Principais Atualizações

Doom Tournament

15 de setembro de 2018
Doom Tournament

Doom Tournament é um mod para Doom criado por Marisa Kirisame que traz as armas do Unreal Tournament (1999) para o icônico jogo de tiro em primeira pessoa da id Software.

O PWAD apresenta novas telas, sons e pick-ups, além de um belo HUD, mas o destaque vai mesmo para o arsenal, onde cada um de seus itens consistem em modelos do primeiro Unreal Engine, com excelentes animações e visuais. Além disto, estas armas são bem balanceadas, contam com altfires e, pelo menos até o momento, podem ser combinadas com pacotes diversos de monstros.

Achei do caralho o Doom Tournament. As armas estão belas, a jogabilidade excelente e o fato de poder combinar com pacotes de monstros abre um leque enorme de possibilidades. É a prova que fica muito mais bonito usar modelos, que aliás são os mesmos do UT99, do que fazer sprites deles. Enfim, é Penske material.

Vídeo

O vídeo acima foi feito com a versão do mod atualizada no dia 5 de setembro de 2018.

Já o anterior mostra uma baguncinha que fiz este excelente mod, combinando-o com o Quake II Stuff, Kriegsland Enemies Pack, Vanilla Chex Quest in ZDoom e The Original Levels do WolfenDOOM.

Screenshots

Compatibilidade

Rodei o Doom Tournament aqui no GZDoom 3.5.1 com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, The Ultimate Doom, Final Doom e de ambas as phases do Freedoom. Parece que o mod funciona de boa com isso tudo.

Saiba mais

site ou autor do arquivo Marisa Kirisame tamanho do arquivo 10,7 MB licencaGrátis download link Download

Códigos de trapaça do jogo HacX

14 de setembro de 2018
Códigos de trapaça do jogo HacX

Temos aqui os códigos de trapaça do jogo HacX, o jogo de tiro em primeira pessoa da Banjo Software que também é uma conversão total, ou seja, um mod, do bom e velho Doom. Todos estes cheat codes devem ser digitados diretamente no teclado durante as fases para funcionar, assim como no engine original do clássico da id (só que as senhas são diferentes):

  • WUSS – Ativa invencibilidade (god mode);
  • BLAST – Garante todas as chaves, armas, armadura e munição;
  • WHERE – Garante o automapa completo;
  • WALK – Permite atravessar paredes (o famoso noclip mode). Digite de novo para desligar;
  • WARPME## – Salta para a fase ##, onde ## é o número do mapa/fase;
  • ZAP – Taser;
  • SEEIT – Abre menu de power-up;
  • SUPERMAN – Ativa invencibilidade temporária;
  • WACKO – Ativa modo berserk;
  • GHOST – Ativa invisibilidade temporária;
  • BOOTS – Ativa botas;
  • BRIGHT – Ativa amplificador de luz;
  • WHEREAM – Exibe coordenadas;
  • SHOW – Liga ou desliga os detalhes do mapa;
  • TUNES## – Troca a BGM para a da fase ##, onde ## é o número da fase da qual você quer ouvir a música de fundo.

Lembrando que as senhas estão em letra maiúscula apenas para destacá-las neste post. Não precisa de usar caps lock pra ativá-las nem nada. Se você estiver usando algum port avançado como o ZDoom ou Zandronum, os comandos de console devem funcionar também.

Doom Slayer Chronicles

13 de setembro de 2018
Doom Slayer Chronicles

Doom Slayer Chronicles é um mod para Doom criado pelo Bifurcator & Black Edition Team que traz uma série de combates estilo survival através de vários mapas com design e visual impressionante.

O jogador vai enfrentar onda após onda de inimigos spawnados aleatoriamente enquanto atravessa as fases, que podem variar em cenário, gimmick e, claro, dificuldade. As armas são liberadas na medida em que o game progride e os pick-ups são spawnados de tempos em temos, providenciando ao jogador mais munição, saúde etc. O esquema me lembrou bastante o do survival do Hellbound, só que não creio que as ondas sejam infinitas e o cenário varia.

