Principais Atualizações

Out Zone

13 de março de 2018
Out Zone

Out Zone (アウトゾーン) é um jogo de tiro estilo run and gun e shoot ’em up com rolagem vertical desenvolvido e lançado em agosto de 1990 pela Toaplan para os fliperamas japoneses. Em Out Zone, os jogadores controlam soldados que abrem caminho através de sete fases com dificuldade crescente, enfrentando um grande número de inimigos.

O Out Zone é um jogo relativamente obscuro, além de muito difícil. Até onde sabemos, o título não foi portado para nenhum outro sistema, nem ao menos em coletâneas, embora tenha gerado uma sequência em 1992, o Fixeight.

Não cheguei a jogar muito este jogo, mas ele é bem legal. Bons e coloridos gráficos e os controles respondem muito bem, até mesmo no emulador (um joystick ajuda bastante). É como se fosse um Ikari Warriors, Guerrilla War ou um Rambo: First Blood Part II do Master melhorados.

Vídeo

O vídeo acima exibe o gameplay do Out Zone e comenta o jogo. Foi feito pelo canal Defenestrando Jogos e fornece várias informações, as quais usamos como uma das fontes para montar este artigo.

Screenshots

As screenshots acima foram ampliadas. A resolução original é raster 240×320 com paleta de 2048 cores.

Enredo

Em 2097 d.C., a humanidade foi invadida por uma raça alienígena e não consegue repelir estes agressores do planeta. Como última solução, uma comissão das Nações Unidas permite que dois ciborgues que faziam parte do lendário esquadrão da morte entrem em combate para destruir a força invasora.

Gameplay

Como dito acima, o Out Zone é um difícil game de tiro com rolagem vertical, run and gun e shoot ’em up onde os jogadores (pode ser jogado por até duas pessoas ao mesmo tempo), controlam soldados ciborgues contra um enorme exército alienígena inimigo. Em seu caminho existem sete níveis, cada um mais difícil que o outro. No final de cada uma destas fases, acontece uma batalha contra um chefão e este precisa ser destruído para avançar no game, como acontece na maioria dos jogos do gênero.

Armamento

Em Out Zone, cada jogador pode usar uma das duas armas principais, alternando entre elas ao recolher os ícones “C”.  A arma dianteira semiautomática atira pra frente independentemente da maneira como o jogador se move, mas dispara três balas com um pequeno spread cada vez que se pressiona o botão “Fire”. O laser dispara rapidamente em qualquer direção em que você está se movendo e varre a tela na medida em que o soldado se move. Cada arma é útil em determinadas situações e, muitas vezes, precisa-se alternar entre elas, considerando como cada inimigo está na tela.

As duas armas principais podem ser atualizadas quando se recolhem dois ícones “P” e vários bônus especiais estão disponíveis como ícones “SP” de cores diferentes.

Duas armas especiais podem mudar o rumo do jogo de forma drástica:

  • Super Burner (ícone SP amarelo): uma super arma direcional de alcance limitado. Muito destrutiva, mas obriga o jogador a se mover perto dos inimigos. É, portanto, arriscado usá-la contra os chefões;
  • Super Ball (ícone SP rosa): Uma bola de energia destrutiva que circunda o jogador (e continua a circular ao redor do jogador se o botão Fire for pressionado), até que corre para a parte superior da tela, não sendo afetado pelas paredes. É a melhor escolha em qualquer situação.

Os outros bônus especiais são:

  • 1UP (ícone SP vermelho);
  • Speed ​​UP (ícone SP azul): muito interessante na segunda metade do jogo, embora o aumento da velocidade possa ser perigoso em algumas partes de labirinto ou plataformas;
  • Escudo (ícone SP rosa pálido): protege o jogador contra um tiro inimigo direto, mas não impede a perda de vida ao cair um buraco ou ficar sem energia;
  • Energy Extend (ícone SP verde): estende a barra de energia e reenche-a completamente.

Em situações desesperadoras, você pode usar um suprimento de bombas que é usado pressionando o botão “Bomb”. Estas bombas destroem todos os inimigos menores e projéteis na tela e causam muito dano aos inimigos maiores. Entretanto, as bombas não tornam o jogador invencível por nem um instante.

