Defenestrando Kuri Kinton (1988)

Newsletter:

Visão geral

Confira o gameplay do Kuri Kinton, um incrível beat ’em up da Taito, sendo explorado e comentado em mais um episódio do Fliperama Nostálgico, a série de games antigos de arcade do canal Defenestrando Jogos.

Você sabe, estamos adicionando este vídeo aqui, que é descontraído, mas sem deixar de ser interessante e informativo, para você ter alguma coisa para assistir no domingo e não morrer de depressão assistindo Faustão ou Fantástico. Nós usamos o mesmo como principal fonte de informações para esta publicação, diga-se de passagem.

Kuri Kinton é um jogo de plataforma e luta estilo beat ’em up com rolagem lateral desenvolvido e lançado pela Taito para os fliperamas japoneses em julho de 1988. Em Kuri Kinton, o jogador encarna um policial chinês que tem que derrotar um grande número de inimigos num estilo parecido com o Kung Fu (ou Kung Fu Master), porém com novos elementos e gráficos mais avançados.

Além do gameplay, inimigos e fases bastante interessantes, o fato de Kuri Kinton ter sido fortemente inspirado em dois populares mangas (e animes) Kokuto no Ken e Dragon Ball, merece ser ressaltado. O protagonista mesmo parece uma mistura de Goku, usando uma espécie de quimono vermelho e técnicas similares ao Kaïo-Ken e Kamehamaha; com o Kenshiro, usando aqueles troços nos ombros e dando golpes com gritos (representados por balõezinhos na tela). Além disto, tem personagens que são certamente copiados do Dragon Ball e os chefões e as técnicas que eles usam são também claramente inspiradas no Hokuto no Ken. Na época em que o game foi lançado, adaptações destes dois mangás não eram muito comuns, explicando o motivo do Kuri Kinton ter sido bastante popular, e ainda é, entre uma certa categoria de jogadores.

O Kuri Kinton não recebeu nenhuma sequência, mas foi portado para uma série de outros consoles quase 20 anos depois de seu lançamento como parte de coletâneas: PlayStation 2 (28 de julho de 2005 na Taito Memories Joukan), PSP (5 de janeiro de 2006 na Taito Memories Pocket), PlayStation 2 (30 de março de 2006 na Taito Legends 2), Xbox (31 de março de 2006 na Taito Legends 2), PSP (6 de outubro de 2006 na Taito Legends Power-Up) e Windows (31 de março de 2006 na Taito Legends 2).

Enredo

Um policial veterano e a sua filha foram sequestrados por uma gangue e estão sendo mantidos reféns em um esconderijo subterrâneo. Um policial chinês, filho e irmão das vítimas, tem a missão de invadir este reduto criminoso repleto de vilões artistas marciais e acabar com os bandidos. Será que as suas habilidades serão suficientes para vencer este desafio?

Gameplay

Como já dito acima, o Kuri Kinton é um beat ’em up que combina um gameplay similar ao Kung Fu com plataforma. O jogador tem socos, chutes, voadoras e rasteiras como golpes básicos, mas também pode atirar uma bola de energia similar a um Hadoken ou um Kamehameha e acumular energia que serve como escudo e para aumentar os poderes de seus golpes.

O jogo começa em um corredor subterrâneo repleto de soldados blindados e lutadores que atiram shurikens e tem que seguir uma setinha que o leva para a direção certa, penetrando cada vez mais fundo nas cavernas e no esconderijo dos bandidos. No final de cada fase, tem um chefão especialista em artes marciais que pode derrotar o jogador, se ele não ficar esperto.

Só tem uma vida por partida no game, esta sendo representa por uma barra de saúde que é drenada na medida em que inimigos atingem o jogador. Se usado um continue, o game retorna a uma parte anterior, se tiver morrido no chefão.

Curiosidades

  • O título deste também dá o nome a um prato japonês chamado “kuri-kinton”, que é puré de batata-doce e castanhas.

 


Vídeo adicionado em: 20 de maio de 2018

Categorias: Arcade, Luta, Plataforma, Vídeos

Tags: , , , , , ,

Autor/Canal: Defenestrando Jogos

Visto/Jogado: 5 vezes.

Link Deste Vídeo:

Deixe um comentário

eXTReMe Tracker
Copyright © 2001 - 2018 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.