Principais Atualizações

Brutal Doom + Brother In Arms [Gameplay]

14 de novembro de 2017
Brutal Doom + Brother In Arms [Gameplay]

Confira o gameplay do Brutal Doom rodando junto com o Brother in Arms, neste antigo vídeo feito de nosso canal.

O LichKing queria fazer um vídeo do Brother in Arms, mas a verdade é que jogando nos mapas normais do Doom ou do Doom II, fica tudo ridiculamente muito fácil. Como o vídeo que temos deste WAD de aliados já mostra bastante este trabalho, ele resolveu mandar o BIA com o Brutal Doom para gravar, pois este é um WAD consideravelmente mais difícil que o vanilla, podendo, assim dar mais pressão.

Acontece que, com os aliados que você pode chamar no Brother in Arms através dos rádios, facilita bastante bastante mesmo com os inimigos usando a IA aprimorada do Brutal Doom. Com o BIA, dá pra zerar facinho em qualquer dificuldade, desde que você sobreviva para pegar o primeiro radinho de aliados.

Foram jogados só uns mapas de bobeira, mas nem tem graça. Mas, pelo menos, foi uma boa experiência e uma forma de ajudar a divulgar ambos os mods para Doom.

Saiba mais

  • Brutal Doom v19 – Foi usada esta versão do PWAD do Sergeant Mark IV para gravar este vídeo. A publicação tem mais informações e download.
  • Brother in Arms – Publicação do BIA em nosso site, com mais informações, vídeo e download do próprio.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Brother in Arms [MOD para Doom]

13 de novembro de 2017
Brother in Arms [MOD para Doom]

Brother in Arms é um mod para Doom que implementa um sistema de aliados extremamente (exageradamente) poderosos ao clássico FPS da id Software. Ele foi desenvolvido originalmente pelo Arrowood.

Além dos variados aliados, cada um com diferentes poderes e habilidades, também implementa um inventário, alguns itens novos e aumenta a capacidade de health do jogador. Consta que o PWAD, que facilita bastante praticamente qualquer mapa, teve seu desenvolvimento continuado pelo Fegelein por algum tempo.

Os desenvolvedores do mod não criaram nenhum sprite ou sons dos aliados, pegando estes recursos de outros jogos e WADs existentes, mas fizeram os seus DECORATES e scripts.

Eu dei uma jogadinha com o IWAD do Doom II e, nestes mapas originais, fica muito fácil. Cada item que você pega (medikits, stimpacks, potions, bonus de armor, Megasphere e Soul Sphere) te permite chamar novos aliados e eles custam a morrer na mão dos inimigos, quando morrem. Dá pra limpar as fases facinho no Ultra-Violence e até no Nightmare.

O Brother in Arms deixa fácil até mods que complicam os inimigos, como o Brutal Doom, ou que adicionam uma quantidade absurda de monstros, como o Chillax. Inclusive, o Fegelein insistiu para que o BIA fosse jogado com este megawad ou algo tipo o Sunder.

Screenshots

Vídeos

Abaixo, temos o showcase do Brother in Arms que fizemos, com o mod sendo usado contra os Evil Marines do Brutal Doom Monsters Only e depois no primeiro mapa do Chillax:

Abaixo, temos a playlist com todos os nossos vídeos do Brother in Arms:

Usando o rádio (chamando aliados)

Para escolher o aliado, basta você apertar as teclas ´e [ para selecionar e ENTER. Pressione [ENTER] de novo para jogar o rádio no chão e spawnar o aliado. Estas teclas podem ser configuradas no options.

Se você preferir usar o console, pressione ‘ para abrir o console, digite summon + o nome da classe que você quer convocar e aperte [ENTER]. Para saber os nomes de todas as classes que o Brother in Arms adiciona, siga este post.

Compatibilidade

O Brother in Arms rodou aqui sem apresentar problemas no GZDoom (1.8.2, 2.4 e 3.2), ZDoom 2.8.1 e Zandronum (2.0 e 3.0), com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, The Ultimate Doom, Final Doom e de ambas phases do Freedoom. Ele deve funcionar de boa também com o IWAD do Doom clássico (registrado), mas não testei.

