Principais Atualizações

Machinima demite funcionários e vai realmente fechar

4 de fevereiro de 2019
Machinima demite funcionários e vai realmente fechar

Depois de remover todos os vídeos de seu canal do YouTube, o Machinima demite 81 funcionários e vai realmente fechar.

Os proprietários Otter Media confirmou que vai acabar mesmo e as chicotadas psicológicos nos funcionários: “Um seleto número de funcionários da Machinima permanece com a empresa, que agora está ativamente fornecendo serviços para sobrecarregar o portfólio combinado da Otter Media”, disse um representante da Machinima. A Machinima cessou suas operações restantes, o que inclui demissões“.

A Warner adquiriu a Machinima em novembro de 2016, vindo a ser comprada pela gigante AT&T em junho de 2018. A eliminação do catálogo anterior da Machinima veio após uma reorganização dos ativos digitais da Warner no início deste ano.

A notícia foi comentada pelo Dave Jones em um de seus vídeos de notícias, onde também disse que existe uma petição para trazer o Jailson Mendes para o Mortal Kombat 11, mais mesquinharia da Nintendo e outras coisas:

Para quem não conhece, o Machinima era um site dedicado à criação de vídeos de animação e notícias fundado em janeiro de 2000 por Hugh Hancock em Los Angeles. O nome “Machinima” vem da junção das palavras machine (máquina) e cinema, relacionando o uso da tecnologia em vídeos de animação em ambientes de jogos virtuais. Alguns consideram o Machinima a única forma de monetizar conteúdo relacionados a videogames no YouTube a uns anos atrás, e desempenhou um papel determinante na popularização de canais de gaming nesta plataforma.

Mais notícias

Defenestrando GunForce: Battle Fire Engulfed Terror Island (1991)

3 de fevereiro de 2019
Defenestrando GunForce: Battle Fire Engulfed Terror Island (1991)

Assista o GunForce: Battle Fire Engulfed Terror Island sendo defenestrado nesta live do canal do Celso Affini que foi exibida em março de 2016. É mais um gameplay de jogo antigo de fliperama que estamos adicionando aqui para você ter algo decente para assistir na domingueira. O vídeo, cujo o conteúdo começa na minutagem 14:49:, é bastante descontraído, nostálgico e informativo, e é a principal fonte de dados desta publicação.

GunForce: Battle Fire Trafou Terror Island (ガンフォース), conhecido também apenas como GunForce, é um jogo que combina tiro e plataforma desenvolvido e lançado pela Irem para os fliperamas em junho de 1991.

O jogo, bastante desafiador e avançado pra sua época, foi portado para o Super Nintendo em 1992 e ganhou uma sequência em 1994, o GunForce II, conhecido como Geo Storm no Japão. Ele saiu também para computadores pessoais: Windows (2011), Apple (2011) e Desura (2013, IREM Arcade Hits).

Enredo

Os soldados saltam de paraquedas de um bombardeiro em uma ilha e precisam abrir seu caminho através de hordas inimigas para poderem travar a batalha final para proteger a Terra dos invasores.

Gameplay

O GunForce é um jogo de de tiro e plataforma com rolagem lateral com suporte para até duas pessoas ao mesmo tempo enfrentarem um grande número inimigos, usando jipes, helicópteros, motocicletas e as várias armas diferentes que podem ser recolhidas pelas fases.

Diria que o GunForce é também um run and gun, visto que seu gameplay consiste em avançar enquanto se atira em todas as forças inimigas que cruzarem seu caminho em um esquema similar ao Contra. A arma inicial atira projéteis com rapid fire e tem munição infinita, mas outros tipos de armamento, como lança-chamas ou um laser, podem ser recolhidos e ficar sem munição. O jogador pode atirar em linha reta ou nas diagonais e os veículos também poderão disparar.

Cada uma da fases devem ser vencidas em um determinado período de tempo ou o jogador perde uma dessas vidas. No Super Nintendo, tem-se 3 continues e cinco vidas de início.