O PWAD gerou bastante hype quando foi anunciado e, como isso nunca ajuda ninguém, houve um certo desapontamento por parte de alguns que estavam esperando algo de outro mundo. Entretanto, ainda assim continua um trabalho formidável não apenas graficamente falando, mas que também apresenta um toque original na formula do nosso querido FPS. Eu diria que tem algumas coisas que deveriam ser melhoradas, e acho que com o tempo o PWAD vai receber mais atualizações para ir se aperfeiçoando.

Outro destaque do Doom Slayer Chronicles é que ele foi feito de modo a ser facilmente combinado com mods de armas ou monstros. Inclusive, isto é um dos destaques do trailer de lançamento, o qual você pode ver assistir.

Vídeos

Acima, temos o trailer de lançamento do Doom Slayer Chronicles, o qual foca bastante em mostrar sua compatibilidade com os outros mods. O ruim é essa música zeroula de vereador do baralho de BGM.

Já no vídeo anterior, temos o review que o Icarus fez do Doom Slayer Chronicles.

Screenshots

Compatibilidade

O Doom Slayer Chronicles rodou aqui no GZDoom 3.5.1 com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, The Ultimate Doom, Final Doom e os do Freedoom.

O DSC também conta com versões distintas que podem ser adequadas para máquinas diferentes (low, standard e ultra) e arquivos de lote para ajudar a carregá-las.

Saiba mais

site ou autor do arquivo Bifurcator & Black Edition Team tamanho do arquivo 489 MB licencaGrátis download link Download

Prehistoric Isle

11 de setembro de 2018
Prehistoric Isle

Prehistoric Isle in 1930 (Genshi-Tou 1930’s), ou apenas Prehistoric Isle, é um shoot ’em up com rolagem lateral desenvolvido pela SNK lançado para os arcades em junho de 1989, no Japão. Em Prehistoric Isle in 1930, os jogadores controlam aviões de combate biplanos em uma ilha cheia de criaturas pré-históricas, como dinossauros e homens primitivos.

Embora tenha gerado uma sequência em 1999, o Prehistoric Isle 2, o jogo não ganhou versões para nenhum outro sistema. Não sei dizer se não fez sucesso suficiente que justificasse seus ports, mas, se foi por causa disso, não pode ser pela qualidade dos recursos do jogo — gráficos, animações, sons e controles — que são excelentes pra sua época, deve ser por causa da dificuldade: Prehistoric Isle é extremamente papa-fichas e isto pode ter desestimulado a galera na época… Pô. Fui jogar para tirar umas screenshots e fiquei até com a mão doendo.

Enredo

Durante os anos 30, vários aviões e embarcações estão desaparecendo misteriosamente pelas redondezas de uma rota comercial pelas Bahamas. Então, o governo dos Estados Unidos decide enviar uma expedição para esta área para determinar a causa. À medida que examinam o oceano, a expedição se depara com uma massa terrestre inexplorada que eles apelidam de “Greenhell Isle”, lançando dois biplanos de reconhecimento para olhar mais de perto. Ao investigarem a ilha, os biplanos são atacados por dinossauros, homens de Neanderthal e outras formas de vida que se pensava estar extintas há milhões de anos. Por sorte, os dois pilotos dos biplanos são experientes e contam com uma arma experimental de grande poder de fogo para ajudar a sobreviver e escapar desta perigosíssima Ilha Pré-histórica!

Screenshots

Vídeo

Acima, temos o Prehistoric Isle in 1930 sendo jogado e comentado no Fliperama Nostálgico, um dos quadros do canal Defenestrando Jogos. O vídeo é bem informativo e descontraído, embora seja um pouco curto, mas é bacana e serviu de fonte para esta publicação.

Gameplay

Como dissemos, o Prehistoric Isle in 1930 é um jogo de tiro estilo shoot ’em up onde os jogadores assumem o controle de biplanos armados para enfrentar diversas criaturas pré-históricas. Cada avião é equipado com uma metralhadora de ataque direto e pode também ser armados com um pod que pode ser rotacionado no sentido horário em torno da aeronave. A opção de ataque muda dependendo de onde o pod está posicionado:

  • Quando diretamente acima ou abaixo do avião, esta arma dispara ondas de energia que refletem ao contato com uma superfície;
  • Quando diagonalmente acima do avião, dispara bolas de energia que quicam em superfícies em um ângulo de 45 graus;
  • Quando diagonalmente abaixo do avião, larga as as bombas;
  • Quando diretamente na frente do avião, substitui a metralhadora padrão com o seu próprio lança-chamas;
  • Quando diretamente atrás do avião, a arma larga as minas aéreas.