Saiba mais

site ou autor do arquivo Arrowood tamanho do arquivo 22,8MB licencaGrátis Download

Defenestrando Blood Bros. (1990)

12 de novembro de 2017
Defenestrando Blood Bros. (1990)

Hoje, vamos assistir o gameplay do Blood Bros. (1990) feito pelo canal Defenestrando Jogos, em mais um episódio do Fliperama Nostálgico que estamos adicionando no domingão para você ter algo de construtivo para assistir neste dia.

Como de costume, o vídeo é bem informativo e descontraído, revelando muitos dados e curiosidades que são a principal fonte desta publicação.

Blood Bros. (ブラッドブラザーズ) é um jogo de tiro desenvolvido e lançado pela TAD Corporation para os fliperamas, em janeiro de 1991, no Japão. Blood Bros. é considerado o sucessor espiritual do Cabal (inclusive, é chamado de “cabal shooter”), com mecânica quase idêntica a este jogo, mas ambientado no Velho Oeste.

O game nunca foi portado para outras plataformas, mas ganhou uma versão bootleg conhecida como West Story.

Enredo

No Velho Oeste, bandidos impiedosos liderados pelo Big Bad John, o bandido mais procurado de Dogde City, aterrorizam as pessoas honestas. Dois irmãos de sangue, um vaqueiro e um índio, se juntam para caçar este fora da lei e seus capangas usando o seu vasto arsenal de armas e a fim trazer a paz de volta a esta terra oprimida.

Gameplay

Como dissemos, o gameplay do Blood Bros. é extremamente similar à máquina anterior da TAD, o Cabal, sendo esse game conhecido em alguns fliperamas brasileiros como “Cabal de Faroeste”. Entretanto, não parece que este game também foi distribuído em uma versão controlada por trackball.

Os protagonistas (pode ser jogado por até dois jogadores ao mesmo tempo) são vistos por trás e o game traz objetos destrutíveis de fundo, sendo possível detonar montanhas, casas e muito mais. Algumas telas possuem paredes protetoras (que podem ser danificadas e destruídas pelo fogo inimigo). Os jogadores têm munição ilimitada em sua arma primária, mas um número limitado de bananas de dinamite. Um indicador na parte inferior da tela se esgota à medida que os inimigos são destruídos e certas estruturas da tela são derrubadas. Na conclusão bem-sucedida de um nível, todos as demais estruturas da tela colapsam e os jogadores progridem para o próximo estágio, fazendo algo tipo a dança da vitória do Cabal. As lutas contra os chefões, entretanto, recomeçam se um personagem morre.

Os power-ups aparecem de tempos em tempos, sendo liberados de objetos destruídos na tela ou por NPCs especiais que podem correr, como a pequena figura indígena ou os javalis. Pontos e armas também podem dropados ​​da lata se você atirar nela em pleno ar e fazer malabarismos com tiros. Alguns power-ups dão armas especiais com maior poder de fogo, outros concedem dinamites ou pontos adicionais.

Curiosidades

  • Na tela título, consta que o Blood Bros. é de 1990, entretanto, o game só foi lançado em janeiro de 1991. Provavelmente, o desenvolvimento do game acabou no final daquele ano, mas só pode ter sido publicado no início de 91;
  • Blood Bros. foi licenciado para Fabtek para fabricação e distribuição nos USA;
  • Um port do Blood Bros. para o Super Nintendo estava em desenvolvimento, mas o Sr. Fusaki, o desenvolvedor chefe do game, sofreu um derrame e teve que deixar a companhia. O projeto foi eventualmente cancelado, segundo este vídeo.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Sonic Jump Star

11 de novembro de 2017
Sonic Jump Star

Sonic Jump Star é um jogo online em Flash estilo tower jumping onde você tem que ajudar o Sonic a alcançar o espaço pulando o mais rápido que ele puder.

Ele tem que ir pulando nas molas, recolhendo as argolas e tentando marcar a maior pontuação possível!

