Thunder Cross

Thunder Cross é um shoot 'em up lançado nos fliperamas pela Konami em 1988 que usa um fundo de "rolagem em camadas", uma nova técnica de gráficos 2D da época, além de vários elementos que remetem ao Gradius.

20 de novembro de 2018

Thunder Cross é um jogo de tiro shoot ’em up com rolagem horizontal lançado nos fliperamas pela Konami em outubro de 1988. O game usa um fundo de “rolagem em camadas”, uma nova técnica de gráficos 2D da época, além de vários elementos que remetem ao Gradius, o carro chefe da firma neste gênero.

No dia 8 de fevereiro de 2007, o Thunder Cross foi lançado para o PlayStation 2 como parte da coletânea Oretachi Geasen Zoku Sono, no Japão. Em 1991, rendeu uma sequência, o Thunder Cross II. Devido a várias semelhanças, o Space Manbow também pode ser considerado uma sequência deste game, nem que seja espiritual.

Vídeo

Acima, temos o Thunder Cross sendo defenestrado em mais um episódio do Fliperama Nostálgico, do canal Defenestrando Jogos. O vídeo é bem informativo e descontraído e é a principal fonte de dados que usamos para construir esta publicação.

Enredo

No futuro da colonização do espaço, o planeta Haniamu IV tornou-se palco de ataques de uma força militar implacável conhecida apenas como Black Impulse. As naves mais fortes da Terra, capazes de parar a conquista total do planeta, são o Trovão Azul M-45 (jogador 1) e sua nave irmã, Trovão Vermelho M-24 (jogador 2).

Gameplay

Thunder Cross, como dito acima, é um jogo de tiro horizontal que apresenta um gameplay bem clássico do gênero SHMUP. Através de sete fases, os jogadores controlam os caças com até quatro pods que se organizam verticalmente e atacam junto com a nave do jogador. Três armas são selecionáveis, desde o tiro Vulcan, o Laser ao o tiro Boomerang (que também funciona como uma arma de ricochete). Cada final de fase tem um chefão que precisa ser derrotado e, como é típico em um shooter da Konami, o Thunder Cross força o jogador a vencer o jogo duas vezes, tendo que percorrer de novo os primeiros sete níveis em um loop mais difícil.

O Thunder Cross tem a jogabilidade boa e é legal, mas é um papa-fichas do baralho. Toda vez que você perde uma vida, perderá também os pods e todos os power-ups e, dependendo da parte da fase que estiver, não encontrará nenhum novo, ficando só com o tiro padrão, que é bem fraco, até enfrentar o chefão. Daí, as fichas vão morrendo feito moscas. Uma solução é decorar as fases para saber os melhores lugares para ficar e de onde vão surgir os inimigos.

Screenshots

As screenshots acima foram capturadas da versão de arcade do Thunder Cross e foram ampliadas. A resolução original do game é easter, 288×224.

Curiosidades

  • A lendária música Horizon, criada por Olof “Blazier” Gustafsson e encontrada em muitas crack intro do AMIGA no início dos anos 90, era, na verdade, um cover da música da primeira tela de Thunder Cross. Olof Gustafsson é o músico inhouse do jogo Pinball Dreams da Digital Illusion, sucesso nos computadores da época.
  • A versão japonesa do Thunder Cross tem uma ordem diferente de fases.

Observação: se você gostou deste post ou ele lhe foi útil de alguma forma, por favor considere apoiar financeiramente a Gaming Room. Fico feliz só de ajudar, mas a contribuição do visitante é muito importante para que este site continua existindo e para que eu possa continuar provendo este tipo de conteúdo e melhorar cada vez mais. Clique aqui e saiba como. Obrigado!

Deixe um comentário

Inscreva-se na nossa newsletter!