Curiosidades

  • 750 máquinas do GunForce foram vendidas nos EUA;
  • A sequência deste jogo, o GunForce II, foi criada pela mesma equipe que mais tarde formaria a Nazca. Esta é também considerada a predecessora espiritual do Metal Slug e guarda muitas semelhanças com este título. Isto faz do primeiro GunForce o “avô espiritual” dessa popular franquia. No vídeo acima, aliás, tem também um pouco do gameplay do GunForce II;
  • A versão americana tem a famosa e verdadeira frase “Winners Don’t Use Drugs’ (Vencedores Não Usam Drogas), visto que noiado tem mais é que se f00der mesmo.

Dados técnicos

  • Hardware: Irem M-92A;
  • CPU principal: V33 (@ 9 Mhz), V30 (@ 7.15909 Mhz);
  • Chips de com: YM2151 (@ 3.579545 Mhz), GA20 (@ 3.579545 Mhz)
  • Jogadores: 1 ou 2
  • Controles: 8 direções
  • Botões: 2

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Future Soldier

2 de fevereiro de 2019
Future Soldier

Future Soldier é um jogo estilo shooting gallery online (para browsers) onde você é um soldado de elite do futuro e sua missão é atirar nas forças inimigas usando seu rifle tático de assalto.

Controles

  • Use o mouse para jogar.

Clique Aqui Para Jogar

A Fistful of Doom

2 de fevereiro de 2019
A Fistful of Doom

A Fistful of Doom é uma conversão parcial do Doom ambientada no Velho Oeste criada por Gali que traz novas texturas, sons, níveis de dificuldade, inimigos e três mapas próprios, sendo um deles (Mapa 31) a versão noturna do segundo. Ele pode ser jogado tanto single player como no deathmatch ou no cooperativo.

O Fistful of Doom foi lançado originalmente em 1995, eleito um dos 10 melhores mods daquele ano e listado no Top 100 WADs de todos os tempos do Doomworld. Ele é notável também por ter sido um dos primeiros WADs a apresentar música dinâmica, o que foi feito graças a um Imp enterrado no solo com o seu efeito sonoro substituído por uma canção.

Vídeo

O vídeo acima mostra o High Noon Drifter combinado com o Fistful of Doom. Foi jogado pelo Tyrant120, que terminou as duas fases normais.

Screenshots

Compatibilidade

A Fistful of Doom foi criado para o Doom 2 v1.9, o que significa que ele pode ser rodado até no engine original de MS-DOS. Nós rodamos no GZDoom mesmo, e provavelmente qualquer port avançado deve ser compatível, mas se você quiser uma experiência mais “pura”, sem esquentar a cabeça com DOSbox, experimente o Chocolate Doom ou o Crispy Doom.

O mod também precisa de um IWAD no formato do DOOM2.WAD, ou seja, o do Doom II: Hell on Earth, Final Doom ou o da phase 2 do Freedoom.

Veja mais

site ou autor do arquivo Gali tamanho do arquivo 1,59 MB licencaGrátis download link Download

NET e Claro tentam conluio novamente com a Anatel para limitar a Internet

1 de fevereiro de 2019
NET e Claro tentam conluio novamente com a Anatel para limitar a Internet

Depois de terem seus planos frustrados em 2016, NET e Claro tentam conluio novamente com a Anatel para limitar a Internet, a fim de convencer a quadrilha agência reguladora a permitir que vendam pacotes franqueados. Caso tenham sucesso, num mercado altamente monopolizado como o das operadoras de internet no Brasil, significará na prática o fim das conexões ilimitadas.

Fiquei sabendo desta novidade temerosa num artigo do Adrenaline, “NET e Claro voltam a falar com a Anatel sobre limitar a internet com franquias“, assinado por Mateus Mognon, e foi o assunto abordado na 43ª edição das Notícias do Facínora:

Como gameplay, o Facínora jogou um skirmish offline contra bots no Quake Champions: Doom Edition 2.0, no mapa 12 do Aeon QCDE, Hong Kong Adventures.

Enfim, ao contrário da forte reação negativa de 2016 a esta proposta indecente, desta vez, por algum motivo, pouca gente parece ter dado atenção. Talvez seja por causa do novo governo ou pelo desastre em Brumadinho monopolizando o debate na rede nos últimos dias, mas se a Anatel acatar esta tentativa (e mesmo que não acate, eles podem tentar novamente sempre que der na telha), até estas discussões mais urgentes ficarão prejudicadas.

