Pesquisador de Oxford alerta para mais regulação nos games e falecimento do Marquinhos, das pegadinhas, e do General Sheppard, do Command & Conquer

4 de abril de 2019
Pesquisador de Oxford alerta para mais regulação nos games e falecimento do Marquinhos, das pegadinhas, e do General Sheppard, do Command & Conquer

A 52ª edição das Notícias do Facínora comenta o alerta de mais regulação nos videogames feito por um pesquisador de Oxford e fala sobre os falecimentos do Marquinhos, das pegadinhas do João Kleber, e do ator Eric Martin, quem representou o General Sheppard no Command & Conquer.

Estes foram os assuntos tratados neste nosso vídeo abaixo:

Alerta para ainda mais regulação nos videogames

Segundo a PC Gamer, o professor da Universidade de Oxford, Andrew Przybylski (o mesmo do estudo que revelou, mais uma vez, que os jogos violentos não tem relação com comportamento violento), fez um alerta importante para a indústria dos videogames e a ESA (Entertainment Software Association): comecem a jogar limpo, pois os estudos que andaram fazendo para se defender das babaquices da OMS (“aiem vidiogame visia”) estão cheias de viés ou resultados escolhidos a dedo, mas não estão enganando ninguém. Przybylski avisa que isto é um motivo para a OMS e os patetas que dão ouvidos a ela implementarem regulações violentas e agressivas contra o mercado de jogos eletrônicos, o que inclui também ainda mais roubo (impostos) e multas.

E esses jacus estão doidos pra controlar os games até sem motivo, imagina com essas empresas cheias da grana querendo dar golpe do João-sem-braço? Acho que pega mal mesmo.

Falecimento do Marquinhos

No último sábado (30/03), recebi a triste notícia do falecimento do Marquinhos, o famoso ator de pegadinhas e humorista Marco Antônio Eugênio Martini. Famoso pelo bordão “o que, o que, o que?” e pelas pegadinhas clássicas do João Kleber, Marquinhos tinha 70 anos e estava lutando contra um câncer no cérebro, descoberto no final de 2018. Em março, Marcos passou por uma cirurgia, que resultou em complicações. A causa do óbito foi falência múltipla de órgãos.

A produção do programa João Kleber Show prestou uma homenagem ao ator após a confirmação no falecimento, que e se trata de uma pegadinha muito engraçada e bem no estilo clássico dele:

Junto com o Ivo Holanda, o Marquinhos é certamente um dos mais famosos das pegadinhas televisivas brasileiras. Seu falecimento é deveras uma grande perda.

Você pode obter mais informações no site da Rede TV.

Falecimento do General Shepperd

As notícias tristes não param por aí. O ator Eric Martin, quem representou o comandante supremo da GDI no Command & Conquer, General Mark Jamison Sheppard, também faleceu depois do que parece ter sido uma longa e dolorosa batalha contra problemas de saúde. Tem uma vaquinha pedindo dinheiro pro tratamento dele que explica a sua situação e falou um pouco sobre a vida do ator, mas, infelizmente, ele morreu ontem (02/03). O pior que a campanha estava fazendo o maior sucesso no Go Fund Me.

Como o C&C: Tiberian Dawn é um dos jogos mais importantes pra mim (um dos primeiros do nosso Hall da Fama), esta notícia me deixou bastante chateado, ainda mais diante das circunstâncias tristes do ocorrido. Abaixo, tem ele passando o briefing de uma missão do Command & Conquer pro jogador:

Além do Command & Conquer (1995), Eric trabalhou também nos jogos The Legend of Kyrandia: Malcolm’s Revenge e The Legend of Kyrandia: The Hand of Fate. Além disto, ele teve papéis no filme Perseguido pela Vingança (1995) e na série de comédia Today I F Up (2015).

Rezemos pelo Marquinhos e pelo Eric. Que Deus os receba em Sua imensa glória.

Fontes e mais informações

Eis que surge mais um projeto querendo criminalizar videogames

2 de abril de 2019
Eis que surge mais um projeto querendo criminalizar videogames

Mesmo depois de pesquisadores de Oxford, uma das mais tradicionais universidades do mundo, terem comprovado mais uma vez que não existe qualquer relação entre jogos violentos e comportamento agressivo, eis que surge mais um projeto querendo criminalizar videogames, inclusive sob pena de prisão pra quem jogar.

