta com vários dos personagens populares da firma. Cyber Woo, Yuki, Ai e Atomic Guy, além de duas fases do King of Monsters, aparecem neste game.
  • Atomic Guy (Atomic Gai), Super Geon (Super Zion) e o Cyber Woo aparecem em cartas do jogo SNK vs Capcom: Card Fighters DS, de 2006.
  • O game foi incluido no SNK Arcade Classics Vol. 1,o que levou a várias artes raras da produção do King of Monsters serem apresentadas no disco.
  • O King of Monsters era apresentado regularmente no programa televisivo Nick Arcade, da Nickelodeon. O game era, geralmente, escolhido em detrimento de outros títulos populares, como ActRaiser, Super Ghouls ‘n Ghosts e El Viento. Isso acontecia também nas primeiras transmissões do programa Games World, exibido pela Sky1.

Códigos de trapaça do Chex Quest

7 de fevereiro de 2017
Códigos de trapaça do Chex Quest

Esta publicação contem os códigos de trapaça do Chex Quest, o jogo de tiro em primeira pessoa desenvolvido pela Digital Café para promover os cereais da marca Chex, em 1996.

No jogo original, os códigos de trapaça, ou cheat codes, foram baseados nos nomes das pessoas que trabalharam na desenvolvedora do game. Eles tem efeitos análogos aos dos originais do Doom:

Código 	 	Original do Doom 	Efeito
allen 	 	idbeholdr 	 	Dá proteção contra lodo por um tempo limitado.
marybregi 	idbeholdi 	 	Ativa invisibilidade parcial por um tempo limitado.
andrewbenson 	idbeholdv 	 	Ativa invencibilidade por um tempo limitado.
digitalcafe 	idbeholda 	 	Dá o GPS (revela o mapa todo).
joshuastorms 	idbeholdl 	 	Ativa a amplificação de luz por um tempo limitado.
deanhyers 	idbeholds 	 	Dá uma colher mais poderosa e 100% de health (berserk).
joelkoenigs 	idchoppers 	 	Dá a colher que seria a motosserra do Doom.
leesnyder$# 	idclev$# 	 	Pula de fase onde $ é o número do episódio e # o
 	 	 	 	 	número da missão. Repare que o Chex Quest só tem 5 
 	 	 	 	 	missões originais, o resto são os mapas originais
 	 	 	 	 	do Ultimate Doom, só que com as texturas do game
 	 	 	 	 	da Digital Café.
davidbrus 	iddqd 	 	 	Ativa invencibilidade (God mode).
sherrill 	iddt 	 	 	Revela o mapa todo no modo mapa (TAB). Se digitar
 	 	 	 	 	de novo, revela também a posição dos monstros,
 	 	 	 	 	itens, etc. Se entrar com o código uma terceira vez,
 	 	 	 	 	o mapa volta ao	normal.
mikekoenigs 	idfa 	 	 	Dá todas os zorchers (armas) com total munição.
scottholman 	idkfa 	 	 	Dá todas os zorchers com total munição e todas
 	 	 	 	 	as chaves.
idmus## 	idmus## 	 	Seleciona música, substituindo # por um número entre
 	 	 	 	 	11 e 45, caso contrário o jogo vai dar pau.
kimhyers 	idmypos 	 	Mostra a posição do jogador em hexadecimal.
charlesjacobi 	idspispopd 	 	Permite atravessar as paredes.

Doom(4) for Chex Quest 3

6 de fevereiro de 2017
Doom(4) for Chex Quest 3

Doom(4) for Chex Quest 3 é um add-on para o Doom 4 Doom (D4D), desenvolvido pelo YukiHerz que traz as armas, upgrades, power-ups, granadas e modificações deste mod para o Chex Quest 3.

Ou seja, com o Doom(4) for Chex Quest 3, você combate nos mapas do Chex Quest 3 com o equipamento do D4D.

Os monstros também foram modificados, adquirindo comportamento similar aos do D4D e, portanto, ficando consideravelmente mais difíceis. O texto do final de cada episódio também foi alterado para ficarem mais no clima do Doom 4 Doom.

Vídeo

Screenshots

Características em Destaque

O Doom(4) for Chex Quest 3 tem o bestiário padrão do mod completamente revisado, com os flemoids, os monstros do Chex Quest, atualizados para serem inimigos do D4D:

  • Flemoidus Commonus: Se comporta como o Zombieman do D4D;
  • Flemoidus Bipedicus: Comporta-se como o Shotgun Guy;
  • Armored Bipedicus: Comporta-se como o Imp;
  • Flemoidus Quadrumpus: Atira quatro projéteis de uma vez;
  • Flemoidus Stridicus: Tem um projétil de assalto que pode ser removido ou alterado, se estiver muito OP. Não tem a armadura frontal do Demon.
  • Larva: Um pequeno e rápido inimigo melee;
  • Flemoidus Cycloptis: Um inimigo voador com com ataque do Shotgun Guy, mas que atira 3 projéteis de uma vez;
  • Cycloptis Ultricus: Comporta-se como o Cacodemon;
  • Flem Mine: Comporta-se como as Lost Souls;
  • Flembrane: Se você estiver perto, vai te atacar como o Shotgun Guy. A médio alcance, te ataca como a Arachnotron. Se estiver longe, spawna Flem Mines;
  • Maximus: Ataca a longa distância como o Baron of Hell e a curta distância com o lança-chamas do Mancubus.
  • Flembomination: No momento, comporta-se como a Spider Mastermind, o que pode ser desleal se você encarar esta coisa num corredor estreito.
  • Lord Snotfolus: Baseado no Cyberdemon, ele pode realizar o ataque carregado do Baron of Hell, um ataque ácido do Cyber Mancubus terminando com uma barragem alta ou baixa de Flem Fire.

Além dos monstros, o Doom(4) for Chex Quest 3 apresenta estas modificações:

  • Munição, zorchers (as armas do Chex Quest) e vários itens e power-ups foram substituídos pelos seus correspondentes do D4D;
  • Texto do fim de cada episódio revisado afim de se encaixarem no esquema do D4D;
  • Nova CVAR, user_GibAll, ativada por padrão, para que todos os flemoids explodam ao serem mortos. Se desativados, só explodem se atingirem uma certa condição, “xdeath”. Esta CVAR só pode ser alterada via console, agora;
  • Conta com compatibilidade com a configuração de monstros clássicos, apesar que os seus DECORATES possam estar bugados. O autor promete corrigir isto mais tarde.

Compatibilidade

O Doom(4) for Chex Quest 3 precisa do Doom 4 Doom 1.x (testei no 1.01.4) e do GZDoom 2.2 para rodar além do, evidentemente, IWAD do Chex Quest 3.

Montamos um pacote que já vem com o Doom 4 Doom 1.01.4, GZDoom 2.2, o IWAD chex3.wad e o Doom(4) for Chex Quest 3, no link para download desta página. Ele vem com um arquivo chamado Doom(4) for Chex Quest 3.bat, um arquivo de lote que já vem configurado para rodar tudo junto, bastando clicar nele duas vezes com o mouse para isso.

Saiba Mais

site ou autor do arquivo YukiHerz tamanho do arquivo 50,52MB licencaGrátis Download

Defenestrando Super Buster Bros. (1990)

5 de fevereiro de 2017
Defenestrando Super Buster Bros. (1990)

Pra começar a domingueira, temos aqui o vídeo do Super Buster Bros., um jogo de tiro dos fliperamas, apresentado pelo canal Defenestrando Jogos.

O vídeo, publicado no dia 4 de novembro de 2015, mostra o gameplay do game e várias informações e curiosidades, as quais usamos para montar esta publicação aqui, na Gaming Room.

O Super Buster Bros., conhecido no Japão como Super Pang (スーパーパン) é um jogo de tiro desenvolvido pela Mitchell Corporation e lançado em setembro de 1990 para os fliperamas, originalmente. Foi lançado nos EUA pela Capcom.

Ports e Série Pang

Depois do fliperama, o Super Buster Bros. foi portado para o Super Nintendo (1992), PlayStation (1997) e PSP (2007) e é o segundo game da série Pang:

  1. Buster Bros. (1989)
  2. Super Buster Bros. (1990)
  3. Buster Buddies (1995)
  4. Mighty! Pang (2000)

Gameplay

Em Super Buster Bros., 1 ou 2 jogadores usam um arpão para estourar uma série de bolas gigantes que, quando atingidas, se dividem em bolas menores até desaparecerem totalmente. Sendo a sequência do jogo de 1989, Buster Bros, não acrescenta nada de particularmente novo, mas mantém a excelente jogabilidade de seu antecessor com novas fases para vencer.

O game conta com dois modos, o Panic Mode, onde o(s) jogador(es) enfrenta(m) uma chuva infinita de bolhas e o Arcade Mode (ou Tour Mode), onde avançam fase a fase, viajando pelo mundo.

Curiosidades

  • O jogo proíbe as iniciais “sex” na tabela de pontuação. Se você tentar, as iniciais são alteradas para ???.

Dicas e trapaças do Super Buster Bros.

  • Seleção de fases no Arcade Mode: Selecione o modo Tour, mantenha pressionado o joystick para baixo e pressione o botão de tiro.
  • Ganhar 500 pontos no Panic Mode: Mantenha o joystick pressionado para baixo e 500 pontos serão adicionados à sua pontuação, a cada segundo.
  • Ganhe 100.000 Pontos no Panic Mode: Se você não atirar nenhuma vez até que a música de fundo se repita, você receberá automaticamente 100 mil pontos. Entretanto, se você ativar essa manha velocidade das bolas, de repente, vão se tornar extremamente rápidas.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Página 1 de 18912345678...20...Última »
  • Seja social e nos siga!

           
  • Páginas

  • Tags Especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2017 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.