Claro, se não fossem estas regulações, se as operadoras viessem substituindo os planos de internet ilimitada por esses seus planoszinhos franqueados de meia tigela, nem precisaríamos preocupar, pois logo entraria algum outro competidor disposto a suprir a demanda por uma conexão decente, mas não é o caso.

No vídeo, o Facínora aborda como as regulações impostas pela a Anatel são na verdade entraves e barreiras a entrada de novos competidores no mercado, criando um oligopólio onde menos de 10 empresas enormes podem prover Internet no país. Como qualquer aspirante a concorrente, especialmente os pequenos, é impedido, sob ameaça de violência, de entrar no mercado, estas firmas ficam numa posição confortável, podendo não apenas manter o serviço tradicionalmente porco que sempre ofereceram aos brasileiros, mas tentar formas de piorar mais ainda para lucrarem ainda mais. Isto é o chamado corporativismo [3].

Embora este episódio tenha sido feito de forma bastante casual ou mesmo que a nova tentativa seja frustrada sem necessidade de muita gente se manifestar, é importante frisar que isso não é apenas é gravemente péssimo para o mercado e para a sociedade, mas também a imoralidade que são estas regulações, como e porque elas surgem.

Pela abolição imediata da Anatel

Para aprofundar mais ainda neste raciocínio e mostrar a imoralidade desta “indecente autarquia reguladora”, que é “a responsável pela péssima qualidade da telefonia e da internet brasileiras, bem como pela carestia dos serviços”, assista também o vídeo do Paulo Kogos abaixo:

Fontes e mais

  1. NET e Claro voltam a falar com a Anatel sobre limitar a internet com franquias – Fonte e notícia original.
  2. Desastre na Grande BH: Barragem da Vale rompe na cidade de Brumadinho – Aconteceu relativamente perto do Facínora.
  3. A ameaça iminente da regulação do videogame – Neste texto e vídeo, também se fala como as grandes empresas se beneficiam das regulações estatais para impedir a concorrência, expondo como o corporativismo tem sendo feito no mercado dos games.
  4. Considerações econômicas, sociais e morais sobre a hype – Um outro assunto relevante que afeta este mercado em questão.
  5. Anatel já aprontava em 2011 – Olavo de Carvalho mostra que em 2011, anos antes dessa canalhice de cartéis de operadoras de Internet, a Anatel já estava a aprontar.
  6. Provedoras incompetentes em acordo com a Anatel para piorar a internet BR ainda mais – Publicação de 2016 onde noticiamos a primeira vez que tentaram esta presepada.
  7. Regulações protegem os regulados e prejudicam os consumidores

Peon

31 de janeiro de 2019
Peon

Peon é um jogo em Flash online que game explora, num esquema de pancadaria beat’em up bem parecido com Golden Axe, a vida de um peão orc que luta por liberdade e vingança.

Orcs são fortes, maus e feios, certo? Mas nem todos eles são bandidos…

Controles básicos

  • Setinhas: Movimentar
  • Z: Ataque Básico
  • C: Pula
  • X: Ataque Especial

Controles avançados

  • Esquerda/Direita 2x: Correr
  • Corrida + C: Pular Correndo
  • Pular Correndo + Z: Arrombada
  • Pulo + Z: Pular atacando
  • P: Pausar
  • M: Menu

Clique Aqui Para Jogar

Determination

29 de janeiro de 2019
Determination

Determination é um mod para Doom desenvolvido pelo meu consagrado RiboZurai onde você controla Chara, do Undertale.

Conhecido no nosso canal do Discord como o Mod da Faquinha, Determination só tem dois tipos de ataque: a faca do Wolfenstein 3D, que aqui mata instantaneamente qualquer inimigo, e uma energia lançada pelo tiro alternativo. Existe também uma risada que espanta os monstros por alguns momentos, novas músicas e modificações, em maior ou menor grau, no HUD, sons e gráficos.

Note que, apesar do HUD contar combo, experiência e níveis, estes, assim como os números que aparecem na tela quando se mata com a faca, não alteram em nada o jogo. Isto é só para simular o Undertale.