Curiosidades

  • A versão japonesa possui duas cut scenes que foram retiradas das versões Europeia e Americana. Uma acontece no início do jogo e outra em seu final;
  • Várias naves de outros jogos da Toaplan fazem aparições rápidas como upgrades ou bônus;
  • Seis aviões formam o esquadrão de Flying Shark que voa pela tela atacando os inimigos em um padrão em V;
  • A nave de Truxton segue o jogador, ajudando-o como um orbe;
  • A ZIG-01, a nave de Zero Wing, cruza tela e cada acerto de seus tiros concedem 5.000 pontos de bônus ao jogador;
  • O mascote Pipiru da Toaplan, que aparece no final do jogo em Zero Wing, pode ser convocado no nível um ao se atirar em um buraco fazendo surgir os dizeres “PIPI”. Ele é vulnerável a todas as armas, mas vai trazer um bônus significativo na sua pontuação se levado com segurança até o chefão da fase;
  • Out Zone possui versões diferentes, a “Old” e a “New”. Isto faz com que os inimigos mudem em algumas fases e ter menos ou mais bônus. As sequências de música também estão em ordens diferentes pelos níveis.

Dicas e trapaças

  • Invencibilidade: Se o dip switch (encontrado no emulador) “Invulnerability” estiver ativado, a invulnerabilidade é ativada. Você também poderá pausar o jogo com o botão start do Player 2 e reiniciar o jogo com o Start do Player 1.

USAAF Mustang

12 de março de 2018
USAAF Mustang

USAAF Mustang é um jogo de tiro estilo shoot ’em up de rolagem horizontal desenvolvido pela Nihon Maicom Kaihatsu (NMK) e lançado originalmente nos fliperamas pela UPL, em maio de 1990. Este game recebeu um port para o Mega Drive, lançado para este console como Fire Mustang pela Taito, em 1991.

O USAAF Mustang se passa numa Segunda Guerra Mundial ficcional, com os jogadores pilotando os famosos caças americanos P-51 Mustang e enfrentando as forças do Eixo.É um game desafiador e, embora siga apenas o padrão dos games do gênero da época, com apenas um tipo de arma e uma bomba, tem seu mérito.

Vídeo

Confira acima o gameplay do USAAF Mustang (1990) neste vídeo do canal Defenestrando Jogos. O vídeo é bem descontraído, informativo e traz várias informações e curiosidades que compilamos e reunimos com outros dados para construir este post.

Screenshots

As screenshots acima foram tiradas da versão de Arcade do USAAF Mustang. Elas foram ampliadas e a sua resolução original é horizontal, 256 × 224 pixels, 1024 cores.

Enredo

Não encontrei muitas informações oficiais sobre o enredo do USAAF Mustang, mas este se passa em uma campanha fictícia da Segunda Guerra Mundial com pilotos da United States Army Air Forces (o ramo das forças armadas americanas que precedeu a Força Aérea Americana) encarando a Lutftwaffe nazista e o Imperial Japanese Navy Air Service. Eles vão percorrer locais na Europa e Ásia contra alguma destas potências do Eixo.

Gameplay

Como dissemos, o USAAF Mustang é um horizontal scrolling shoot em ‘up padrão com apenas um tipo de arma disponível e uma bomba. Esta arma, entretanto, pode receber upgrades e ficando mais poderosa e com maior raio de ação. Os jogadores vão enfrentar várias fases cheias de uma grande variedade de diferentes aeronaves e artilharia terrestres. No fim de cada estágio, um chefão espera os pilotos, sendo geralmente um grande avião, tanque, navio ou submarino.

Curiosidades

  • A versão pirata (bootleg) do jogo usa a trilha sonora do jogo Raiden, desenvolvido pela Seibu Kaihatsu em 1990. Todas as músicas e todos os efeitos sonoros deste game estão presentes nessa versão bootleg.

Imprecisões históricas

Devido às liberdades tomadas pelos criadores do USAAF Mustang, existem várias incongruências históricas no jogo:

  • A primeira missão do game acontece em 1940 na região da Espanha, mas este era um país neutro e nunca se juntou ao Eixo, sendo no máximo um regime simpático aos socialistas alemães;
  • Os Estados Unidos não tinham entrado na guerra até dezembro de 1941;
  • O chefão da segunda fase é um submarino de cruzeiro japonês. Entretanto, exceto considerando algumas experiências feitas pelos alemães com seus U-boats, nem a Marinha Imperial Japonesa e nem outras marinhas contavam, então, com este tipo de embarcação;
  • O Mustang P-51 não estava disponível para operações até o final de 1943;
  • Existem outras imprecisões mais óbvias como os mísseis teleguiados, algo que foi certamente usado para aumentar o desafio do jogo.

Defenestrando o Cyber Police ESWAT (1989)

11 de março de 2018
Defenestrando o Cyber Police ESWAT (1989)

Confira o ESWAT sendo detonado em mais um vídeo da série “Fliperama Nostálgico”, do canal Defenestrando Jogos, que estamos adicionando aqui para você distrair nesta domingueira.