Todo dia é uma palhaçada nova. Já não bastasse políticos parasitarem o “contribuinte”, ainda tem que vir com essas propostas acintosas. Quem traz esta ridícula, porém temerária notícia é o Velberan, que também comenta a presepada que foi inventada por um deputado desses qualquer aí, tal de Júnior Bozzella (PSL).

Engraçado que tanto proporcionalmente como em números absolutos, existem muito mais assassinos e corruptos na política do que esses atiradores de pinto curto que jogaram videogames, mas ninguém propõe uma lei pra proibir deputados a fim de parar de incentivar comportamento criminoso.

Enfim, os videogames são atacados por socialistas de todos os lados, seja pela direita ou pela esquerda, e eles não vão cansar, pois tudo o que eles querem é mandar na vida dos outros (a fantasia de todo político) pra se sentirem importantes ou inteligentes, coisas que invariavelmente não são.

Atualização: Mesmo com forte rejeição popular, projeto anti-games avança

Fontes e mais informações

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Psycho Fox

1 de abril de 2019
Psycho Fox

Psycho Fox é um excelente jogo de plataforma com rolagem lateral desenvolvido pela Vic Tokai Corporation e lançado pela Sega para o Master System em 1 de junho de 1989. Em Psycho Fox, o jogador controla uma jovem raposa ou algum dos seus amigos – um hipopótamo, um macaco e um tigre – cada um contando com características ou especialidades distintas.

Considerado o antecessor espiritual do DecapAttack, o Psycho Fox foi relançado no Brasil pela Tec Toy como Sapo Xulé vs. Os Invasores do Brejo. Nesta versão, os quatro protagonistas foram substituídos por um sapo, um porco, uma tartaruga e um rato, algo similar ao que foi feito com o Wonder Boy in Monster Land, que saiu aqui como Mônica no Castelo do Dragão.

Joguei o Psycho Fox no Brasil em sua versão original mesmo. Foi uma recomendação de um então amigo da escola que disse que era o melhor título de Master que ele teria jogado até o momento. É deveras um game sensacional que combina agradáveis gráficos coloridos, controles excelentes, desafio e uns elementos do Super Mario Bros. 2, como o lance de poder trocar de personagens eventualmente durante as partidas.

O jogo foi bem recebido pela crítica na época, mas não me lembro de ter sido um sucesso estrondoso. Todavia, por ter sido um jogo muito marcante de uma das plataformas mais importantes pra mim, o Facínora, introduzi o Psycho Fox no nosso Hall da Fama no dia 1º de abril de 2019 (e não é pegadinha).

Vídeo

O vídeo acima, além de mostrar um pouco do gameplay do Psycho Fox, ensina uma manha muito boa para você zerar o jogo em pouquíssimo tempo: como pular do round 1-1 para o 7-1.

Enredo

Dentre um grupo de raposas sacerdotes que cultuam Inari Daimyojin (uma “divindade” raposa), uma raposa maligna chamada Madfox Daimyōjin se infiltrou até os mais altos graus e tomou o controle do santuário. Depois de tomar o poder, Madfox corrompeu a terra e criou hordas de criaturas. Uma jovem raposa foi escolhida pelo seu povo para livrar a a terra deste mal. Este herói viria a ganhar o nome de Psycho Fox.

Gameplay

O jogador assume inicialmente o controle de Psycho Fox e deve atravessar cada estágio começando do lado esquerdo até alcançar o lado direito, eliminando ou evitando os inimigos. Para transformar-se em algum dos outros animais amigos, ele tem que recolher um power-up que parece saído do Xintoísmo ou alguma gnose dessas aí. Cada um dos personagens tem características especiais e únicas:

  • Hipopótamo: é lento e não consegue saltar tão alto, mas pode atravessar certos blocos ao longo do jogo. Ele tem a vantagem também de não escorregar tanto no gelo;
  • Macaco: pode saltar bem mais alto que as outras criaturas;
  • Tigre: é o mais veloz dos animais, o que pode colaborar para ele dar saltos mais longos também.