Controles

  • Setinhas: Movimentar

Clique Aqui Para Jogar

G-LOC: Air Battle

8 de novembro de 2017
G-LOC: Air Battle

G-LOC: Air Battle é um jogo de tiro e combate aéreo desenvolvido pela Sega. O game foi lançado pela mesma firma em abril de 1990, originalmente para os fliperamas do Japão. É, também, sequência do clássico After Burner, adotando muita ação e a jogabilidade meio limitada, embora com um ritmo visivelmente reduzido, deste seu antecessor de 1987. Isto acabou tornando a sobrevivência em G-LOC mais uma questão de habilidade do que a jogabilidade “shoot ‘n hope” do After Burner e do After Burner II.

Em G-LOC: Air Battle, o jogador é um piloto de um caça aéreo experimental (chamado de A8M5 e que recebe upgrades até se tornar o A8M6) participando de batalhas aéreas contra outros aviões. Ele foi lançado em três versões diferentes de gabinetes: uma para jogar sentado, outro para jogar em pé e uma muito incrementada que girava em 360 graus, a R-360. Esta simulava a sensação de pilotar um caça e adicionava mais dinâmica ao jogo. Eu acho que a vi por aqui em Belo Horizonte, no fliperama do finado Central Shopping, mas não posso afirmar com certeza.

O G-LOC: Air Battle foi portado para vários outros sistemas, como o Master System (1990), Mega Drive (1991), Game Gear (1993), Amstrad CPC (1991, “G-R360 Loc”), Commodore Amiga (1992), Commodore C64 (1992, “G-R360 Loc”) e Sinclair ZX Spectrum (1992, “G-R360 Loc”), embora estas versões sejam pálidas em comparação com o original. Ele também é o terceiro jogo de uma série de nove jogos.

Vídeo

Acima temos o Fliperama Nostálgico com o G-LOC: Air Battle, com o shooter dos anos 90 sendo defenestrado pelo Celso em seu canal. O vídeo é bem legal e informativo e nós usamos algumas destas informações para montar este post.

Screenshots

As screenshots acima foram tiradas da versão de fliperama do G-LOC e estão ampliadas. A resolução original do game é raster 320×224 (horizontal) e 24,576 de 2,097,152 cores.

Gameplay

O G-LOC: Air Battle é um jogo de tiro e de simulador de combate aéreo com a ação vista em primeira pessoa dentro da cabine do caça, e, quando algum míssil inimigo ficava travado em seu encalço, o ponto de vista muda para a perspectiva de terceira pessoa, semelhante a do After Burner. Nesta hora, o jogador deve rolar e girar para escapar do perseguidor. Se tiver sucesso em evitar o ataque, o jogo volta à perspectiva em primeira pessoa.

A aeronave do jogador está armada com uma metralhadora e um número limitado de mísseis que podem ser travados e lançados nos inimigos, os quais são recuperados ao passar de fases. G-LOC: Air Battle faz com que o jogador atravesse uma variedade de diferentes paisagens, incluindo ilhas, planícies e cânions.

Eventualmente, o jogador tem que tentar pousar seu caça em um porta-aviões com sucesso, senão é game over. Se o caça levar muitos tiros ou o tempo do jogo acabar (você perde tempo se colidir), também é game over. O jogador ganha mais tempo e avança pelas fases alcançando as metas que são definidas em cada estágio.

Os jogadores escolhem quais objetivos destruir, como navios, caças a jato ou tanques. Eventualmente, terão também que enfrentar chefes como o War Balloon, o Bomber e o adversário final, um inimigo que usa o mesmo avião que o jogador, mas com maior durabilidade e força.

Curiosidades

  • G-LOC é a abreviação para “G-force induced Loss of Consciousness”, ou “Perda de Consciência Induzida por Força G”;
  • O R360 – G-Loc Air Battle é uma versão melhorada do G-LOC e um simulador que literalmente fazia o gabinete do jogo girar 360º.

