Trailer do Doom II estilo Doom Eternal

21 de junho de 2019
Trailer do Doom II estilo Doom Eternal

Este vídeo é um trailer do Doom II feito no estilo Doom Eternal produzido e publicado pelo canal Szczebrzeszyniarz que eu achei mais sinistro do que as cenas apresentadas na E3 de 2019 deste game.

O sujeito utilizou partes do áudio do gameplay do Doom Eternal e adaptou, na medida do possível, o que foi apresentado pela Bethesda nesta exposição, só que usando os recursos do Doom clássico, inclusive com alguns mods para este jogo de tiro em primeira pessoa. Além disto, tem participação do Chex Warrior (do Chex Quest) e de uma classe do Hexen.

Mods usados no vídeo

Os mods para Doom usados neste trailer são:

Mapas usados no vídeo

Os mapas que foram jogados para fazer o trailer são:

Mais trailers aleatórios

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Meme Invaders

20 de junho de 2019
Meme Invaders

Meme Invaders é um clone do Space Invaders com tema dos famosos memes old school da Internet. Aqui, você controla o Pedo Bear e tem que derrotar outros personagens dos memes para conseguir as maiores pontuações.

O jogo reflete o gameplay do clássico dos arcades, o que significa que, na medida em que o game progride, você vai enfrentar ondas infinitas de inimigos cada vez mais rápidos e mais agressivos.

Controles

  • Mova usando as setinhas esquerda e direita.
  • Atire nos inimigos pressionando a barra de espaço.

Clique Aqui Para Jogar

Gears of Hell

20 de junho de 2019
Gears of Hell

Gears of Hell é um mod para Doom desenvolvido pelo Imp Hunter que traz, dentre outras funcionalidades, uma grande quantidade de monstros e armas novas.

Além dos inimigos e do arsenal, spawnados aleatoriamente nos mapas no melhor estilo Æons of Death, o mod também conta com novas músicas, gráficos, HUD, power-ups e um inventário que pode estocar certos itens. Os elementos novos do Gears of Hell são modificações de recursos originais do Doom ou foram trazidos de outros jogos, PWADs etc. Entretanto, foram combinados de maneira relativamente consistente, considerando que se trata de um mod randomizador. Leia o resto desse post »

site ou autor do arquivo Imp Hunter tamanho do arquivo 70,8 MB licencaGrátis download link Download

Doom rodando num cartucho de Nintendo 8-bit

19 de junho de 2019
Doom rodando num cartucho de Nintendo 8-bit

Este vídeo do canal TheRasteri mostra o Doom, em sua versão completa original (não é um port), rodando num cartucho de Nintendo 8-bit em um console não modificado, com uma qualidade gráfica bastante decente até.

Como o Doom precisa de 8 MB de RAM e um CPU 80386SX de 33MHz, enquanto o NES garante apenas 2 KB de RAM e seu CPU 6502 é só de 1,79MHz, o sujeito teve que fazer um gato para esta proeza dar certo, o que basicamente consistiu em embutir um Raspberry Pi (um computador de placa única muito pequeno) no cartucho.

O vídeo está em inglês, mas, pelo o que entendi, o autor combinou umas gambiarras: um esquema pra transformar um cartucho de NES 8-Bit em um console Raspberry Pi, uma técnica de emulação reversa e um controlador USB de alta velocidade para fazer a transferência de dados e garantir mais estabilidade e qualidade visual. Desta forma, o Doom é processado no Raspberry Pi, mas usa o circuito integrado no Nintendinho responsável pela geração de sinais de vídeo a partir de dados gráficos armazenados na memória, o Picture Processing Unit. Não se falou se o joystick do videogame serve para jogar o icônico jogo de tiro em primeira pessoa deste jeito.

Ao que parece, esse remendo deve funcionar em qualquer console NES 8-Bit, e o TheRasteri pretende publicar o projeto como uma espécie de guia de “como construir seu próprio cartucho de Doom“, o que será feito depois que ele melhorar a qualidade gráfica ainda mais e corrigir alguns bugs.

O camarada diz que algumas pessoas podem considerar este hack que fez como uma trapaça, mas também alega que o que foi feito não é muito diferente do que a Nintendo fez com o chip Super FX no cartucho do Star Fox do SNES, ou a Sega, com o Virtua Processor (SVP) na fita do Virtua Racing do Mega Drive.

Diria que houve um pouco de sensacionalismo na forma em que ele divulgou seu feito, mas não acho nada num nível condenável e de forma alguma deixa de ser algo muito engenhoso. E você? Qual a sua opinião?

Veja também

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Sonic SMS Remake

18 de junho de 2019
Sonic SMS Remake

Sonic SMS Remake é um fangame que recria o Sonic the Hedgehog e Sonic 2 do Master System para Android e Windows feito pela Creative Araya.