Além da nostalgia, é bom que você tem pelo menos algo pra assistir neste dia, pra depois não ter que assistir Fantástico ou algum outro besteirol televisivo e morrer de câncer e depressão.

Cyber Police ESWAT – The Ultimate Factor in the Battle Against Crime, popularmente conhecido como apenas ESWAT, é um jogo de tiro de rolagem lateral desenvolvido e lançado originalmente pela Sega em setembro de 1989 para os fliperamas (hardware System 16B). Em ESWAT, os jogadores controlam membros de uma unidade especial policial cibernética e tem que lutar contra bandidos diversos que infestam a cidade.

O game foi posteriormente portado para vários outros sistemas, como o Master System (1990), Commodore C64 (1990), Spectrum (1990), Amstrad CPC (1990), Amiga (1990) e Atari ST (1990). O Mega Drive também ganhou uma versão deste jogo, o ESWAT: City Under Siege (1990) que era bastante diferente do original do arcade e que foi portado para Android em 2017, como parte do Sega Forever (disponível aqui).

Enredo

O crime anda fora de controle em Liberty City. Para lidar com este problema, o Departamento de Polícia da Cidade de Liberty criou uma nova unidade chamada de ESWAT, Enhanced Special Weapons and Tactics. Os policiais que são promovidos para esta unidade usam um traje cibernético que contém equipamento militar de ponta, incluindo dois Turbo-Booster Thrusters, munição extra e proteção aumentada. Um policial novato, o Duke Oda, um membro da ESWAT, está disposto a dar fim a uma poderosa quadrilha que está criando o caos na cidade e limpá-la do crime. Ele precisa provar sua capacidade, colocando os criminosos mais procurados atrás das grades ou eliminando-os, junto com os seus capangas.

Gameplay

Como eu disse, o ESWAT é um scrolling shooter. O gameplay conta com alguns elementos que lembram o Shinobi, como o estilo que os inimigos se comportam e plataformas para saltar. O game também pode ser jogado por até duas pessoas ao mesmo tempo. Existem 15 fases para completar, cada uma levando os jogadores pelas ruas de Liberty, pátios de carros, estádios, restaurantes, centro comercial da cidade e o porto. Os jogadores podem recolher munição através delas, e a quantidade total dessas varia dependendo da fase.

Em ESWAT, o policial controlado pelo jogador carrega uma pistola padrão que tem uma quantidade limitada de munição. Caso da munição se esgotar, os policiais ainda serão capazes de chutar seus inimigos. Munições extras podem ser encontradas em vários pontos dos estágios. Cada jogador tem uma barra de energia com três partes de vida e, com o quarto hit, ele perde uma vida. Com a armadura, valem as mesmas regras, porém, a cada acerto, ela vai perdendo peças, deixando o personagem cada vez mais vulnerável.

À medida que o jogador avança no jogo e faz mais e mais prisões, ele será promovido. Primeiro como capitão, então Chefe Adjunto, Chefe e, finalmente, uma vez que os três primeiros chefões do jogo forem presos, a um agente ESWAT. Daí, o personagem começa a ter uma ligeira semelhança com o RoboCop (e o gameplay parece com alguns dos jogos baseados neste grande filme), devido à armadura que lhe confere um aspecto robótico. Usando a armadura, o personagem tem seu poder de fogo aumentado pelo uso de uma metralhadora, incluindo um número limitado de armas especiais que são ejetadas por um dispositivo mecânico nas costas do personagem.

Algumas das fases tem chefões no final, e estes atacam de várias maneiras. Também, estes não são apenas humanos, pois o jogador também luta contra um macaco, um tigre, um caminhão monstro no estádio dos Eagles e cyborgs.

Curiosidades

  • O jogo foi lançado originalmente em setembro de 1989 no Japão. Depois, em dezembro de 1989, nos EUA;
  • ESWAT significa “Enhanced Special Weapons And Tactics” ou “Armas e Táticas Especiais Aprimoradas”.

Dicas e manhas

  • Vencer facilmente o segundo chefão (arcade): Quando for encarar o segundo chefão (o vagabundo altão com bumerangue), apenas atire nele repetidamente até que fique sem balas. Daí, chegue bem perto dele e lhe dê um chute para vencê-lo com apenas um golpe.

Saiba mais

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Histick 6

10 de março de 2018
Histick 6

Histick 6, o sexto shooter da Mafia, está aqui e está melhor do que nunca! Este game online tem tudo o que esta série de jogos em Flash merece, como mortes furtivas e disfarces anônimos, mas tudo foi aprimorado para um nível de realismo.

