Defenestrando Jogos – Uma ficha

Celso Affini disserta sobre algo relacionado aos fliperamas de antigamente: o valor de uma ficha, compartilhando curiosidades e uma experiência que, atualmente, é impossível de reproduzir exatamente como um dia foi.

Newsletter:

Visão geral

Neste DefenestraVlog, um quadro do seu canal Defenestrando Jogos, Celso Affini disserta sobre algo sempre relacionado aos fliperamas de antigamente: o valor de uma ficha.

Existiu uma época aonde tudo era escasso: dinheiro, diversão e principalmente jogos. Então, o negocio era treinar muito e ver muita gente jogando para aprender os macetes e, talvez assim, terminar aquele jogo com uma só ficha.

E isso era bem verdade. A não ser que seu pai estivesse contigo no fliperama (e ele tivesse uma boa condição financeira), você tinha que se virar com uma ou duas fichas por dia. Desta forma, o lance era fazer valer os créditos o máximo possível, o que significava não desperdiçar em máquinas que você não conhecia direito e tentar pegar algumas manhas com o pessoal ou nas revistas especializadas da época.

No vídeo, o Celso vai compartilhando como era essa dinâmica da época, curiosidade para alguns e nostalgia para outros como eu, visto que as experiências dele nos fliperamas são geralmente bem parecidas com as minhas.

Ele também diz que, hoje em dia, esse aspecto meio que se perdeu, pelo simples fato de terem se tornado coisa do passado os fliperamas e, com eles, a escassez em créditos. Ora, atualmente, temos não apenas a facilidade de emular (de forma oficial ou não) os games de fliperama quase exatamente como eram antes, mas também existem vários deles que foram relançados para plataformas mais modernas, e, até onde sei, nenhuma delas precisa de inserir ficha pra jogar…

E esta é uma opinião que também compartilho. Trata-se de uma daquelas coisas que você pode até tentar imitar, estabelecendo regras e/ou fazendo desafios, mas reproduzir exatamente como um dia foi, é impossível. Tipo, até mesmo se você abrir um fliperama com as máquinas de antigamente, vai ter que deixar as fichas bem baratinhas, tipo a título de esmola, pois, caso resolva ferrar um preço mais alto proporcional ao que era antigamente, os poucos curiosos que iriam ao seu estabelecimento iam preferir jogar em casa de graça.

Por outro lado, atualmente podemos jogar os games quantas vezes quisermos e, o melhor de tudo, preservar a maioria deles para que não fiquem apenas em nossas memórias. Ou seja, esse aspecto abordado do vídeo era realmente muito legal, mas não tem o que fazer. É só pra relembrar e ensinar paras novas gerações como eram as coisas mesmo.

Enfim, deixe aí nos comentários as suas opiniões e as suas próprias experiências com as fichas dos fliperamas!

Mais curiosidades


Vídeo adicionado em: 22 de novembro de 2020

Categorias: Vídeos

Tags: ,

Autor/canal: Defenestrando Jogos

Acessado: 13 vezes.

Duração: 11:47

Deixe um comentário