Os remakes são grátis para baixar e jogar e extremamente fieis em termos de jogabilidade, gráficos, efeitos sonoros e música de fundo, embora desfrutem de uma profundidade de cores infinitamente maiores, graças às plataformas. Leia o resto desse post »

site ou autor do arquivo Creative Araya tamanho do arquivo 14,5 MB licencaFreeware sistemas operacionais compativeisWindows, Android download link Download

Abertura do sitcom C.H.E.R.N.O.B.Y.L

16 de junho de 2019
Abertura do sitcom C.H.E.R.N.O.B.Y.L

Assista a abertura do sitcom C.H.E.R.N.O.B.Y.L, uma paródia zueira feita pelo yuri.alexeyevich que misturou a popular série baseada no desastre nuclear soviético e aquela porcaria de divertida série de comédia americana.

Mais humor

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Defenestrando Gun Frontier (1991)

16 de junho de 2019
Defenestrando Gun Frontier (1991)

Como o gameplay desta domingueira, trago aqui o Gun Frontier sendo jogado e comentado pelo canal Defenestrando Jogos, que fez uma análise muito informativa e descontraída deste shmup. O vídeo, que tem mais de meia hora de duração, é a principal fonte de dados desta publicação.

Gun Frontier é um shoot ’em up com rolagem vertical inspirado no anime de mesmo nome, desenvolvido pela Taito e lançado por esta firma para os fliperamas japoneses em janeiro de 1991. O Gun Frontier tinha muito bons gráficos, música de fundo e efeitos sonoros para sua época, mas a jogabilidade é ruim e apresenta dispositivos que o tornam desnecessariamente difícil. Isto certamente colaborou para que este game não fosse um sucesso.

De qualquer maneira, este jogo de tiro ainda recebeu ports para algumas plataformas (Saturn, PlayStation 2, Xbox, Windows), além de uma sequência, Metal Black (1991).

Enredo

O ano é 2120 e os terráqueos se espalharam para fora da sua galáxia, colonizando planetas inabitados em diferentes sistemas solares. Um planeta a ser colonizado foi o Gloria, o qual tem uma enorme oferta natural de ouro. Esta descoberta tornou Gloria um grande destino para emigração, ao ponto que as pessoas ficavam totalmente empobrecidas só para custear a viagem ao planeta. Devido a isso, a vida no planeta prosperou em um cenário semelhante ao Velho Oeste americano, com o comércio de ouro ajudando Gloria a avançar em tecnologia e conhecimento, tanto que, entre os habitantes, viviam talentosos inventores e engenheiros.

No entanto, os colonos não eram os únicos que foram tentados pelo ouro do planeta: piratas do espaço conhecidos como Wild Lizards rapidamente invadiram Gloria e começaram a dizimar as cidades e escravizar seu povo. Dois inventores de Gloria, parte das equipes de desenvolvimento do planeta, decidiram atacar os invasores, criando e usando dois caças na forma de revólveres gigantes com asas de avião.

Gameplay

Gun Frontier não difere muito de qualquer outro shoot ’em up de rolagem vertical. Os jogadores (pode ser jogado por até duas pessoas ao mesmo tempo) começam com armas duplas que podem ser reforçadas ao recolher cinco moedas que dropam de inimigos com forma de búfalo que garantem upgrades às naves. Os jogadores também começam com umas bombas que são atualizado para uma maior destruição através do recolhimento de barras de ouro de forças terrestres destruídas. Uma vez que um jogador acumula 25 bombas, eles têm acesso ao Bomber Max, a arma mais forte do jogo.

Os pilotos também podem pegar moedas girando com dois lados diferentes: um lado de prata e um lado de ouro. Se o jogador coleta a moeda no lado de prata, ele apenas ganha outra moeda para suas armas. No entanto, se o jogador coleta a moeda no lado dourado, suas armas e bombas são maximixadas ao máximo.

Uma das característica únicas das bombas é que a direção de suas explosões podem ser determinadas pelo movimento do controle. Se o jogador move o avião para o canto inferior direito da tela e lança uma bomba, ela vai viajar na direção oposta movimento do avião. Esta característica só pode ser utilizada, no entanto, quando se tem uma grande quantidade de bombas, pois apenas uma ou duas bombas irão causar nada além de uma pequena explosão. Como a maioria das bombas em shoot ’em ups, estas também funcionam como um escudo contra o fogo inimigo.

O jogo usa um sistema de checkpoints, que quando se joga sozinho, traz o jogador de volta ao último destes pontos que ele passou caso morra.

Gun Frontier também utiliza um mecanismo anti autofire onde dificulta ao máximo para o jogador sustentar uma taxa de fogo muito rápida, algo completamente desnecessário, diga-se de passagem.