Você vai ter mais armas para escolher, possibilidades de personalização e um ambiente livre para explorar. Você também vai ser capaz de usar modos furtivos e usar disfarces de inimigos e civis. Tudo para identificar e eliminar seus alvos, no estilo stick, neste jogo de tiro maneiro e online.

Controles

  • Use o seu mouse para mover, mirar e atirar.
  • Pressione R para recarregar.
  • A barra de espaço abre o inventário.

Clique Aqui Para Jogar

Operation Body Count [Remake]

9 de março de 2018
Operation Body Count [Remake]

Operation Body Count é o segundo mod da série DOSworld do Impie (Mike MacDee), onde jogos de tiro horríveis do MS-DOS são refeitos para as engines avançadas do Doom. Enquanto o primeiro mod do DOSworld, Nerves of Steel, é um remake mapa por mapa do game original, o Operation Body Count é mais uma re-imaginação deste jogo de tiro em primeira pessoa da Capstone Software lançado em 1994.

O Impie achou que a ideia de explorar quarenta andares de um edifício comercial seria tediosa como é no original, então, ao invés disto, ele criou uma série de missões de contraterrorismo baseados em outros games com enredo de terrorismo, usando os personagens e armas do OBC para interligar tudo. Como no Nerves of Steel, todas as armas e inimigos do OBC são baseados nos do jogo original. A trilha sonora do mod, por sua vez, é composta inteiramente de músicas do Amiga, visto que várias missões do mod são baseadas em jogos deste sistema.

Exceto pelo vilão principal, Victor Baloch, os personagens do Operation Body Count original não possuem nomes ou histórias, então o Impie inventou pra eles. O mais notável é o nome do protagonista, Hector Juarez, um agente experiente antiterrorista da OTAN. Tem mais detalhes sobre o enredo e outros elementos do PWAD num arquivo .PDF incluído no pacote para download.

Toda missão começa com uma sequência de instruções que explica a história de fundo e os objetivos de cada fase. Alguns dos objetivos são opcionais e apenas afetam o contador de itens da missão, enquanto outros têm que ser alcançados para atingir o objetivo definitivo da missão, algo que geralmente consiste em resgatar algum refém, desativar uma bomba nuclear etc.

Vídeo

Screenshots

Compatibilidade

Eu rodei o Operation Body Count aqui no GZDoom (2.4 e 3.2.5) com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, Final Doom e da phase 2 do Freedoom.

Saiba mais

site ou autor do arquivo Mike MacDee tamanho do arquivo 24,6 MB licencaGrátis Download

Final Ninja Zero

8 de março de 2018
Final Ninja Zero

Final Ninja Zero é o jogo que apresenta os eventos anteriores ao game online de plataforma, Final Ninja! Conta com um estilo retrô que nos lembra clássicos dos consoles 16-bit e foi desenvolvido pelo Nitrome que manda muito bem em games em Flash.

Ajude o ninjinha a escalar, pular e balançar, neste game que conta uma jogabilidade única e muito boa.

Controles

  • WASD ou Setinhas: Movimentam
  • Mouse: Mira e atira

Clique Aqui Para Jogar

The Brick Maze

7 de março de 2018
The Brick Maze

The Brick Maze é um jogo online (em Flash) que é inspirado no antigo e divertido Fantasy Zone do Master System onde objetivo é escapar de um labirinto de tijolos usando as chaves e os cristais, enquanto sai fora dos inimigos.

Este joguinho vai testar suas habilidades e tem um estilo retrô bacana, com gráficos em pixel art e tal.

Controles

  • Setinhas ou WASD: Movimentar

Clique Aqui Para Jogar

Lunar Connection

6 de março de 2018
Lunar Connection

Lunar Connection é um clone do clássico City Connection, um game desenvolvido e lançado em 1985 pela Jaleco. Como no original, sua missão em Lunar Connection é dirigir o carro através da rodovia lunar, atirando e desviando dos inimigos.

Boa sorte!

Controles

  • X: Atira
  • Z: Pula
  • Setinhas: Movimentam

Clique Aqui Para Jogar

Tiny Wizard

5 de março de 2018
Tiny Wizard

Tiny Wizard é um jogo retrô online (Flash) que parece muito com os games de PC do início da década de 90. Tem assim um visual bacana e nostálgico e conta com boa jogabilidade e dificuldade crescente.

Em Tiny Wizard, você é um pequeno bruxo que vive em um pequeno mundo. Assim, você construiu uma torre para você morar, mas agora ela foi estranhamente invadida por esqueletos reanimados.