Todos os animais podem dar um soco nos inimigos ou saltar sobre eles até afundarem-nos no solo. Se agachar depois de pegar velocidade, eles podem agachar, o que possibilita passar por caminhos baixos etc. Psycho Fox e seus amigos podem também usar o Birdfly, um passarinho que pode ser usado como um bumerangue para atingir os inimigos ou até descobrir passagens secretas pelas fases (como no vídeo acima). O Birdfly também garante que o jogador possa receber um ataque sem perder vida, servindo meio que de armadura para os heróis.

Se começa o jogo com três vidas, as quais são perdidas sempre que o jogador for atingido por um inimigo ou cair em algum buraco sem fundo na tela, na água ou em alguma armadilha. Se perder todas as vidas, é game over, mas tem continue que, ao ser usado, permite-se recomeçar no início do mundo.

Os power-ups ou itens do Psycho Fox são relativamente variados. Eles podem dropar dos inimigos aleatoriamente, aparecer dentro dos ovos ou lucrados nas fases de bônus. Eles podem ser a invencibilidade temporária (um frasco com um papel escrito “S” dentro), o Birdfly, o item de macumbeiro lá que permite trocar de personagem (parece uma escadinha), um bonequinho de palha que ataca todos os inimigos da tela, um clone do personagem que vale 1 vida se alcançado e um saco branco que permite jogar as fases de bônus no fim de cada área. Para usá-los, deve-se pressionar Pause (do Master System, não do teclado) e usar o direcional para selecionar o power-up desejado, confirmando com o Botão 2 e cancelando com o Botão 1. Os ovos podem spawnar inimigos também, cabendo o jogador a decorar qual é qual pra não ser pego de soslaio. 

Existem sete mundos em Psycho Fox, e, no final de cada um deles, tem um chefão, embora alguns sejam repetidos. Os mundos são divididos em três rounds onde inimigos e obstáculos estão espalhados, incluindo espinhos, balas de canhão, escadas rolantes, bolas de fogo e vapor. Os inimigos que não forem devidamente enterrados podem surgir de novo e partirão em busca de vingança.

O Psycho Fox é notável pelas passagens secretas e warps (atalhos que permitem saltar de um round a outro). É um bom desafio ao jogador descobri-las todas, até mesmo para ganhar mais pontos, vidas, power-ups etc.

Screenshots

Curiosidades

  • Em 11 de agosto de 1992, Psycho Fox recebeu uma resenha positiva da revista Mean Machines que destacou o fato do jogo ser viciante e ter bons gráficos. A revista Sega Magazine, por sua vez, descreveu-o como um dos melhores jogos do Master System em 1990;
  • Os heróis do Sapo Xulé vs. Os Invasores do Brejo, o relançamento localizado do Psycho Fox no Brasil que citei acima, são o Porcopum (um porco), Ratopulga (o rato), Tartafede (a tartaruga) e o próprio Sapo Xulé (daquela música do sapo que não lava o pé). O Sapo Xulé apareceu em outras dessas gambiarras da Tec Toy também. Além dos protagonistas, os vilões principais também foram substituídos nesta versão.

Saiba mais

Defenestrando Shinobi (1987)

31 de março de 2019
Defenestrando Shinobi (1987)

Como chegou o domingão, e aqui é quase sempre dia disto, trazemos para você um gameplay de jogo antigo, sendo a vez do Shinobi do fliperama sendo jogado e comentado pelo canal Defenestrando Jogos. Além de ser algo que presta pra assistir hoje, também é um vídeo bastante informativo, e usamos os dados compartilhados nele para criar esta publicação.

Shinobi (忍) é um jogo de plataforma desenvolvido e lançado pela Sega originalmente para os fliperamas japoneses, em novembro de 1987. Neste primeiro jogo de uma série com mais de uma dezena de títulos, conversões para outros sistemas e spin offs, você é Joe Musashi, um ninja moderno que tem que resgatar alunos das mãos de um grupo de terroristas.

Este game foi merecidamente um enorme sucesso para a Sega. Sua perfeita mistura de plataforma e ação estabeleceu o esquema “fácil de jogar, difícil de dominar” um conceito que passou a ser muito usado por outras empresas.

Este game foi merecidamente um enorme sucesso para a Sega. Sua perfeita mistura de plataforma e ação estabeleceu o esquema “fácil de jogar, difícil de dominar”, um conceito que passou a ser muito usado por outras empresas. O port de Master System, inclusive, foi bastante aclamado pela crítica especializada. De fato, me lembro de ser um jogo muito bem falado na época mesmo, embora eu tenha jogado mais a sua paródia deste console, Alex Kidd in Shinobi World.