Prehistoric Isle tem cinco fases: “Forest”, “Airborne”, “On the Ground”, “Bottom of the Sea” e “Underground”. Cada um destes níveis tem um chefão final e, exceto pelo segundo, um subchefe.

Epílogo

Quando a investigação foi concluída, os biplanos aterrissam de volta a bordo do barco voador. É hora da expedição voltar à civilização e compartilhar suas descobertas chocantes sobre a existência da vida pré-histórica. No entanto, um bando de pterossauros colide com o barco voador, matando todos a bordo. Assim, os desaparecimentos continuarão sendo um enigma e a expedição tornou-se outra vítima desta região: o Triângulo das Bermudas.

Freedoom in Doom

10 de setembro de 2018
Freedoom in Doom

Freedoom in Doom é um mod para Doom criado pelo GuyNamedErick que, na prática, traz recursos gráficos e sonoros do Freedoom para os mapas originais dos Dooms clássicos. O WAD foi desenvolvido visando também ser compatível com múltiplos engines avançados do icônico jogo de tiro em primeira pessoa da id Software.

Além dos sprites, texturas, músicas, telas, textos, HUD e sons, o Freedoom in Doom não apresenta mais nenhum tipo de modificação, sendo seu gameplay absolutamente vanilla (apesar de não funcionar nos executáveis originais nas versões atuais).

Vídeo

Screenshots

Compatibilidade

O PWAD promete rodar em qualquer port, desde o Chocolate Doom até o GZDoom e ele conta com patches para funcionar em qualquer IWAD registrado. O mod é mais adequado para ser combinado com as fases originais dos jogos, sendo mais garantido usar o Freedoom original para rodar mapas personalizados e mods em geral, embora este PWAD possa ser combinado com pacotes de monstros e armas de forma razoavelmente satisfatória.

Testei-o aqui no GZDoom (1.8.2, 2.4.0 e 3.5.1), Chocolate Doom 2.2.1, Zandronum (2.0 e 3.0), 3DGE 2.1.0 e ZDoom 2.8.1 com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, The Ultimate Doom e os do Final Doom. Realmente, diria que ele é compatível com qualquer coisa, mas não tentei no Freedoom, porque, né?

P.S.: Ele conta com patches que devem ser carregados DEPOIS do FDDMFULL.wad, o arquivo principal do Freedoom in Doom:

  • DDM1PCH.wad é pro The Ultimate Doom
  • FDTNTPCH.wad pro TNT: Evilution
  • FDPLTPCH.wad pro Plutonia

Saiba mais

  • Freedoom in Doom no Mod DB – Com mais informações, mirrors para download e onde você pode procurar por eventuais updates.
  • Mod recomendado pelo AeizzatToha2.
site ou autor do arquivo GuyNamedErick tamanho do arquivo 5,9 MB licencaGrátis download link Download

Hacx

10 de setembro de 2018
Hacx

Hacx, escrito também como HacX, é uma conversão total do Doom II criada pela Banjo Software lançada em 1997 cuja a história se passa em um futuro próximo, onde o protagonista se encontra envolvido em um conflito internacional combatendo armas de destruição em massa.

O Hacx foi originalmente distribuído como um jogo de tiro em primeira pessoa standalone, usando uma versão do engine do Doom modificada com o DeHackEd sobre a qual o FPS foi construído e pela qual pagaram US$ 5000 para a id Software pela licença. O Hacx era vendido antigamente, porém, embora seja considerada uma TC bem decente e com recursos gráficos e sonoros de qualidade (que a Banjo proibiu de usar em outros mods, mas ninguém deu bola), não foi nenhum sucesso de vendas. As causas disto são atribuídas ao fato de que o Hacx foi lançado pouco depois do Quake, um estrondoso sucesso da id que usava uma engine muito superior e naturalmente ofuscaria qualquer outro jogo que aparecesse no mercado nesta época.