Controles

  • WASD: Movimenta
  • Mouse: Mira e atira
  • Barra de Espaço: Magia Uber
  • F: Lançar bombas
  • TAB: Muda de chapéu (e magia)
  • 0: Desliga som
  • + e -: Ajusta o volume

Clique Aqui Para Jogar

Defenestrando Vapor Trail (1989)

4 de março de 2018
Defenestrando Vapor Trail (1989)

O jogo antigo a ser defenestrado hoje é o Vapor Trail, em mais um vídeo do Fliperama Nostálgico, a série de games de arcade do canal Defenestrando Jogos.

Como você sabe, estamos adicionando aqui este vídeo, que é muito informativo e descontraído (sem descambar para o retardo mental), para você ter algo de útil para assistir neste domingo. Usamos o trabalho como principal fonte para esta publicação.

Vapor Trail: Hyper Offense Formation, conhecido também apenas como Vapor Trail, é um shoot ’em up desenvolvido e lançado em 1989, onde os jogadores controlam caças de uma unidade especial de combate e tem que destruir o reduto dos terroristas que ocuparam Nova Iorque.

O jogo saiu originalmente para os fliperamas e, em 1991, foi portado para o Mega Drive/Genesis. O Vapor Trail também recebeu duas sequências: o Rohga – Armor Force (Fliperama, PlayStation, Saturn e PSN), em 1992, e o Skull Fang (Saturn e Fliperama), em 1997.

Enredo

Em 1999, uma organização terrorista conhecido apenas como DAGGER ocupou a cidade de Nova York, invadindo as defesas militares americanas e estabelecendo o seu próprio comando e obtendo acesso aos silos de mísseis nucleares. Nesta posição, os terroristas colocam o mundo como refém e prometem cancelar as suas ameaças de destruir a Terra somente quando os governos do mundo entregarem o poder e o controle para eles. Uma força de combate aérea especial (Special Forces Air Unit) é convocada para atacar as instalações controladas pela DAGGER e destruir a suas defesas na sede da ONU, em Nova York. Até então, a cidade permanece em silêncio.

Gameplay

Vapor Trail pode ser jogado por até dois jogadores que podem controlar os caças de combate simultaneamente. Existem três tipos de jatos que variam entre entre velocidade e poder de fogo:

  • Silph – É a aeronave mais equilibrada. Ela atira sempre para frente e seus disparos são mais espalhados;
  • Valkyrie – Carrega mais poder de fogo e seus disparos são mais concentrados;
  • Seylen – É o caça mais veloz e seus disparos seguem duas direções, focalizando mais tiros para a frente com dois pela sua parte traseira.

As armas das aeronaves podem ser melhoradas com upgrades que são disponibilizados durante o game. Estes vão desde mísseis teleguiados, armas de toque, lança-chamas e várias outras. Cada jato também pode ativar um escudo defletor para ajudar a escapar de enrascadas.

Armas

Os jogadores têm podem escolher uma entre quatro armas diferentes, que podem ser recolhidas durante o game:

  • Vulcan – É a arma padrão do jogador que dispara em frente, mas, dependendo do jato selecionado, pode disparar para destruir grandes grupos de inimigos;
  • Bombs – Uma arma de tiro direto e explosiva que retém o mesmo padrão de disparo para todos os jatos, mas aumenta o número de vezes em que pode ser disparada de uma só vez, quando faz upgrade nela;
  • Defender – Uma arma de tiro de cluster que circunda o caça controlado pelo jogador e é atualizado como as bombas;
  • Missiles – São mísseis teleguiados que disparam em múltiplas direções. Dependendo de qual jato ele é usado, os mísseis são atirados em diferentes direções, semelhante ao que o ocorre com a Vulcan.

Os jogadores também têm a opção de pegar o S-Unit, um acessório de arma que habilita o disparo do jato, não importa qual arma seja recolhida anteriormente, com o ataque desta unidade diferindo uns dos outros em cada avião. Uma vez que a S-Unit for equipada, o jogador não pode mais usar suas armas anteriores, a menos que esta seja detonada, o que não prejudica o jogador, mas prejudica o inimigo à medida que a unidade irá causar uma explosão grande e poderosa.

Cada jato está equipado com um dispositivo que lhes permite fazer um kamikaze com segurança em outros jatos. Este deve ser recarregado após cada uso.