Enredo

Joe Musashi que tem que encarar uma organização criminosa chamada Zeed que está sequestrando os jovens estudantes de seu clã ninja chamado Iga. Musashi deve abrir caminho através dos capangas e chefes de Zeed até chegar à sede desta quadrilha e libertar todas as crianças feitas reféns pelos bandidos.

Gameplay

Shinobi é um jogo de plataforma com ação que tem a jogabilidade parecida com outros grandes nomes da Sega que o sucederam, como Cyber Police ESWAT ou o Moonwalker do Master e do Mega. O jogador é um ninja que deve abrir caminho através de 5 missões – cada uma dividida entre 3 e 4 estágios – onde deverá lutar contra os inimigos e resgatar todas as crianças sequestradas em cada nível, com o número de reféns restantes exibido em um medidor no canto inferior esquerdo da tela.

Os controles do Shinobi do arcade consistem em um joystick de oito direções e três botões: ataque, salto e magia. O jogador pode movimentar-se agachado pressionando o direcional para alguma diagonal inferior e saltar para andares superiores ou inferiores pressionando pra cima ou pra baixo mais o botão de pulo.

O protagonista começa cada nível armado com infinitas estrelas ninjas shuriken, uma arma para ataques de longo alcance, podendo usar socos e rasteiras no combate corpo a corpo. Libertando certas crianças, uma pistola com o poder de ataque dobrado e uma espada podem ser liberadas, podendo serem usadas até o final do estágio ou até se perder uma vida.

Além disso, o jogador dispõe de um Ninjutsu por estágio, um poder que mata ou inflige dano a todos os inimigos na tela. Existem três tipos de Ninjutsu: uma tempestade de raios, um tornado e um ataque super rápido de Joe Musashi que ataca 12 vezes de uma vez só (parecem clones do ninja). Caso complete-se um nível sem uso da magia, pontos de bônus são concedidos. O mesmo acontece quando o jogador usa apenas ataques corpo a corpo para matar os inimigos.

Dentre os inimigos tempos punks, mercenários, vários tipos de ninjas vestidos de cores diferentes e os espadachins mongóis geralmente guardam os reféns. Musashi pode encostar na maioria dos inimigos sem dano e só pode ser morto se for atingido por seus ataques, como um soco, facada ou projétil, ou cair em um buraco sem fundo. Quando isso acontece, o jogador deve reiniciar o estágio desde o início, embora os reféns que já foram salvos não precisem ser resgatados novamente. Cada inimigo vale 100 pontos, com exceção dos que guardam os reféns, que valem 500 pontos cada, e os chefões (5.000).

Os continues estão disponíveis durante o jogo, exceto na missão final. O jogador tem um limite de tempo de três minutos para completar cada etapa, com pontos de bônus podendo ser concedidos dependendo de quão rápido as áreas são limpas. Todo chefão que é derrotado faz o jogador ser levado para uma fase de bônus similar a algumas partes do Alien Storm, onde que um grande número de ninjas vai tentar “saltar” da parte de trás da tela para a frente para atacar o jogador. Uma vida bônus é concedida se o jogador conseguir matar todos os ninjas sem ser atacado. Dá pra ganhar vidinha também atingindo certas pontuações ou resgatando algum refém especial.

Curiosidades

  • “Shinobi” foi um dos muitos nomes dados aos ninjas no Japão feudal. Sua tradução literal é “stealer-in” (algo como ladrão sorrateiro), uma referência aos Ninjas especializados em, acima de tudo, espionagem. Com o emprego de um número de truques, como caminhar com discrição e ficar contra o vento para não ser detectado por nenhum animal de guarda. Em um nível mais sorrateiro, o Shinobi era também um mestre do disfarce, e muitas vezes ia “roubar” as comunidades aldeãs disfarçado como um morador local, ou em palácios inimigos disfarçados como um sacerdote;
  • O rosto de Marilyn Monroe aparece em vários cartazes na segunda fase da missão 1;
  • A versão deaArcade de Shinobi aparece no livro 1001 Video Games You Must Play Before You Die do editor geral Tony Mott;
  • A versão de Amiga do Shinobi contém mensagens no código para quem craqueasse o jogo;
  • Um gabinete do jogo Shinobi podia ser visto na Nickelodeon All That (1997 à 2000). No entanto, era uma marquise ficcional que foi feito para o show.