Série

Como dissemos, o G-LOC: Air Battle é parte da série After Burner. Esta, por sua vez, é composta de 9 games:

  1. After Burner (1987);
  2. After Burner II (1987);
  3. G-LOC – Air Battle (1990;
  4. R360 – G-LOC Air Battle (1990);
  5. Strike Fighter (1991);
  6. Sky Target (1995);
  7. Sega Strike Fighter (2000);
  8. After Burner Climax (2006);
  9. After Burner – Black Falcon (2007).

StarCraft 2 passa a ser gratuito a partir de novembro de 2017

7 de novembro de 2017
StarCraft 2 passa a ser gratuito a partir de novembro de 2017

StarCraft 2 passa a ser gratuito a partir do dia 14 de novembro de 2017 segundo a própria Blizzard, a desenvolvedora responsável pela antológica franquia de jogos de estratégia em tempo real e várias outras.

Alguns meses depois da firma anunciar que o StarCraft Anthology, pacote que contém o StarCraft original completo e a sua expansão, StarCraft: Brood War, já estava disponível gratuitamente na loja da Blizzard, agora é a vez do StarCraft II – Wings of Liberty ser distribuído na faixa.

Aliás, este foi o assunto do nosso vigésimo sétimo episódio das nossas Notícias do Facínora:

Muitos devem ter ouvido o burburinho pelas redes sociais e por sites especializados, mas só hoje o Facínora lembrou de confirmar no site oficial da Blizzard. De acordo com a empresa, a partir de 14 de novembro, o público acesso completamente gratuito à campanha single player original de Wings of Liberty, a todos os Comandantes Cooperativos e a quase todo o conteúdo multiplayer do game.

A galera também vai poder acessar a progressão ranqueada para competir com outros jogadores. Para desbloquear permanentemente tal progressão, basta obter 10 Primeiras Vitórias do Dia no jogo Não Ranqueado ou Contra I.A.

Não ficou muito claro o lance dos Comandantes Cooperativos, mas parece que todos os Comandantes Cooperativos futuros e atuais estão disponíveis gratuitamente até chegarem ao nível cinco, exceto o Raynor, Kerrigan e Artanis que permanecem completamente gratuitos, podendo ser evoluídos sem limites. Sobre este ponto, também consta que a restrição de nível para mutações semanais foi removida.

Quem já comprou o Wings of Liberty antes do dia 31 de outubro de 2017, mas já faz tempo que não joga StarCraft II, não vai ficar de fora. Quem estiver nesta situação receberá gratuitamente a segunda parte da campanha do RTS, o Heart of the Swarm, que se concentra nos zergs, bastando conectar-se entre 8 de Novembro e 8 de Dezembro para resgatar o jogo. Estes também vão ganhar um visual exclusivo de Fantasma (Ghost), bem como três novos retratos.

A Blizzard termina esta boa notícia afirmando que as campanhas Heart of the Swarm, Legacy of the Void e Nova: Operações Secretas ainda podem ser compradas individualmente ou em um pacote com a saga completa. Ela também vai continuar a oferecer aprimoramentos premium, como pacotes de narrador, novos Comandantes Cooperativos etc.

E aí? Eu já comprei essas poha quase toda portanto só vou ganhar o bagulho do Ghost. E você? Vai sair no lucro?

 

Defenestrando Dino Rex (1992)

5 de novembro de 2017
Defenestrando Dino Rex (1992)

A jogatina que vamos assistir neste domingo é o gameplay do Dino Rex, sendo defenestrado no quadro “Fliperama Nostálgico” do canal do Celso Affini.

Apesar deste jogo ser uma bomba e, provavelmente, caça-níquel, é bem melhor que assistir a programação dominical da TV, ainda mais que o vídeo é bastante divertido, descontraído e informativo. Ele é uma das fontes deste post, aliás.

Dino Rex é um jogo de luta 2D desenvolvido e lançado pela Taito para os fliperamas em outubro de 1992. No jogo, seis dinossauros selecionáveis lutam por seus mestres em batalhas um contra um, se passa numa América pré-histórica e pode ser jogado por até duas pessoas ao mesmo tempo.