Versão do Mega Drive/Genesis

Como disse mais pra cima, em 1991, o Vapor Trail acabou sendo portado e lançado para o popular console da Sega pela Telenet Japan, no Japão, e pela Renovation Products, na América do Norte. Esta versão acabou sendo bem fiel ao original, apesar das limitações impostas pelo hardware. Até mesmo a display ratio foi mantida durante a conversão, com a adição das barras laterais, embora conste que tenha a jogabilidade levemente melhor e seja mais fácil que o original dos arcades. O port do Mega também foi apresentado no programa de videogames Nick Arcade, na parte Video Challenge deste show. Os efeitos sonoros do jogo foram amostrados na música “Doctor Rhino”, de Snazin Smith.

Curiosidades

  • O nome da organização terrorista foi trocado para Ragnarok, na versão original japonesa, conhecida como Kuuga – Operation Code Vapor Trail (空牙 – Operation Code Vapor Trail).

 

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Mighty Knight 2

3 de março de 2018
Mighty Knight 2

Mighty Knight 2 é a sequência do Mighty Knight, como você poderia iamginar. Neste game, o mundo precisa da sua ajuda de novo e você precisa de usar seus poderes e habilidades para lutar contrao  Diabo e seus lacaios. Tem um monte de inimigos e eles querem a sua pele, mas você é o único que pode destruir a todos eles.

Este beat ’em up online (em Flash), apesar da sua plataforma, é extremamente divertido e bem feito. O enredo de Mighty Knight 2 se passa num mundo de fantasia medieval cheio de bárbaros, cavaleiros, demônios, esqueletos e outros mortos-vivos. Além disso, ele pode ser jogado por até duas pessoas no mesmo computador.

Empreste sua força para o bem e lute pela paz! Boa sorte!

Controles (Single player)

  • Setinhas, WASD ou ZQSD: Movimentar
  • J, K ou L: Atacar
  • Barra de Espaço: Troca de personagens
  • 1, 2, 3 e 4: Hotkeys

Controles (Jogador 1)

  • WASD ou ZQSD: Movimentar
  • F, G ou H: Atacar
  • Barra de Espaço: Troca de personagens

Controles (Jogador 2)

  • Setinhas: Movimentar
  • [,], [.] ou [/]: Atacar
  • : Troca de personagens

Atenção: Você precisa de completar os dois primeiros níveis do game para destravar o modo multiplayer do Mighty Knight 2.

Clique Aqui Para Jogar

Ion Maiden: o novo jogo da 3D Realms que usa o engine do Duke Nukem 3D, Blood e outros FPS clássicos

1 de março de 2018
Ion Maiden: o novo jogo da 3D Realms que usa o engine do Duke Nukem 3D, Blood e outros FPS clássicos

Ion Maiden é o novo jogo da 3D Realms que usa o engine do Duke Nukem 3D, Blood e outros FPS clássicos, o Build. Ficamos conhecendo este projeto interessantíssimo, o qual emprega e aprimora a tecnologia e o estilo que ajudou a consagrar o gênero, ontem, num tweet da firma.

O tweet, que inclusive anunciou que o jogo já está disponível no Steam (embora ainda não completo), também liberou o trailer de lançamento do Ion Maiden e causou um certo alvoroço no nosso canal do Discord. Por isso, o Facínora resolveu lançar um Notícias com esta novidade empolgante:

O Ion Maiden apresenta a Shelly “Bombshell” Harrison, uma expert em desarmamento de bombas que ganhou o apelido “Bombshell” por causa disso, embora também seja gostosona. A protagonista é uma agente da Global Defense Force que resolveu entrar em ação quando o líder de um culto transhumanista, Dr. Jadus Heskel, enviou um exército cibernético para atacar Neo DC. A sua jornada vai deixar uma trilha de sangue e carnificina em fases imensas e cheias de passagens, dos famosos keycards coloridos, easter eggs e segredos por trás de cada esquina.

O Ion Maiden está, atualmente, em acesso antecipado e pode, ou não, sofrer alterações no futuro. Entretanto, as screenshots e o trailer do jogo já deixam claro que o visual está excelente e o gameplay parece acelerado o suficiente.

É interessante notar também que, apesar do fato da engine original, o Build, ter sido aprimorado, com mais cores e funcionalidades modernas (algo que é explicado na própria página do Ion Maiden no Steam), o game mantém um estilo eminentemente retrô, especialmente devido ao uso de sprites, em detrimento de modelos, para os gráficos dos inimigos e armas. Veja isto você mesmo no trailer abaixo, com 60fps e HD.

Trailer de lançamento do Ion Maiden

Falando em sprites, o HDoomGuy (ex-mike12), o modder conhecido pela criação do HDoom, foi um dos artistas que trabalhou no Ion Maiden. Ele falou sobre isto num tweet de ontem, também.