Curiosidades

  • Este jogo é conhecido fora do Japão como Gun & Frontier;
  • O diretor deste jogo, Takatsuna Senba, foi um animador que se juntou a Taito e seu primeiro trabalho foi Master of Weapon. Ele logo se tornou um diretor famoso, dirigindo Metal Black e Gun Frontier. Estes dois shmups tem ótimos gráficos e músicas e muitos jogadores japoneses lembram o nome de Senba graças a estes dois jogos;
  • Este jogo foi inspirado do anime de mesmo nome de Leiji Matsumoto. Trata-se de uma história divertida, emocionante e escandalosa que ocorre em um planeta sem lei no espaço, onde você só encontra pó de areia e redemoinhos. Neste lugar, dois homens totalmente diferentes, Harlock ‘o Quick Draw e Tochiro, o Mestre Espadachim, tem que encontrar uma mulher misteriosa chamada Sinunora e viajar juntos. Este trio estranho se envolve em brigas emocionantes e ultrajantes, e parecem atrair uma luta apos outra;
  • Leiji Matsumoto, em sua série Cosmo Warrior Zero, recicla elementos de Gun Frontier para o personagem Silvana. Parece que o tie-in do PlayStation foi produzido pela Taito e o planeta se parece com Gloria neste shoot ’em up;
  • S. Yagawa prestou homenagem a este jogo na programação de Battle Garegga, que tem um monte de recursos emprestados de Gun Frontier, e não apenas design, mas também o fato de poder destruir o cenário e os sistemas de armas e bombas;
  • Como em Master of Weapon, Hisayoshi Ogura, que aparece na lista de créditos, não compôs o BGM. De acordo com Takatsuna Senba, algumas BGMs foram encomendadas por V. Ohashi;
  • A Pony Canyon/Scitron lançou um álbum em uma edição limitada com a trilha sonora deste jogo (Runark, Gun Frontier – PCCB-00060) em 21 de abril de 1991;
  • A Zuntata Records lançou um álbum em uma edição limitada com a trilha sonora deste jogo (Zuntata History L’ab-normal 1º – ZTTL-0038) em 1 de abril de 1999;
  • Em 2012, um álbum contendo a compilação da trilha sonora do Gun Frontier, Metal Black e Dino Rex foram lançados;
  • De acordo com Takatsuna Senba, o verão de 1990 foi muito quente e eles encomendaram ventiladores para resfriar os escritórios. Mas os computadores superaqueceram e todas os dados e fontes do jogo quase desapareceram.

Mais shoot ’em ups

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Flex Seal Doom

15 de junho de 2019
Flex Seal Doom

Flex Seal Doom é um WAD para Doom da Logic Obscure Productions que traz modificações inspiradas nos comerciais, produtos e memes do Flex Seal.

Apesar de ter um tema obviamente humorístico, podendo ser inclusive considerado um joke WAD, o Flex Seal Doom apresenta elementos muito interessantes no gameplay, especialmente como os monstros reagem aos ataques dos produtos Flex Seal. Uma das armas, por exemplo, pode colar de volta um inimigo que foi serrado ao meio, o que o fará lutar como seu aliado. Além disto, o PWAD conta com novos HUD, sons e gráficos. Leia o resto desse post »

site ou autor do arquivo Logic Obscure Productions tamanho do arquivo 3,5 MB licencaGrátis download link Download

Dragon Spirit

13 de junho de 2019
Dragon Spirit

Dragon Spirit (ドラゴンスピリット) é um jogo de tiro shoot ’em up de rolagem vertical desenvolvido e lançado pela Namco em junho de 1987, originalmente para os fliperamas japoneses, rodando no Namco System 1 hardware.

Em Dragon Spirit, o jogador controla um dragão que pode ser fortalecido ao recolher power-ups e que enfrenta uma grande quantidade de inimigos em um mundo de fantasia, cheio de criaturas míticas etc. Leia o resto desse post »

Crônicas da História do Videogame – Master System

12 de junho de 2019
Crônicas da História do Videogame – Master System

Crônicas da História do Videogame – Master System é um documentário produzido independentemente pelo blog Minicastle sobre o querido console da Sega que é considerado, por muitos, o videogame mais brasileiro de todos os tempos.

O documentário, com mais de uma hora de duração, fala sobre a história do console e traz muitas informações e curiosidades sobre o mesmo, além de mostrar imagens dos jogos, muito gameplay e raras peças publicitárias usadas para divulgar o Master System no mercado nacional e internacional.

Em uma das partes, se detalha bastante como foram os esforços da Tec Toy para emplacar o produto no Brasil e vencer a concorrência com os inúmeros clones do NES 8-bit. A firma foi bastante incisiva nisso, investindo e inovando bastante em publicidade, como quando comprava horários nas grades de programação da Rede Globo (o que incluía até quadros no Video Show dedicados ao Master), fazia localizações de jogos (tipo o Mônica no Castelo do Dragão), desenvolveu jogos próprios (como Street Fighter II), comprava anúncios extravagantes em revistas especializadas em videogames, lançou a Hotline, criou o Master Clube etc.

Segundo consta, o filme custou um mês inteiro de trabalho pra ficar pronto, demandou muita dedicação e foi feito também com muito Sazon amor.

Veja também

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

  • Inscreva-se na nossa newsletter!

  • Nos siga nas redes sociais!

  • Páginas

  • Áreas especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2019 Gaming Room - Powered by Facínora!