Vídeo

O vídeo acima é o showcase que fiz para o Determination em nosso canal. Joguei o mod sozinho em umas partes e combinei-o com o Kriegsland Enemies Pack e o Big Chungus Arena em outras.

Screenshots

Reviewzinho de bobeira

Este é o segundo mod de Undertale que o RiboZurai fez que fiquei sabendo. O primeiro é o grande sans. Tal qual como acontece no sans., as coisas ficam bem mais fáceis com o Determination, pelo menos em certas situações, mas não significa, de modo algum, que este PWAD não seja desafiador. Também gostei da ideia do Determination, embora ele não tenha muito mais novidades para apresentar. O estilo retrô dos gráficos usados e o clima sombrio das músicas novas criam uma atmosfera bastante peculiar e única

Compatibilidade

Rodei o Determination aqui no GZDoom (2.4.0 e 3.6.0) com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, The Ultimate Doom, Final Doom e Freedoom. Parece que funciona de boa com tudo isso.

Saiba mais

  • [Undertale] Determination. – Tópico do PWAD no ZDoom criado pelo próprio autor, com mais informações, link alternativo para download e onde você pode procurar por eventuais updates. Em inglês.
site ou autor do arquivo RiboZurai tamanho do arquivo 1,45 MB licencaGrátis download link Download

1993

28 de janeiro de 2019
1993

1993 é um horripilante e peculiar mod de terror para Doom II que coloca o jogador sozinho em mapas com aspecto muito sinistro e misterioso que podem ou não spawnar uma quantidade aparentemente infinita de cabeças fantasmagóricas do que parecem ser bebês zumbis.

O WAD, cujo autor não consegui identificar, não traz nenhum mapa novo, mas altera as cores do jogo (que fica numa espécie de escala de cinza), troca a caveira do menu por uma Cruz de São Pedro, e modifica uns gráficos, os nomes dos níveis de dificuldade, o HUD e alguns sprites. O 1993 também tira as músicas de fundo e praticamente todos os pick-ups e armas, deixando apenas os potions e os armor bonus. A única arma disponível é uma faca, com a qual já se inicia o game.

Os monstros, chamados de “Thing” no código do mod, podem ou não spawnar nas fases. Geralmente, elas ficam vazias, podendo apenas o jogador encontrar a saída sem maiores problemas, mas, caso os inimigos apareçam, vão aumentando em número rapidamente, tornando a vida bem complicada.

Vídeo

O vídeo acima foi feito pelo Aquarius199 em sua série Creepy Doom WADs. Ele joga e comenta este mod sinistro, tentando vencer as fases, algo que parece quase impossível.

Screenshots

Compatibilidade

Creio que o 1993 precisa do ZDoom ou de alguns de seus ports derivados para funcionar. Aqui, testei no ZDoom 2.8.1, Zandronum (2.0 e 3.0) e no GZDoom (1.8.2 e 3.6.0) e com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, Final Doom e da phase 2 do Freedoom. Parece que funciona de boa com tudo isso.

Se você carregar um IWAD com a estrutura do DOOM.WAD, as músicas não são removidas e não sei se roda direito, mas o jogo não crasha.

Veja também

  • 1993.WAD / Облако Mail.Ru – O site russo de onde surgiu este WAD, com link alternativo para download. Se o antivírus apitar, pode ignorar sem medo. Só vai pedir para minerar um pouquinho no seu browser (256 hashes) pra ajudar a gente a manter as nossas atividades.
tamanho do arquivo 259 KB licencaGrátis download link Download

Defenestrando E.D.F. – Earth Defense Force (1991)

27 de janeiro de 2019
Defenestrando E.D.F. – Earth Defense Force (1991)

Como domingo aqui geralmente é dia de gameplay de jogo antigo, vamos assistir aqui o Earth Defense Force sendo defenestrado em mais um quadro Fliperama Nostálgico. O vídeo, que é bem descontraído, mas sem deixar de ser informativo (é uma das fontes deste post), foi exibido em forma de live e, portanto, o conteúdo começa na minutagem 5:42, para aos 20:15 e volta no 24:19.

E.D.F. – Earth Defense Force é um jogo de tiro estilo shoot ’em up de rolagem horizontal com tema de ficção científica desenvolvido e lançado pela Jaleco em março de 1991, originalmente para os fliperamas. O Earth Defense Force foi portado para o SNES mais tarde naquele ano (com o título de Super Earth Defense Port) e ganhou também versões para Wii e iPhone em 2011.