Ion Maiden está sendo desenvolvido independentemente pela Voidpoint e foi lançado pela 3D Realms ontem, dia 28 de fevereiro de 2018, no Steam. Só achamos um pouco salgado: R$ 37,99 pilas o preço normal e R$ 34,19 até o dia 7 de março.

Helicops!

28 de fevereiro de 2018

Helicops!Helicops! é um jogo online em Flash de tiro que tem o gameplay parecido um pouco com os da série do Desert Strike. Leve a briga para o ar com o helicóptero mais irado do pedaço e entregue sua marca patenteada de justiça aos criminosos que invadiram os céus da nossa bela cidade, pois eles não vão se dar bem enquanto você estiver por conta.

Você é o melhor dos melhores, o mais bravo dos bravos. você é um Helicop! Vá cumprir o seu dever.

Bons gráficos, dificuldade crescente, e a possibilidade de melhorar seu helicóptero e ganhar prêmios por seu desempenho, fazem de Helicops! um game bem interessante para passar o tempo!

Controles

  • WASD: Movimentar
  • Setinhas ou Mouse: Girar e atirar
  • Barra de Espaço: E.M.P.
  • Shift: Trocar de armas
  • P: Pausar game

Clique Aqui Para Jogar

Vanilla as Fuck

27 de fevereiro de 2018
Vanilla as Fuck

Vanilla as Fuck é um mod para Doom que está sendo desenvolvido pelo JoeyTD, conhecido também como BeardedDoomDad, que foca em aprimorar o jogo original sem deixar perder o gameplay e o estilo retrô do mesmo, tirando ideias de outros grandes mods e de FPS populares dos anos 90.

Atualmente, o mod já conta com novas armas e aprimoramentos em suas animações (estão bem fluidas), um HUD bastante old school (anos 90 purinho), novos sprites com rotações completas para quase todos os pick-ups, spawn aleatório do armamento e outros efeitos bacanas que combinam com a proposta do projeto. Pelo o que vi, o autor está planejando novos monstros e outras funcionalidades que devem ser adicionadas no futuro.

O arsenal combina modificações das armas originais, elementos dos Dooms alphas, algumas novidades e outras baseadas no próprio jogo, como o rifle de Plasma da Arachnotron ou o Lança-chamas do Mancubus. O PWAD conta também com algumas alterações no gameplay que ainda não vi em outros mods, como os monstros recebendo splash damage dos próprios disparos ou a motosserra alertando os inimigos ao ser acionada.

À primeira vista, parece não haver modificações muito complexas ou incrementadas neste PWAD, mas, quando você começa a explorá-lo, percebe como os elementos e alguns detalhes foram aprimorados e combinados de uma forma coerente e original, assim como as novidades no gameplay potencialmente deixam as partidas mais interessantes. Eu gostei muito desta proposta e o resultado está ficando legal. Espero que ele continue a trabalhar no mod.

Vídeos

O vídeo acima é o nosso showcase com o review do Vanilla as Fuck. Foi gravado no Mapa 32 do Doom II para poder mostrar as armas mais de boa.

No vídeo acima, do JoeyTD, parece que vai ter mais coisas que ainda não estão disponíveis nesta versão pública que eu experimentei, como novos monstros e efeitos, como cases também voando quando os inimigos atiram.

Screenshots

Compatibilidade

O Vanilla as Fuck rodou aqui no GZDoom 2.4 e 3.2, com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, The Ultimate Doom, Final Doom e de ambas phases do Freedoom. O mod parece funcionar de boa com isso tudo.

Saiba mais

site ou autor do arquivo JoeyTD tamanho do arquivo 4,00 MB licencaGrátis Download

Defenestrando Virtua Racing (1992)

25 de fevereiro de 2018
Defenestrando Virtua Racing (1992)

Assista o Virtua Racing sendo defenestrado em mais um episódio do Fliperama Nostálgico, uma série de vídeos a respeito de jogos antigos dos arcades do canal Defenestrando Jogos. Além do gameplay e imagens diversas do Virtua Racing, o vídeo compartilha várias informações e curiosidades sobre o mesmo e é a principal fonte de dados que usamos para montar este post.

Estamos adicionando isto aqui, como sempre, para você ter algo que dá pra assistir no domingo que não te faça pegar câncer e morrer com bastante sofrimento depois de ligar a televisão em algum canal neste dia.