Série

Como dito acima, o Shinobi deu início a uma longa série de jogos. Abaixo, os temos em uma lista (e não estamos contando os spin offs):

Exibir conteúdo: Série

Ports

O grande número de conversões do Shinobi para consoles e computadores caseiros é evidência que o jogo foi também um grande sucesso no mercado:

Exibir conteúdo: Ports

Mais Shinobi

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Call of Ops Multiplayer

30 de março de 2019
Call of Ops Multiplayer

Call of Ops Multiplayer é um jogo de tiro em primeira pessoas para browsers criado pelo brvasil inspirado na popular série Call of Duty. Ele promete gráficos avançados e um grande arsenal de armas modernas para você meter bala nos jogadores rivais em mapas altamente detalhados.

Controles

  • WASD: Movimentar
  • Mouse: Mira e atira
  • 1 a 3: Selecionar armas
  • R: Recarregar
  • B: Comprar armas
  • Barra de Espaço: Saltar
  • C: Agachar
  • T: Chat
  • TAB: Abrir menu

P.S.: Se você gostou deste jogo, experimente também o Future Soldier Multiplayer!

Clique Aqui Para Jogar

Warcrafts clássicos no GOG, demissões na EA e trailers do Streets of Rage 4, Borderlands 3 e Wolfenstein: Youngblood

29 de março de 2019
Warcrafts clássicos no GOG, demissões na EA e trailers do Streets of Rage 4, Borderlands 3 e Wolfenstein: Youngblood

Esta publicação tem as notas da 51ª edição das Notícias do Facínora, onde falamos sobre a chegada dos Warcrafts clássicos no GOG, demissões na EA e trailers do Streets of Rage 4, Borderlands 3 (ou Borderlands: Mask of Mayhem) e Wolfenstein: Youngblood.

Aqui, você pode encontrar as fontes, mais informações e demais referências aos assuntos citados neste nosso vídeo jornalístico, o qual se encontra logo abaixo:

Clique aqui para acessar a publicação completa

O jogo Dead by Daylight traz Ash, do Evil Dead, dublado pelo próprio Bruce Campbell

28 de março de 2019
O jogo Dead by Daylight traz Ash, do Evil Dead, dublado pelo próprio Bruce Campbell

Acabei de ver no Twitter do Bruce Campbell que o jogo Dead by Daylight vai trazer o seu personagem mais popular, Ash J. Williams, da franquia The Evil Dead, que será dublado pelo próprio ator.

O tweet em questão trazia também um vídeo que mostra Campbell fazendo as vozes do jogo e umas zueiras, como é o de costume. Parece que só faz referência à lamentavelmente extinta série Ash vs. Evil Dead, mas todos nós sabemos que a história do Ash começa em 1981, com o primeiro filme The Evil Dead (lançado aqui como Uma Noite Alucinante ou A Morte do Demônio):

Pra quem não conhece (tipo eu), o Dead by Daylight é um jogo de terror multiplayer (4 vs. 1) onde um jogador assume o papel de um assassino selvagem, enquanto os outros quatro jogadores jogam como sobreviventes, tentando escapar do assassino e evitar serem pegos e mortos.

Este esquema do Dead by Daylight me lembrou o Who Dun It, um mod para Doom onde um dos jogadores tem que matar os outros, que não sabem quem o assassino é.

Mais Evil Dead

Dicas e truques para o Shinobi de fliperama

27 de março de 2019
Dicas e truques para o Shinobi de fliperama

Temos aqui algumas dicas e truques para o Shinobi de fliperama, a versão original da estreia do ninja Joe Musashi que deu início a uma das séries de maior sucesso da Sega.

Como é de costume na Gaming Room, na medida em que eu descobrir ou ficar sabendo de alguma dica nova, irei atualizando a publicação.

Vamos aos macetes:

Ganhando vidinhas extras com os reféns

No jogo, existem reféns especiais que garantem vidas extras (1UP) em vez de pontos quando são resgatados. Esses reféns são:

  • 2º refém no estágio 2-2;
  • 1º refém no estágio 2-3;
  • 2º refém no estágio 3-1;
  • 5º refém no estágio 3-2.