Apesar de ter dado ruim financeiramente, vários dos desenvolvedores do Hacx acabaram tornando-se desenvolvedores de sucesso e relativamente bem conhecidos: Iikka Keränen (Fingers) foi trabalhar para a Looking Glass Studios, Ion Storm, Ritual Entertainment, Rogue Entertainment e, mais recentemente, pra Valve; Kenneth Scott trabalhou como artista para a Ion Storm, pra id Software e foi diretor de arte no Halo 4 (2012); Zach Quarles trampou para a Raven Software e id Software; e Kevin Johnstone é atualmente empregado da Epic Games. Ou seja, no fim das contas acabou valendo a pena. Fico feliz por isso.

Screenshots

Versões

O Hacx foi apresentado em várias versões desde o seu lançamento original, algumas sendo standalone e outras como formas de mod. Acredito que a última oficial é a 1.2, mas tem a 2.0 que está sendo desenvolvida pelo Xaser.

  • Hacx 1.0 – Versão original lançada pela Banjo Software em 1997 [4];
  • Haxc 1.1 – Foi o primeiro release grátis do jogo que não chegou a ser um upgrade da 1.0, mas um downgrade para alguma versão de desenvolvimento. Esta apresenta diferenças como os Mapas 15 e 14 trocados de lugar o que implicou remoções das saídas em certos mapas etc. [5];
  • Hacx 1.2 – Como uma plataforma destinada para construir o Hacx 2.0 sobre ela, esta atualização 1.2 foi lançada em 9 de outubro de 2010 como um IWAD compatível com inúmeros ports avançados do Doom. Diz-se que estão planejando uma atualização 1.3 para realizar uns bug fixes;
  • Hacx 2.0 – Em novembro de 2008, o Nostromo declarou na página do Hacx que uma nova versão do jogo estava sendo feita pelo Xaser [2];
  • iPhone/iPad – O Hacx foi portado para estas plataformas baseado no código do Doom clássico pela mesma firma que fez um dos ports comerciais do Freedoom, mas, ao contrário deste (Doomsday: Hellraiser), entretanto, o Hacx Classic é totalmente gratuito, visto que a licença do conteúdo do jogo não permite distribuição comercial [6];
  • Hacx 2 – Parece que estavam criando uma continuação do jogo com um engine diferente, mas seu desenvolvimento está atualmente abandonado. Existem screenshots do jogo no site oficial do Hacx [1].

Compatibilidade

O Hacx 1.2, a versão do nosso link de download, do jogo, é, como falamos acima, um IWAD independente. Ele foi desenvolvido para ser compatível com praticamente todos os ports avançados do Doom, incluindo o Chocolate Doom, Crispy Doom, Doomsday, EDGE, Eternity, Zandronum, GZDoom e ZDoom, e, segundo consta, pode funcionar até com os executáveis originais se o DeHackEd for extraído e usado para correção.

Veja também

  1. HACX – Twitch ‘n Kill – Site oficial do Hacx, com mirrors para download e mais informações.
  2. Hacx 2.0 IWAD – Versão 2.0 do Hacx que está (ou estava) sendo desenvolvida. É diferente da sequência que foi abandonada e que usaria uma engine diferente.
  3. Agradecimentos ao Tyrant120 por mais uma colaboração em mais um post nosso.
  4. Backup do diretório AtomicGamer “Misc” no Doomworld – Contém os arquivos originais do Hacx liberadas pelo Nostromo.
  5. Hacx 1.1 com instalador e sem instalador – No Doomworld/idgames.
  6. HacX now available for iPhone and iPad – Tópico do fórum do Doomworld que falava sobre os ports do iPhone e iPad do Hacx.
  7. Flakes Doom – Este mod para Doom é compatível com o Hacx 2.0.
  8. Factotum – Outro mod para Doom compatível com o Hacx 2.0.
  9. Kriegsland – Outro mod para Doom compatível com o Hacx 2.0.
  10. Códigos de trapaça do HacX – Os cheats pra você usar no jogo, seu trapaceiro.
site ou autor do arquivo Banjo Software tamanho do arquivo 6,74 MB licencaFreeware download link Download

Defenestrando Twin Cobra (1987)

9 de setembro de 2018
Defenestrando Twin Cobra (1987)

O gameplay deste domingo é do Twin Cobra, a continuação do Tiger Heli que foi exibida e comentada pelo canal Defenestrando Jogos em sua série Fliperama Nostálgico. O vídeo é bem informativo e usamos vários dos dados que ele compartilha para construir este post. E você já sabe, estamos adicionando ele aqui para você ter algo assistível para ver neste domingo.