Virtua Racing, ou apenas V.R., é um jogo de corrida de Fórmula 1 desenvolvido pela Sega e lançado em outubro de 1992 para os fliperamas japoneses, originalmente. Primeiro jogo de corrida a ser totalmente renderizado com gráficos poligonais (sendo esses sombreados e preenchidos) o V.R. foi portado para consoles caseiros posteriormente, como o Mega Drive (1994)*, Sega 32x (Virtua Racing Deluxe, 1994), Saturn (TimeRank Interactive’s V.R. – Virtua Racing, 1995) e pro PlayStation 2 no Sega Ages 2500 Series Vol. 8: V.R. – Virtua Racing Flat Out, de 2004, e no Sega Classics Collection, em 2005.

Considerado um dos games mais influentes de todos os tempos, o Virtua Racing lançou os parâmetros que guiariam os jogos de corridas tridimensionais subsequentes e popularizou os gráficos poligonais 3D. De fato, lembro que ele era do baralho (nesta época, quando a Sega inventava de caprichar, ela não brincava em serviço) e, mesmo depois quando ele já não era mais nenhum lançamento e “custava” apenas uma ficha, em casa, a gente jogava o Formula One Grand Prix para quebrar o galho, que embora seja um excelente game de F1 para PC, não tinha a mesma sensação de velocidade.

Gameplay

O jogo de arcade original tem três níveis de dificuldades: o novato é “Big Forest”, o intermediário é “Bay Bridge” e o especialista é “Acropolis”. Cada nível tem sua própria característica especial. Por exemplo, o parque de diversões em “Big Forest”, ou a própria “Bay Bridge”, ou o hairpin apertado da “Acropolis”.

Além dos gráficos sublimes e excelente jogabilidade, Virtua Racing também permitiu que os jogadores mudassem os ângulos das câmera para se adequarem ao estilo de jogo preferido. Esse recurso, chamado de V.R. View System, foi então usado na maioria dos futuros games de corrida de fliperama da Sega (um dos destaques do épico Daytona USA, por exemplo).

No mais, é um jogo de corrida esportiva mesmo, com o jogador tendo que ultrapassar os adversários em pistas variadas e tal. O jogador também tem que alcançar os check points, sendo a linha de chegada apenas um deles, antes que o tempo acabe e dê game over. Claro que a diversão era maior ainda quando tinham mais pilotos humanos disputando, e, pelo o que vi, os gabinetes podiam ser linkados para até oito pessoas jogarem simultaneamente (embora o mais comum fossem máquinas para apenas duas pessoas mesmo). Eu lembro que o Virtua Racing, assim como o Daytona, dava uma nerfada no piloto que estava à frente quando se jogava no multiplayer, mas posso estar enganado…

Curiosidades

  • Virtua Racing foi o primeiro jogo de corrida poligonal da Sega AM2, uma divisão da firma japonesa que era dedicada ao desenvolvimento para arcade. O jogo apresenta muitas inovações na época, como mudar o ângulo da câmera, sentir a firmeza da direção ou o banco interagindo com a gravidade;
  • A Sega usou o nome Virtua em uma variedade de outros produtos, como o Virtua Fighter, Virtua Cop, Virtua Striker e Virtua Tennis;
  • A Toshiba EMI lançou um álbum com trilha sonora do game em uma edição limitada no dia 15 de dezembro de 1993, o Virtua Racing & Out Runners – TYCY-5365, 5366;
  • Embora o uso de gráficos poligonais em 3D tenha sido iniciado pelas rivais Namco, com Winning Run em 1988, e a Atari, com Hard Drivin’ em 1989, Virtua Racing tinha visões amplamente melhoradas em termos de contagem de polígonos, taxa de quadros e complexidade geral de tela. Além disso, como dissemos, exibiu outras inovações como vários ângulos de câmera e NPCs em 3D, que contribuíram para uma maior sensação de imersão;
  • Michael Jackson costumava possuir este jogo (modelo Wide Vision, número de série: 00461579), que também foi vendido no leilão oficial do cantor em 24 de abril de 2009;
  • No Gamest Awards do Japão em 1992, o Virtua Racing foi nomeado para Melhor Jogo de Ação, Melhor Direção e Melhores Gráficos, mas perdeu para Street Fighter II’: Champion Edition, Art of Fighting e Xexex, respectivamente;
  • *O cartucho do Virtua Racing para o Mega Drive é enorme em comparação com todos os outros, porque incluía o chip SVP (Sega Virtua Processor);
  • O primeiro jogo a ser processado em polígonos preenchidos foi o incrível lançamento da Atari de 1983, I, Robot.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Página 7 de 209« Primeira...4567891011...20...Última »
  • Seja social e nos siga!

           
  • Páginas

  • Áreas especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2018 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.