Tem uma outra manha que diz que quando você resgatar um refém, se tiver 3 dígitos idênticos no final de sua pontuação (descontando o último digito, que é sempre 0), tipo: 70.000, 100.000, 109.990, 68.880 ou 141110, o ícone de 1UP aparecerá em vez do ícone de pontos sobre o refém e ele vai te dar uma vidinha extra.

Pontos extras

A não ser que você esteja usando continue, cada partida começa na primeira missão e terá tudo que você precisa para completar cada uma das fases. Cada nível deve ser concluído em 3 minutos, e todos os reféns devem ser resgatados antes que você possa progredir para o próximo. Se você for morto, todos os reféns resgatados antes de sua morte permanecerão registrados como resgatados. Se você terminar a fase antes do tempo terminar, ganhará bônus.

Além de ataques corpo a corpo, você também poderá usar uma magia, chamada de Ninjutsu no jogo, uma vez por nível. Esses ataques infligem dando a tudo o que está na tela, eliminando todos os inimigos menores, mas você ganhará um bônus de 5.000 pontos se você conseguir completar um nível sem usar a magia. Consta também que se o jogador completar um nível usando apenas ataques corpo a corpo (melee), também será agraciado com 20.000 pontos de bônus.

Os bônus em pontos são importantes pois atingir uma certa pontuação garante vidas extras.

Impedir que os inimigos atirem

Nos estágios que tem aqueles carinhas da bazuca (rounds 3-2), empurre um deles contra uma parede cerca de dez vezes (sempre empurrando em sua direção, nunca parando), e verá então que todos os inimigos que usam a bazuca e o revólver não serão mais capazes de usar suas armas contra você.

Ninjutsu, o ataque ninja mágico

O Ninjutsu é o ataque especial do Shinobi que pode ser usado uma vez por estágio e pode eliminar todos os inimigos da tela (menos os chefões). Tem três tipos de Ninjutsu no jogo:

  1. Multiple-Attack Magic: Permite que você ganhe velocidade extremamente rápida para atacar até 12 vezes de uma só vez. Parece uma porção de clones de Joe Musashi;
  2. Tornado Magic: Traz um tornado mágico para explodir os inimigos;
  3. Lightning Magic: Faz com que o ar crepite com eletricidade e destrua os inimigos.

Dicas gerais

  • Joe basicamente morre com um ataque que sofrer, então você deve evitar todos os ataques inimigos ou arriscar perder uma vida (óbvio);
  • Na medida em que você se torna mais experiente em se movimentar, não dependerá de suas armas de ataque à distância (shurikens etc.) e pode usar sua espada ninja. Ou seja, pegue a manha pra tentar vencer os estágios usando apenas ataques melee e ganhar os pontos de bônus citados acima;
  • Muitos dos inimigos nas últimas missões irão atacar Joe em números. É de vital importância aprender a atacar e pular o mais rápido possível, caso contrário você será rapidamente derrotado;
  • Seu objetivo principal é, claro, resgatar todos os reféns para que saiam do nível, e, embora inicialmente o limite de tempo de três minutos pareça bastante generoso, se você enrolar muito, ele vai se esgotar rapidamente;
  • É importante se tornar bom nos níveis de bônus, já que é uma das maneiras de de ganhar vidas extras. Estas fases exigirão que você elimine cerca de trinta ninjas que estão tentando saltar e te atacar. Todavia, não existe uma estratégia preto no branco. Você vai ter que afiar seus reflexos e coordenação motora para atingi-los antes que eles saltem para a segunda plataforma. Estes estágios de bônus ocorrem no final de cada missão;
  • Lembre-se que a magia (Ninjutsu) só pode ser usada uma vez por nível, portanto faça bom uso dela, tipo quando estiver totalmente cercado por inimigos e não tiver como fugir;
  • Todos os chefes precisam de levar oito golpes para morrer. Entretanto, alguns devem ser atingidos apenas no lugar certo para que cada golpe conte.

Mais Shinobi

Liberadas screenshots da remasterização do Blood

26 de março de 2019
Liberadas screenshots da remasterização do Blood

A Atari e a Nightdive Studios liberaram screenshots da remasterização do Blood que esta sendo desenvolvida no momento e parece que o bagulho está ficando bem bacana.