Dino Rex usa animações stop-motions com uso de figuras (sprites) feitos a partir de modelos reais. Os efeitos sonoros, bastante altos e chamativos (e muitas vezes irritantes), parecem daqueles filmes japoneses antigos tipo Kaiju (como o Godzilla). Este conceito de grandes dinossauros lutando entre si seria também usado em jogos posteriores como o Primal Rage.

Dino Rex ganhou apenas um port para o PlayStation 2, em 25 de janeiro de 2007, na compilação Taito Memories II Joukan. Pode ser até surpreendente até mesmo esta única conversão, pois o jogo só chama atenção por ser escandaloso, visto que em termos de diversão, jogabilidade e gráficos é uma bela porcaria.

Enredo

Algumas figuras de argila descobertas em ruínas da América do Sul descreviam dinossauros sendo montados por humanos. Isto pode sugerir que a humanidade e os dinossauros viviam lado a lado.

Um campo de batalha existia em 2500 a.C., na Amazônia. Este mundo era controlado por Amazonas. Neste lugar, os homens das outras tribos lutavam pela Rainha todos os anos. Naquele tempo, um homem que provasse que seu dinossauro era mais forte do que os dos outros homens, conseguiria pegar a rainha e desfrutar do título de Dino Rex, algo que foi traduzido como “mestre do mundo”.

Gameplay

Como eu já disse, Dino Rex contém seis dinossauros jogáveis que participam de batalhas um conta um. Cada dinossauro tem sua habilidade especial.

Depois que o jogador derrota o sétimo e final oponente, ele vai controlar brevemente o guerreiro e lutar contra o Dino Rex atual (o controlador do dinossauro) em combate.

Os seis dinossauros jogáveis (e o nome dos seus especiais entre parênteses) são:

  • Allosaurus (Super Tail Attacking)
  • Triceratops (Slapping)
  • Pachycephalo (Dashing)
  • Tyrannosaurus (Super Flying Attacking)
  • Ceratosaurus (Head Upper)
  • Stygimoloch (Head Upper)

Curiosidades

  • Lançado em 1992, o Dino Rex originalmente estava planejado para ser lançado exclusivamente no mercado ocidental, mas, no final, o jogo também saiu no mercado japonês;
  • No início do desenvolvimento do jogo, o plano original era projetar um jogo de helicóptero estilo shoot ’em up, mas isso mudou devido ao sucesso do famoso Street Fighter II: The World Warrior.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Special Strike: Extended DM

4 de novembro de 2017
Special Strike: Extended DM

Special Strike: Extended DM é um jogo multiplayer onde você vai entrar em um deathmatch online e meter bala nos jogadores rivais para ganhar dinheiro e comprar uma grande variedade de armas.

Tente marcar a maior pontuação possível no final de cada round, neste jogo de tiro em primeira pessoa fortemente inspirado no popular Counter-Strike.

Controles

  • WASD: Movimentar
  • Mouse: Mira e atira
  • R: Recarregar
  • B: Comprar armas
  • T: Chat
  • TAB: Menu
  • C: Agachar
  • 1, 2 e 3: Selecionar armas
  • Barra de Espaço: Pular

Clique Aqui Para Jogar

Complex Doom

3 de novembro de 2017
Complex Doom

Complex Doom é um mod para Doom criado pelo Daedalus (ou Cacodemon) que randomiza uma boa quantidade de novos monstros e power-ups. O PWAD também apresenta armas e itens novos, além de um sistema de inventário e um de drop de bônus (health e armor) em forma de essências que podem dropar dos inimigos.

As modificações apresentadas pelo Complex Doom muitas vezes deixam o jogo substancialmente mais difícil, devido a grande quantidade de elementos que são randomizados ao iniciar cada mapa. O Hitler, por exemplo, pode aparecer aleatoriamente no lugar de um mero Wolfenstein SS, só que esta besta socialista continua forte como no Wolfenstein 3D: tem duas formas, bastante health e ataque hitscan. Ou seja, nem sempre fica equilibrado.

