Como carregar jogos em Flash depois de 2021

Artigo que ensina como carrega jogos (ou vídeos) em Flash depois de janeiro de 2021, data que marcou o fim definitivo do suporte oficial a este formato.

27 de janeiro de 2021

Em janeiro de 2021, o suporte oficial ao Flash morreu definitivamente, o que significa que muitos games online (ou vídeos) neste formato ficariam fora do nosso alcance, se não fossem os métodos que irei ensinar neste artigo.

Vou passar os procedimentos que sei (o que não significa que sejam todos que existam). Pelo menos dois deles já usei bastante e sempre funcionaram satisfatoriamente muito bem. De qualquer maneira, você vai encontrar aqui algo que funciona, em vez de reclamações memes ruins sobre o assunto.

Outra coisa que você deve notar é que todos os métodos tem lados negativos e positivos, e, pelo menos até o momento, nenhum é capaz de restaurar a exata experiência de antigamente de jogos em Flash. Acho que só o primeiro tem potencial pra isso, mas ainda vai demorar um pouco.

Ah! Presta atenção nisso também: tem jogos em Flash que eram multiplayer online, mas muito certamente seus servidores foram desativados, o que implica em que o modo multiplayer não irá funcionar mesmo que estes métodos consigam carregar os games perfeitamente.

Enfim, vamos aos métodos:

Ruffle

O Ruffle é um emulador de Flash escrito na linguagem Rust que é de fácil uso e vem em três edições: um programa para desktop compatível com Linux, Mac OS e Windows, uma extensão para browsers Firefox, Chrome, Edge e Safari e um bagulho em JavaScript para webmasters usarem em seus sites.

Destas três edições, só usei a versão do JavaScript e obtive bons resultados, embora, pelo fato do Ruffle ainda estar em desenvolvimento, nem todos os jogos já estejam funcionando com este emulador. Todavia, um que funcionou muito de boa foi a versão online do Ghosts’n Goblins.

Aliás, eu previ a ideia de um emulador para browser de jogos em Flash uns tempos atrás e fiquei muito satisfeito em saber que estão trabalhando em algo bem viável nesse sentido.

Pontos positivos

  • Simples uso.
  • De todos os métodos, é o único que tem potencial de manter a exata experiência de antigamente: jogar online sem muito stress.
  • A edição em JavaScript funciona até em browsers que não tem suporte para Flash há muito tempo (se é que já tiveram), como o Brave e navegadores de dispositivos Android e iOS.
  • Essa edição em JS não requer nenhum procedimento por parte do usuário final.
  • Funciona em Windows, Mac e Linux.
  • Grátis.

Pontos negativos

  • Por enquanto, apenas cerca de 20 a 30% dos jogos que testei funcionaram, mas, como está em desenvolvimento, é capaz deste número ir aumentando gradualmente.
  • Não testei os plugins e eles não são oficiais da Mozilla, Chrome Web Store etc. Ou seja, a instalação deles não é trivial e é por sua conta e risco. Tipo, não acho que os responsáveis pelo Ruffle sejam trambiqueiros, pois muitos sites grandes como Armor Games e Newgrounds estão patrocinando o projeto, mas é bom você ficar sabendo disso antes de tentar instalar os bagulhos no seu browser.

SWF to EXE Converter

Um método que uso bastante é converter arquivos Flash (.SWF) em executáveis Windows (.EXE). Existem outros serviços ou programas para isso, mas o que testei e que deu certo, pelo menos até agora, em 100% dos casos, foi o SWF to EXE Converter.

O SWF to EXE Converter é um programa grátis e em código livre que meio que “embala” o arquivo junto com um player Flash em um pacote autoexecutável que deve funcionar como um aplicativo comum. Você só vai precisar de um Windows razoavelmente novo, tipo XP pra cima (só testei no 7 e no 10) e, claro, o arquivo .SWF original.

Aliás, o vídeo abaixo foi gravado usando a versão do The Last Stand convertida para .EXE. Veja como deu pra zerar o game de boa:

Pontos positivos

  • Deve funcionar muito bem na maioria dos casos. Até hoje, todos os games que testei rodaram 100% de boa aqui.
  • O SWF to EXE Converter é de fácil uso, portável e trabalha em lote.
  • Faz jogos que estavam dando problema (tipo redirecionando ou dando algum outro erro) pararem de dar problema.
  • Já temos algumas conversões prontas pra rodar aqui.
  • Grátis.

Pontos negativos

  • Exige que você tenha o arquivo em Flash original do jogo baixado em sua máquina ou saiba como baixá-lo.
  • O jogo deixa de ser online. Ou seja, é executado no desktop.
  • Só funciona no Windows.
  • O arquivo .EXE resultante é razoavelmente maior que o original.
  • Pode não funcionar com jogos que usem mais de um arquivo (a sorte é que isso é raro).

BlueMaxima’s Flashpoint

O BlueMaxima’s Flashpoint é um projeto destinado a preservar jogos online para browsers que, segundo consta, já reuniu mais de 70000 games e 8000 animações, e não apenas em Flash, como também em Unity (.unity3d) e outras plataformas.

O projeto começou em janeiro de 2018, já pensando no iminente fim do Flash, e evoluiu bastante desde então. O que mais chama atenção é o cliente que promete dar acesso a essa enorme biblioteca de games e animações num esquema tipo o cliente do Steam ou de outras lojas de games: ou seja, você apenas escolhe o game na biblioteca, baixa e joga. A promessa é que não envolve nenhum stress.