Esta versão remasterizada do jogo originalmente desenvolvido e lançado pela Monolith Productions em 1997 promete muitos aprimoramentos. De acordo com o que pude ver no site Gaming Union, bonito está ficando. Aliás, resolvi lançar o 50º Notícias do Facínora falando sobre estas screenshots, na segunda parte do vídeo (na minutagem 10:30):

Obs.: a primeira parte do vídeo acima fala sobre a aprovação do Artigo 13, algo que pode inviabilizar a internet mundial. No finalzinho, tem uma parte do Ultra-Crispy também.

Blood é um dos nomes mais cultuados dos jogos de tiro em primeira pessoa. Desenvolvido sobre o famoso engine Build, que também deu vida ao Duke Nukem 3D e ao Shadow Warrior, este FPS trouxe muitos elementos ao gênero que seriam adaptados ou copiados em vários outros jogos (e mods para Doom).

Em Blood, encarnam o pistoleiro morto-vivo Caleb enquanto ele procura vingança contra o deus das trevas Chernobog. O arsenal de Caleb apresenta uma mistura de armas convencionais e de macumbeiro que têm um devastador e cheio de gore. Os jogadores visitam um mundo aterrorizante povoado por um plantel de inimigos profanos, incluindo cultistas, gárgulas, zumbis, cães infernais etc.

Já havíamos falado sobre esta remasterização do Blood em duas ocasiões anteriores (aqui e aqui), mas estas são as primeiras imagens que vi sobre o trabalho. Elas seguem logo abaixo:

E você? O que está achando disto tudo?

Parlamento europeu aprovou suas novas palhaçadas, incluindo o Artigo 13

26 de março de 2019
Parlamento europeu aprovou suas novas palhaçadas, incluindo o Artigo 13

O parlamento europeu, um bando de burocratas que ninguém sabe como foram parar lá, que não controlam nem as próprias esposas, mas querem mandar nos sites dos outros, aprovou suas novas palhaçadas, incluindo o Artigo 13.

A European Copyright Directive, algo como “diretriz europeia de copyright” foi aprovada pelos membros do Parlamento Europeu hoje (26/03) de manhã. Os parasitas aprovaram a nova legislação com 348 votos a favor e 274 votos contra:

Pra quem não sabe do que estamos falando, tratamos deste assunto no Notícias do Facínora 35, antes da European Copyright Directive ser de fato aprovada, e mostramos como isto vai arruinar a Internet de modo indelével, até mesmo para quem não mora na Europa (tem a versão em texto aqui):

A legislação deve agora ser implementada por estados membros individuais da União Européia, incluindo o “Artigo 13”, agora sorrateiramente chamado de “Artigo 17” na legislação, abrangendo plataformas de internet com conteúdo enviado por usuários – uma categoria que inclui não apenas o YouTube, mas também uma variedade de redes sociais e sites.

Claro que a cachorrada que quer monopolizar a criação de conteúdo, vindo com essa conversinha de “propriedade” intelectual em conluio com o estado (corporativismo), comemorou, mas o que espanta mesmo (não muito) é que o YouTube, certamente uma das plataformas que em tese seriam mais prejudicadas, mandou um papo rola cansada, ao invés de condenar veementemente esta maracutaia desses vagabundos analfabetos da União Européia:

Todavia, teve fortes reações contrárias a esta babaquice, como do militante pró privacidade Max Schrems, que avisou aos estados-membros da UE  que enfrentarão um escrutínio ao implementar a legislação:

Mas sei lá, se o pessoal grande e que tem bufunfa na mão não tomar uma atitude contundente, acho que vai ficar por isso mesmo. Afinal, é como dizia o saudoso Alborghetti: “tudo que pinta de novo, pinta na bunda do povo”.

Versão em vídeo do artigo

Resolvi fazer uma leitura deste artigo e inserir na 50ª edição das Notícias do Facínora, que também falou sobre as screenshots da versão remasterizada do Blood:

A União Europeia destruiu a Internet

O vídeo abaixo mostra algumas das consequências desta nova loucura relacionada à copyright e a União Europeia, apontando também os principais interessados nesta palhaçada:

Mais informações

  • Inscreva-se na nossa newsletter!

  • Nos siga nas redes sociais!

  • Páginas

  • Áreas especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2019 Gaming Room - Powered by Facínora!