Os sons, especialmente das armas, também merecem destaque. São escandalosamente bons. Achei interessante também os zumbis poderem aparecer usando armas do arsenal do protagonista, podendo dropar, inclusive, a munição correspondente. Nota-se também alterações menores, como o HUD, o Doomguy ganhando olhos azuis mais destacados e a cara dele pode ficar toda estropiada quando ele morre devido a alguma explosão.

Enfim, o Complex Doom é um mod bacana, especialmente para quem gosta de muita variedade de elementos e dificuldade um pouco acima do equilibrado, mesmo com as granadas e outros itens (tem que usar direitinho pra não desperdiçar) ajudando.

Vídeo

Screenshots

Armas

O Complex Doom apresenta um arsenal totalmente modificado, mas, visualmente, a maioria já é composta de velhas conhecidas. Muitas armas são vistas no Brutal Doom e seus derivados, mas não tem o funcionamento exatamente igual. As diferenças ficam mais evidentes ao utilizar o botão de tiro secundário, por exemplo. Se eu entendi bem, as armas que spawnan nos mapas não são randomizadas, apenas monstros e power-ups. Parte do armamento, como o Lança-Granadas ou a MP40, aparece quando dropa dos inimigos.

A granada e as minas terrestres podem ser usadas através de hotkeys definidas no options ou como armas normais.

O arsenal é composto de:

  • Motoserra – Tem o visual parecido com a do Doom 64 e o funcionamento não difere muito do vanilla. Só parece um pouco mais eficiente;
  • Handgun – A pistola comum;
  • Soco Inglês – O soco inglês é o velho de guerra, mas o Doomguy combina socos com um bicudo também;
  • Granada – Um espalha bolinho explosivo que pode ser usado com a hotkey se você não estiver usando alguma arma de duas mãos;
  • Mina Terrestre – Pode ser posicionada no chão para fazer armadilha contra os inimigos. Se atirada, ela explode com antecedência e também pode atacar o jogador se ele pisar por cima por engano;
  • Assault Shotgun – Uma escopeta automática bem eficiente e barulhenta. Seu altfire a recarrega;
  • Combat Shotgun – A escopeta comum, com visual similar a do Brutal Doom. Seu altfire a recarrega;
  • Escopeta de Dois Canos – A Double Barrel Shotgun não poderia faltar. O altfire atira apenas um cartucho por vez;
  • Escopeta de Quatro Canos – A Quad Barrel Shotgun parece coisa de macumbeiro. Pode atirar os quatro cartuchos de uma vez ou apenas de dois em dois, se usado o altfire;
  • Rifle de Assalto – O Assault Rifle é visualmente parecido também com o do Brutal Doom, mas não tem sniper, o seu altfire o recarrega;
  • Minigun – A Minigun tem uma boa taxa de tiro e precisão, mas demora um pouquinho pra começar a atirar;
  • Lança-Foguetes – O Rocket Launcher funciona mais ou menos dentro do esperado. Só tem que ser recarregado;
  • Lança-Granadas – Eficiente a curta distância mas imprestável contra inimigos voadores, como era de se esperar;
  • Rifle de Plasma – O Plasma Rifle tem o visual também do BD. O tiro primário não varia muito do que conhecemos, mas o altfire também serve para recarregá-lo;
  • Demon Tech Rifle – Este rifle parece que mistura tiros de escopeta com a taxa de tiro do Rifle de Plasma, só que atira um troço verde que parece ser alguma coisa de macumbeiro. Ele pode dar splash damage no protagonista;
  • Railgun – A Railgun tem um zoom útil para snipar e atira uns raios em linha reta que podem atravessar vários inimigos;
  • BFG 9000 – A BFG 9000 funciona praticamente do jeito da tradicional;
  • BFG 10K – A BFG 10K tem uma taxa de tiro mais rápida, parece hitscan e pode causar splash damage dependendo da distância;
  • Demon Tech BFG 10K – A BFG 10K incrementada com macumba tem o funcionamento parecido com a do Doom 2016. Também pode causar splash damage no protagonista se ele não ficar esperto;
  • MP40 – Pode dropar dos nazistas. Funciona tipo o Rifle de Assalto.