Twin Cobra é um shoot ’em up de rolagem vertical desenvolvido pela Toaplan e lançado pela Taito em outubro de 1987 pros fliperamas japoneses, sendo considerado o sucessor espiritual do Tiger Heli (1985). Em Twin Cobra, o jogador pilota um helicóptero de assalto para destruir uma base militar sob o comando de algum estatista vagabundo.

Aclamado como um dos jogos mais populares da Toaplan, Twin Cobra não poderia ficar sem uma sequência, Twin Cobra II, lançada em 1995. Além disto, ganhou ports para um bom número de outras plataformas, como PC Engine (1989), NES/Famicom (1989), Genesis/Mega Drive (1991), FM Towns (1994), PlayStation (1996, “Toaplan Shooter Battle“), X68000 (1993), TurboGrafx-16, Samsung Smart TV e para dispositivos móveis.

Enredo

A bordo de helicópteros de assalto TC-17 Twin Cobra, os pilotos devem lutar contra as forças do Comandante Anziga, o líder míope e estatista da nação de Kaban, devendo infiltrar neste país e destruir totalmente a base militar sob seu controle.

Gameplay

Em Twin Cobra, os jogadores vão enfrentar um grande número de pequenos helicópteros, tanques e armas estacionárias, derrotar grandes helicópteros para obter power-ups e tentar detonar os chefões. Os power-ups podem ser upgrades, bombas ou orbes coloridos que alteram o tipo de tiro, os quais podem ser:

  • Vermelho (Multi-Missile): É a arma padrão que dispara em linha reta, mas espalha os tiros;
  • Azul (Multi-Cannon): Concede um tiro mais espalhado;
  • Amarelo (Multi-Direction Bazooka): Atira para quatro direções diferentes em forma de cruz;
  • Verde (Auto Machine Gun): Atira um feixe a único e continuo de tiros em linha reta.

No final de cada seção, você pousa em uma nave de transporte e conta seus bônus.

Enquanto Twin Cobra foi um grande passo, Tiger Heli, ainda é apenas uma espécie de jogo mediano. Felizmente, Twin Cobra supera seu antecessor espiritual em todos os sentidos possíveis: as bombas não são mais exibidas em seu helicóptero aonde os inimigos podiam atingi-las e destruí-las, com o seu estoque aparecendo agora de uma forma mais tradicional no canto inferior da tela; quando quando você usa o continue, sua pontuação não zera. Então, para quebrar qualquer recorde, bastava colocar 99 créditos e ir atrás da pontuação máxima.

Curiosidades

  • O nome do Twin Cobra no Japão é Kyukyoku Tiger (究極タイガ). Este nome, algo como “Ultimate Tiger”, sugere a ligação com o seu antecessor, Tiger Heli;
  • Algo interessante é que o helicóptero blindado que libera power-ups, reaparece no jogo Air Gallet, um jogo produzido pela empresa Gazelle, uma das empresas que se formaram após a Toaplan falir. Apesar de Air Gallet não ter relação alguma com Tiger Heli, é uma homenagem muito legal;
  • Existem uma pequena diferença entre o port americano (distribuídas pela Romstar) e a versão japonesa. A americana oferece a possibilidade de dois jogadores simultâneos, enquanto a japonesa apenas revezando na medida em que um perde vida. O helicóptero também é um pouco mais rápido na versão americana, mas você só pode ter três tiros na tela de uma só vez contra quatro, no original japonês;
  • No Japão, o projeto do jogo Tiger Heli também foi chamado de COBRA. Talvez, por isto, essa confusão toda quanto aos nomes de suas continuações, além do fato da versão americana ter dois players simultâneos;
  • A trilha e efeitos sonoros foram criados por Tatsuya Uemura, que também trabalhou em jogos como ’99 The Last War, Air Gallet, Battle Bakraid, Dogyuun, Hellfire, Flying Shark, Out Zone, Performan, Repulse, Tiger Heli e Zero Wing.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Cyber Kulkis: Blob

8 de setembro de 2018
Cyber Kulkis: Blob

Cyber Kulkis: Blob é um quebra-cabeças em Flash com gráficos em pixel art e um estilo retrô 8-bit que vai te levar em uma jornada através de 20 fases desafiadoras onde você vai ficar absorto, freneticamente recolhendo bônus.

