John Carmack, criador do Doom, processa ZeniMax por 22,5 milhões

10 de março de 2017

John Carmack, um dos principais criadores do Doom, processa a ZeniMax por 22,5 milhões. Ele alega que a firma que comprou a id Software a uns 8 anos atrás ainda não pagou tudo o que lhe devia, e eles claramente não querem pagar.

Este foi o assunto do Notícias do Facínora 19, o primeiro vídeo da nossa série de notícias gravado com um microfone melhorzinho:

No mês passado, um júri concedeu à ZeniMax US$ 500 milhões por uma ação judicial contra a Oculus VR, depois que o co-fundador da empresa, Palmer Luckey, violou um acordo de não divulgação com a firma. Também foi alegado que John Carmack, agora empregado do Facebook, teria roubado documentos e uma ferramenta de desenvolvimento da ZeniMax. A princípio, esta firma queria 4 bilhões, recebendo, entretanto, 500 milhões, juntando todos os processos e tal.

John Carmack respondeu a estas acusações informalmente, através do Facebook, que foi treplicada pela ZeniMax, por sua vez. Agora, Carmack processou a firma formalmente por 22,5 milhões. Não fica claro se estas quantias são em dólares, pois no documento do processo fala que seriam 45 milhões:


A ZeniMax, então, respondeu às alegações de Carmack:

“Nós revimos a última queixa legal de John Carmack, a qual é completamente improcedente. Note que esta é a segunda queixa dele contra a firma. No recém-concluído julgamento (…) em que o Sr. Carmack foi réu e em que foi concedido à ZeniMax US$ 500 milhões em danos por apropriação indevida de sua propriedade intelectual, Carmack reconclamou, buscando danos por supostas violações em seu contrato de trabalho com a Zenimax.

O Sr. Carmack foi pessoalmente declarado culpado pelo júri por roubo de propriedade da ZeniMax, incluindo milhares de documentos confidenciais da empresa, que ele secretamente levou quando deixou seu emprego, e pelo roubo de todo o código-fonte do então último jogo da id, RAGE, inclusive a engine id tech 5.

Além desses crimes, foi revelado, por um especialista em perícia informática independente designado pelo tribunal, que ao receber a notificação da ação contra a Oculus, os arquivos no computador da firma do Sr. Carmack foram intencionalmente destruídos, eliminando as provas, e uma declaração juramentada de Carmack negando que a limpeza fosse falsa. A limpeza ocorreu logo após o Sr. Carmack pesquisar no Google como limpar um disco rígido. E tem mais.

Aparentemente sem remorso, e desconsiderando a evidência de seus muitos atos de má fé e de violações da lei, Carmack decidiu tentar de novo. Estamos ansiosos para apresentar nossa resposta às últimas alegações de Carmack em juízo.”

E ainda tem mais confusão: Segundo Andy Chalk, além dos US$ 500 milhões garantidos pelo tribunal, a ZeniMax pode ainda solicitar uma liminar para restringir a Oculus e o Facebook do uso contínuo do código que o júri determinou como propriedade da ZeniMax. Caso isso seja concedido, as vendas do Oculus Rift poderão ser interrompidas até essa confusão ser resolvida.

Saiba Mais

Deixe um comentário

  • Inscreva-se na nossa newsletter!

  • Nos siga nas redes sociais!

  • Páginas

  • Áreas especiais

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2018 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.