Enredo

Versão arcade

No futuro, a Terra é inesperadamente atacada pelo Azyma, um misterioso império dedicado a erradicar toda a vida no planeta de sua nave capitânea Orbital Satellite Buster. A única esperança da Terra reside nas naves de combate XA-1 e XA-2, desenvolvidas recentemente pela organização conhecida como E.D.F: Earth Defence Force.

Versão de Super Nintendo

Uma organização maligna chamada Azyma (ou AGYMA) ameaça os 200 anos de paz que a galáxia vinha desfrutando. De sua base no lado mais distante da Lua, eles infiltraram em vários locais importantes na Terra. Depois de atacarem a Terra, descobre-se que Azyma está desenvolvendo uma super arma na Lua capaz de destruir toda a vida em nosso planeta. Trabalhando no Earth Defense Force, você é o piloto solitário da aeronave XA-1 que deve partir para combater Azyma.

Gameplay

Earth Defense Force é um tiro lateral com seis fases onde os jogadores vão guiar seus caças futuristas que podem usar um oito armas de última geração. Cada fase tem seu próprio chefão, o qual deverá ser encarado caso se sobreviva até chegar ao final dela.

O jogador normalmente começa cada nível com três pontos de shield (escudo), cada um capaz de absorver um ataque inimigo. É como se fossem as vidinhas do EDF e são representados no canto superior direito da tela por elipses verdes. Pontos de escudo adicionais podem ser ganhos assim que uma pontuação predeterminada é atingida. Embora este contador marque no máximo cinco pontos de escudo, pode-se conseguir mais, mesmo que não apareçam na tela. Isto é extremamente raro, devido à dificuldade do jogo e às próprias pontuações que devem ser alcançadas para ganhar mais escudo. Se todo o shield for perdido, é game over, precisando de adicionar mais créditos para continuar a partida.

Earth Defense Force usa um sistema bem único de levels, no qual o jogador ganha experiência ao derrotar inimigos para upgrades das armas que ele tem acesso.

Curiosidades

  • Como você já deve ter adivinhado ao ler este post, a versão de Super Nintendo conta com um enredo diferente da original do fliperama. Além disto, ela é apenas single player, seus gráficos são ligeiramente inferiores (sprites menores, embora contem com efeito de transparência) e uma fase diferente.

Dados técnicos

  • Hardware: Jaleco Mega System 1-B;
  • CPU Principal: Motorola 68000 (@ 12 Mhz);
  • CPU de som: Motorola 68000 (@ 7 Mhz);
  • Chips de som: Yamaha YM2151 (@ 3.5 Mhz), (2x) OKI6295 (@ 30.303 Khz);
  • Jogadores: 2 (fliperama) e 1 (SNES);
  • Controles: Joystick de oito direções e dois botões;
  • Programadores: S A S e Azvear-s;
  • Gráficos principais: Wan Da You, Ca-Sai e Nekomasa;
  • Sub-gráficos: Crayon Gear e Shimizu;
  • Musica: Tsukasa Tawada;
  • Produtor: Yuki.Arai.

Saiba mais

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Special Strike 2.6

26 de janeiro de 2019
Special Strike 2.6

Special Strike 2.6 é um jogo de tiro em primeira pessoa online baseado no clássico Counter-Strike que apresenta bons gráficos 3D, um grande arsenal de armas, diferentes modos de jogo e vários mapas altamente detalhados.

Além disto, você pode jogar online com milhares de outros jogadores pelo mundo no modo multiplayer!

Controles

  • WASD: Movimentar
  • Mouse: Mira e atira
  • R: Recarregar
  • B: Comprar armas
  • T: Chat
  • TAB: Menu
  • C: Agachar
  • 1, 2 e 3: Selecionar armas
  • Barra de Espaço: Pular

P.S.: Se você gostou deste jogo, experimente os outros da série Special Strike!

Clique Aqui Para Jogar

  • Inscreva-se na nossa newsletter!

  • Nos siga nas redes sociais!

  • Páginas

  • Áreas especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2019 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.