Doomdark’s Revenge

Doomdark’s Revenge é um game de fantasia medieval que combina aventuras gráficas, RPG e estratégia lançado originalmente em 1985. É sequência do The Lords of Midnight e inspirou fortemente o Heroes of Might and Magic.

6 de março de 2020

Doomdark’s Revenge é um game de fantasia medieval que combina aventuras gráficas, RPG e estratégia criado pelo finado Mike Singleton (21 de fevereiro de 1951 – 10 de outubro de 2012) e sequência do The Lords of Midnight.

Lançado originalmente em 1985 pela Beyond Software para ZX Spectrum, Commodore 64 e Amstrad CPC, Doomdark’s Revenge possui mecânica de jogo semelhante ao seu predecessor, mas adiciona mais detalhes e complexidade, com o número de caracteres e locais aumentados.

Em 2003, The Lords of Midnight e Doomdark’s Revenge foram atualizados e relançados pela Chilli Hugger Software para Windows, podendo ser adquiridos atualmente de graça no GOG. Ambos os jogos foram grandes sucessos de crítica e de mercado, além de terem inspirado títulos como Heroes of Might and Magic e King’s Bounty.

Vídeos

Acima, tem o Notícias do Facínora 114, onde falei bastante do The Lords of Midnight e o Doomdark’s Revenge quando o GOG resolveu liberar eles de graça.

Já o vídeo anterior é o trailer do Doomdark`s Revenge.

Apresentação do jogo

“Muitas luas se passaram desde que os Lordes da Meia-Noite apareceram pela escuridão suave, porém desgastante. Aqueles que aceitaram o desafio e cavalgaram com eles para lutar contra o cruel Witchking não precisarão mais se lembrar dessa luta épica. Mas, agora, um novo conto épico se desenrola, a história da Vingança de Doomdark.

O jogo em si envolve missões e guerras, exploração e estratégia cuidadosa. Você pode jogar sozinho ou com amigos; há personagens diferentes suficientes sob o seu comando para que toda a família se junte e lute contra Shareth Heartstealer, a Imperatriz do Império Congelado!” (Mike Singleton – 1985)

Sinopse

Depois que Doomdark the Witchking foi destruído, as notícias chegaram à sua filha, Shareth Heartstealer, a temida Imperatriz do Império Congelado de Icemark, tão má quanto bela e poderosa. Enfurecida, Heartstealer decide se vingar do responsável pela queda de seu pai, Luxor Moonprince, enfeitiçando e sequestrando seu filho Morkin. Agora, Luxor e seus companheiros, Rorthron Wise e Tarithel Fey, devem resgatar Morkin e derrotar Shareth.

Gameplay

Esta sequência do The Lords of Midnight usa um sistema de jogo semelhante ao seu antecessor, mas a história agora é muito mais complexa e todos os Lordes se movem e reagem de forma independente, não ficando mais em seus castelos esperando recrutamento. O jogador inicialmente controla Luxor, Rothron, o Sábio, e Tarithel, a amante de Morkin, embora muitos outros personagens possam se juntar ao progredir na partida.

Doomdark’s Revenge é efetivamente baseado em turnos, com os personagens do jogador se movendo de dia (existe uma quantidade limitada de movimento em uma das 8 direções da bússola) e os de Shareth à noite. Os personagens estão divididos em facções – Giant, Dwarf, Fey, Icemark e Barbarians – e o recrutamento não é automático, pois certos fatores podem fazer com que alguns simplesmente se recusem, se voltem contra membros de outros raças ou desertem, como Utarg fez no primeiro game.

A líder inimiga, Shareth, também se move, tentando recrutar exércitos e lordes para sua causa, então grande parte do jogo envolve recrutar forças suficientes para combater as dela. Isso torna o relacionamento entre os lordes importante e interessante, pois alguns só podem ser recrutados por determinados lordes: uns são vassalos de outros e tem também aqueles que só podem ser recrutados por seus soberanos. O recrutamento de um lorde não garante automaticamente todos os seus vassalos para o comando do jogador, nem seus respectivos soberanos. Eles também podem cooperar, recrutar e lutar entre si de forma independente, tornando o mundo muito mais dinâmico que o jogo anterior.

No terreno encontram-se planícies, montanhas, florestas, túneis subterrâneos e templos misteriosos. Uma névoa escura segue grande parte da área, o que faz com que seus personagens percam moral, perdendo assim eficiência. A exploração deste terreno guarda muitas surpresas aos jogadores.

Existem vários objetivos diferentes e possíveis resultados para o jogo. Trazer Morkin de volta aos Portões de Varenorn é o mais básico, mas muitos outros personagens devem ser salvos e Shareth pode ser morta. Há muitas Coroas de Gelo a serem recuperadas e itens mágicos a serem encontrados, sendo que muitos pertencem a algum lorde e garantem algum poder de batalha.

Como no primeiro jogo, o controle de toda a equipe é possível apenas enquanto Luxor está vivo – sua morte significa derrota total (game over).

Screenshots

Curiosidades

  • Como dito acima, o Doomdark’s Revenge foi um grande sucesso de vendas e também de críticas. O jogo recebeu notas boas pelas maiorias das revistas especializadas de games da época. A Amstrad Action, por exemplo, deu uma pontuação de 95% em sua avaliação, tornando-o o nono melhor jogo de todos os tempos. A janeiro de 1990, a edição 57 da Zzap! classificou o Doomdark’s Revenge como um dos melhores games da década. Em 1993, os leitores da Your Sinclair votaram nele como o 71º melhor jogo de todos os tempos.
  • Mike Sinclair, o criador da série The Lords of Midnight, foi um desenvolvedor de jogos que também foi professor de inglês em Ellesmere Port, Cheshire, na Inglaterra, e era para ele ter escrito um romance do The Lords of Midnight também. Arriscaria dizer que sua proficiência pode ter garantido os ricos e interessantes enredos dos jogos;
  • Sinclair também trabalhou em vários outros jogos, como o Indiana Jones and the Emperor’s Tomb, o terceiro game da série Lords of Midnight: The Citadel e Race Driver: Grid;
  • Claramente, o Doomdark’s Revenge tem muitos elementos de gameplay que foram aproveitados pelos Heroes of Might and Magic. Inclusive, nomes como Luxor são vistos no Might and Magic II, outro jogo deste fantástico universo.

Sobre o download

Em fevereiro de 2020, o GOG resolveu liberar o Doomdark’s Revenge gratuitamente, pra sempre. O jogo está atualizado e pronto para rodar no Windows e vem com manual, papéis de parede e o The Icemark Chronicles, o que deve ser um romance baseado no game, ou algo do tipo.

Requerimentos mínimos em sistema

  • Sistema operacional: Windows XP, Vista, 7, 8 ou 10.
  • Processador: 1.6 GHz;
  • Memória: 256 MB RAM;
  • Vídeo: placa de vídeo 3D compatível com DirectX 9;
  • Espaço livre em disco: 300 MB.

Veja também

site ou autor do arquivo Mike Singleton tamanho do arquivo 33 MB licencaGrátis sistemas operacionais compativeisWindows XP/Vista/7/8/10 download link Download

Observação: se você gostou deste post ou ele lhe foi útil de alguma forma, por favor considere apoiar financeiramente a Gaming Room. Fico feliz só de ajudar, mas a contribuição do visitante é muito importante para que este site continua existindo e para que eu possa continuar provendo este tipo de conteúdo e melhorar cada vez mais. Clique aqui e saiba como. Obrigado!

Deixe um comentário

Inscreva-se na nossa newsletter!