Pontos positivos

  • Interessante para inexperientes e/ou preguiçosos. O cliente promete muita simplicidade, segurança e praticidade.
  • Dá para baixar apenas o game ou animação desejada ou a biblioteca inteira de uma vez.
  • Enorme compatibilidade. Além do Flash, o o Flashpoint tem suporte aos seguintes formatos: 3D Groove GX, 3DVIA Player, ActiveX Controls, Adobe Shockwave Player, Authorware Web Player, Burster, GoBit Games Plugin, HTML, Hypercosm Player, Java Plug-in, Microsoft Silverlight, PopCap Plugin, Pulse Player, ShiVa Web Player, Superscape Viscape, Tcl Plugin, Unity Web Player, Vitalize! e VRML.
  • Grátis.

Pontos negativos

  • Não testei ainda e não posso atestar a qualidade.
  • Não creio os responsáveis testaram todos os games para ter certeza que funcionam perfeitamente, embora, dependendo da comunidade, isso possa ser melhorado com o tempo.
  • Não obstante o BlueMaxima Flashpoint seja uma ideia fantástica, perde o charme e a nostalgia de abrir os games em suas páginas web e jogá-los online.

Reprodutores não oficiais Flash

Outra alternativa que não testei são os players que sites de games online como Newgrounds e Kongregate estão sugerindo que a gente instale para jogar os títulos antigos que eles têm em Flash em suas páginas.

Pontos positivos

  • Se funcionarem de boa, podem garantir uma experiência igual ou similar à do passado.
  • São gratuitos (ou pelo menos parecem).

Pontos negativos

  • Não sei se funcionam apenas em seus respectivos sites ou em outros. Pode ser que sim, pode ser que não. Testa aí e me fala.
  • Tem uns players desses que tem uma cara de adware do baralho. O da Kongregate mesmo é oferecido em algo que parece banner de site pornô. Aí, eu sei lá.

Waterfox

O Waterfox é um navegador web derivado do Firefox que, segundo consta, além de já vir configurado com mais privacidade por padrão, vai continuar permitindo que os usuários usem o Flash Player mesmo depois do fim oficial deste formato.

A promessa foi feita por um dev do Waterfox, o MrAlex94. Se ele manter sua palavra, esse browser tem potencial de permitir praticamente a mesma exata experiência de sempre, embora isto dependa também de outros fatores.

Pontos positivos

  • Tem potencial de permitir a experiência clássica de reproduzir conteúdo em Flash.

Pontos negativos

  • Você vai ter que instalar mais um browser no seu sistema.
  • Não testei e não posso atestar a eficiência e segurança deste método.
  • Depende dos desenvolvedores manterem sua promessa.

Lightspark

O Lightspark apresenta-se como um reprodutor Flash gratuito e open source. Escrito em C++/C, esse plugin para browsers roda em Linux e Windows e tem como objetivo ser compatível com todos os formatos Flash da Adobe.

Este é mais um método que não testei e não posso atestar os seus resultados. Além disso, ele ainda está em desenvolvimento (estágio alpha), pelo menos até o momento desta publicação.

Todavia, parece uma boa e interessante iniciativa.

Procurar o jogo em HTML5

Às vezes, o desenvolvedor porta o código para HTML5. Esta alternativa é geralmente recomendada como oficial, embora, na verdade, dependa muito da sorte.

Já encontrei, por exemplo, versões do Desktop Racing 2 e Cursed Treasure, os quais conheci originalmente em formato Flash. São perfeitamente compatíveis com qualquer browser moderno, sem necessidade de players nem nada, mas foram muitos os poucos jogos que encontrei nesse esquema.

Também, alguns desenvolvedores costumam converter o jogo para Android e iOS, o que significa que podem ser jogados diretamente em dispositivos móveis, embora nem sempre seja o exato mesmo game (alguns podem ser até versões premium não gratuitas dos originais).

Pontos positivos

  • Esta seria a opção “oficial”: sem necessidade de gambiarras, instalações e tal.
  • Mantém a experiência de jogar online num navegador web.
  • Creio que um jogo gratuito em Flash continuaria grátis em HTML5.

Pontos negativos

  • Muito poucos jogos foram convertidos para HTML5. A chance de você achar tudo o que quer é bem pequena.
  • Algumas características ou funcionalidades do port do game em relação ao original podem ser alteradas ou descartadas por questões de compatibilidade ou de outras ordens.
  • Pode ser que as versões em Android e/ou iOS de um jogo original em Flash tenham mais conteúdo, mas também tenham uns bagulhos pagos.

Bom, por enquanto, é tudo o que sei. Na medida em que eu for aprendendo coisas novas, compartilho aqui.

Só espero que isso já te ajude de alguma forma.

Veja também

Observação: se você gostou deste post ou ele lhe foi útil de alguma forma, por favor considere apoiar financeiramente a Gaming Room. Fico feliz só de ajudar, mas a contribuição do visitante é muito importante para que este site continua existindo e para que eu possa continuar provendo este tipo de conteúdo e melhorar cada vez mais. Clique aqui e saiba como. Obrigado!

Deixe um comentário

Inscreva-se na nossa newsletter!