Cyber Kulkis, uma pequena entidade em forma de esfera, está em uma busca por glória e loucura lógica enquanto limpa os mundos de dejetos e salva o ambiente.

Controles e instruções

  • Setinhas: Movimentar
  • Recolha todos os bônus e alcance a saída.

P.S.: Se você gostou deste jogo, experimente o Cyber Kulkis: Inca também.

Clique Aqui Para Jogar

Aracnocide Weapons Pack

7 de setembro de 2018
Aracnocide Weapons Pack

Aracnocide Weapons Pack é o pacote de armas do Aracnocide, um mod para Doom desenvolvido pelo GAA1992 que traz, em sua versão completa, aracnídeos e insetos gigantes e asquerosos como inimigos, somados a outras modificações.

Além de permitir usar o seu arsenal separadamente, o que é interessante para combiná-lo com pacotes diversos de monstros, esta edição do Aracnocide traz uma série de aprimoramentos, balanceamentos, correções de bugs e funcionalidades novas, como telas, gráficos, sons, armas, opções e uma classe inédita.

Achei que ficou do caralho esta versão de apenas armas do Aracnocide, até mesmo porque eu não gostava muito de ficar enfrentando aqueles bichos pestilentos no original. As animações e o visual em geral estão sensacionais, e o esquema de upgrades novo parece bem interessante e não vai enjambrar o gameplay. Além disto, como eu sempre gosto de misturar mods, é bem capaz desta edição do Aracnocide acabar sendo superior que a completa pra mim.

Vídeo

O vídeo acima mostra como o Aracnocide Weapons Pack pode ser combinado com pacotes diversos de monstros. Ele foi exibido junto com o Colourful Hell, Brutal Doom Monsters Only, Kriegsland Enemies Pack e Vanilla Chex Quest 1 & 2 in ZDoom: Facínora Edition.

Screenshots

Compatibilidade

Rodei este mod aqui no GZDoom (2.4, 3.4.1 e 3.5.0) com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, The Ultimate Doom, Final Doom e de ambas as phases do Freedoom. Parece que funciona suave com tudo isso.

Saiba mais

  • Aracnocide @ ZDoom – Tópico oficial do mod no fórum do ZDoom, com mais coisas e possíveis updates.
  • Aracnocide – Nossa publicação a respeito do WAD em sua versão completa, com os monstros e também suas versões antigas.
site ou autor do arquivo GAA1992 tamanho do arquivo 25,9 MB licencaGrátis download link Download

Rebuild

6 de setembro de 2018

RebuildRebuild é um excelente jogo em Flash de estratégia em turnos onde você tem como missão reconstruir e comandar uma cidade em pleno apocalipse zumbi. Você vai ter que resgatar os sobreviventes e administrar os suprimentos de comida, moradias e moral, enquanto se defende de ataques de mortos-vivos, gangues rivais, cães selvagens, ladrões de comidas e até baderneiros.

Vá reconquistando a cidade quadrado por quadrado e ponha os sobreviventes para arrumar alimento, construir casas, redescobrir tecnologias e. claro, matar os zumbis! Considerando a plataforma na qual foi criado, este game é muito bom, especialmente pra quem gosta do gênero de jogo e de história, mas poderia ter mais coisas para fazer, como mais tecnologias, tipos de casas etc.

Controles

  • O mouse controla tudo.
  • As setinhas e WASD também movimentam o mapa.
  • Barra de espaço ou ENTER fecha alguns menus.

P.S.: Se você gostou deste jogo, experimente também a sua sequência, o Rebuild 2!

Clique Aqui Para Jogar

  • Inscreva-se na nossa newsletter!

  • Nos siga nas redes sociais!

  • Páginas

  • Áreas especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2018 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.