Desocupados atacam Ion Fury e jogo vai ser censurado

21 de agosto de 2019

Meia dúzia de desocupados do ResetEra, um fórum sem credibilidade conhecido pela histeria e com possíveis associações à pedofilia, atacam o jogo Ion Fury e jogo vai ser censurado. Além disto, o fórum oficial do FPS no Steam está banindo quem menciona o fato por lá e o moderador ainda disse que odeia gamers.

Atualização: no dia 26/08 a Voidpoint afirmou que o jogo não seria mais censurado.

Ou seja, não apenas o pessoal vai ter o jogo modificado por causa de choradeira de gente boboca, como são insultados e proibidos de reclamar disso. E isto eu fiquei sabendo depois de gravar o Notícias do Facínora 77, onde comento o ato de extrema covardia dos responsáveis pelo Ion Fury:

P.S.: Fiz este post e o vídeo sem saber que talvez o ataque ao jogo tenha sido de falsa bandeira. Não sei se é verdade, mas algumas considerações que fiz a respeito do caso continuam válidas, especialmente sobre as atitudes débeis tomadas em virtude disso. Depois faço um update, sei lá.

Enfim, esta celeuma começou no início da semana, com o ResetEra publicando prints tiradas foras de contexto que mostravam os desenvolvedores falando mal de SJW e com opiniões sobre o que pais devem ou não fazer com seus filhos. Daí, começaram as acusações, os assédios à 3D Realms e a Voidpoint (publisher e desenvolvedora do Ion Fury, respectivamente), e o showzinho deles como eles sempre fazem, provando a crítica que feita aos SJW, diga-se de passagem.

Pra quem não sabe, SJW (social justice warriors) são os guerreiros da justiça social. SJW é aquele burguesinho que diz que ama pobre, mas não cumprimenta nem o porteiro do prédio e tem nojo de mendigo. Esse pessoal passa o dia procurando pelo em ovo (literalmente também) para poder lacrar, chamar a atenção, se sentir melhor (virtue signalling) e até lucrar, no caso dos mais espertos. SJWs têm compulsão em mandar na vida e na propriedade alheia e não se detém em assediar seus alvos até as últimas consequências, se possível, não sendo raro doxxarem [3] uma pessoa inocente e fazerem de tudo para que esta perca seu ganha-pão, só porque ela tem uma opinião diferente.

Também resta dizer que, embora os SJWs sejam barulhentos e careçam da mais mínima empatia pelos seres humanos, não passam de uma minoria irrelevante, não sendo mercado para nenhum produto ou serviço de forma substancial (daí vem “quem lacra não lucra” ou “get woke, go broke”). Mesmo assim, vergonhosa e desgraçadamente, a 3D Realms e a Voidpoint não apenas cederam e pediram desculpas, como também prometeram mundos e fundos para agradar esta corja, incluindo dar grana para essas ongs que existem só pra mamar dinheiro roubado do público, censurar o jogo depois que ele já foi vendido de uma determinada forma e mais uma série de palhaçadas lamentáveis.

O resultado foi a imediata enxurrada de avaliações negativas no jogo no Steam, com muita gente pedindo refund e inúmeros vídeos de youtubers retirando o apoio ao Ion Fury e tal. Ou seja, alienaram os seus consumidores para agradar um pessoal que nem compra coisa deles. E isso por causa de um jogo feito para um público acostumado com títulos politicamente incorretos, como Duke Nukem 3D, Shadow Warrior e Blood. O fato de não ser nem um game AAA, o qual geralmente são apostas muito mais altas do que seriam um FPS retrô como o Ion Fury, torna esta história toda uma covardia mais colossal ainda.

E essa covardia vai ter um preço caro, cedo ou tarde. Pouca gente percebe (ou não quer perceber), que, se esta moda continuar, os jogos vão ficar cada vez mais dependentes do aval de um pequeno grupo de megalomaníacos que nunca trabalharam na vida e se arrogam o direito de ditar o que se pode ter ou não em um game. Ou seja, este mercado vai ficando cada vez mais amordaçado, podendo chegar ao ponto do que já acontece na China, só que de uma forma mais gradual e muito insidiosa.

Fonte

O vídeo acima é do canal The Quartering, onde o sujeito comenta com mais detalhes o que aconteceu e dá a sua opinião sobre o assunto também. Em inglês.

Enfim, nós estamos vivendo uma situação muito curiosa: empresas de games são completamente passivas e complacentes diante do menor escrutínio SJW, mas não estão nem aí quando mandam capangas pra casa de alguém pra intimidá-lo e ainda liquidar sua fonte de renda.

Será que o ataque no Ion Fury foi de falsa bandeira?

Como dito acima, depois que já estava tudo pronto, o [Vitz!] me mandou o tweet abaixo. Não sei se é verdade, mas segue:

Mais informações e notícias

Observação: se você gostou deste post ou ele lhe foi útil de alguma forma, por favor considere apoiar financeiramente a Gaming Room. Fico feliz só de ajudar, mas a contribuição do visitante é muito importante para que este site continua existindo e para que eu possa continuar provendo este tipo de conteúdo e melhorar cada vez mais. Clique aqui e saiba como. Obrigado!

Deixe um comentário

Inscreva-se na nossa newsletter!