Compatibilidade

O Complex Doom rodou aqui, aparentemente de boa, no GZDoom (1.8.2, 2.4 e 3.2), Zandronum (2.0 e 3.0) e no ZDoom 2.8.1, com os IWADs do Doom II: Hell on Earth, The Ultimate Doom, Final Doom e de ambas as phases do Freedoom.

Dá pra jogar multiplayer, mas precisa de um patch pro Rifle de Plasma funcionar corretamente.  Tem tudo no pacote para download que estamos disponibilizando neste post.

Saiba Mais

site ou autor do arquivo Daedalus tamanho do arquivo 54,34MB licencaGrátis Download

Zerando o Street Fighter Mugen

2 de novembro de 2017
Zerando o Street Fighter Mugen

Este vídeo mostra o Street Fighter Mugen sendo zerado pelo Facínora que estava controlando o Evil Ken. Pra quem não conhece, este game é um remake do Street Fighter feito pelo MUGEN9s (Rurmel Miah) que combina 40 personagens e 29 cenários baseados na franquia (Street Fighter II, Super Street Fighter II, Street Fighter Alpha, Street Fighter III etc.)

Além de mostrar o gameplay do game no modo Arcade, serve também para você tirar umas dicas e estratégias, de bobeira, para você implementar nas suas partidas.

O link para download e mais informações sobre o Street Fighter Mugen está na sua publicação!

O Facínora resolveu fazer este vídeo depois de apresentar o game no nono episódio da Fan Gaming Room, a nossa série de vídeos sobre fangames em geral ou certos títulos independentes, e perceber que o jogo é tão divertido que merecia ser jogado e gravado até o fim.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

The Super Spy

31 de outubro de 2017
The Super Spy

The Super Spy (ザ・スーパー・スパイ)é um jogo dos primórdios do Neo Geo, onde o jogador encarna um agente secreto que deve se infiltrar em um esconderijo cheio de terroristas e derrotar todos os bandidos. Lançado em 8 de outubro de 1990 pela SNK, The Super Spy combina tiro em primeira pessoa, beat ’em up e elementos de RPG.

O jogo foi lançado originalmente para os fliperamas e só foi portado para o Neo Geo (1991), o Neo Geo CD (1994) e Wii (2012).

Em 2017, o usuário do fórum do ZDoom willkuer apresentou o seu projeto Super Spy Doom, um mod inspirado no The Super Spy e em filmes de ação antigos para o Doom.

Screenshots

As screenshots acima foram tiradas da versão de arcade do The Super Spy e foram ampliadas. A resolução original desta versão do game é  Raster 320 x 224.

Vídeo

O vídeo acima foi feito pelo canal Defenestrando Jogos e, como de costume, mostra bem o gameplay e traz algumas informações e curiosidades sobre o game que foram usadas neste post.

Enredo

O enredo gira em torno de Roy Heart, um agente da CIA que precisa percorrer andares de escritórios e armazéns para acabar com o Zolge King, um grupo de terroristas responsável pelos horríveis assassinatos de milhares de pessoas num atentado com bombas no metrô. O Sr. Heart é enviado até a um arranha-céus que foi dominado pelos terroristas e está sendo usado como fábrica de bombas para limpar a área e achar os responsáveis pelo atentado, e começa a abrir caminho na base da bala e da porrada.

Gameplay

Como dissemos, o The Super Spy mistura elementos de vários gêneros, como luta, FPS e RPG. A movimentação no jogo é feita basicamente através de ataques e apenas avançando ou retrocedendo nos corredores. O jogador também pode desviar, fazer o strafe, inclinar, se defender e só pode avançar depois que todos os inimigos do campo de visão forem eliminados.

Ocasionalmente, o jogador pode avançar para os quartos para salvar reféns ou emboscar os inimigos. Salvar reféns recupera energia, pode reparar ou fazer upgrades no equipamento etc. O protagonista também pode ganhar experiência matando os inimigos, o que pode lhe fazer avançar níveis e aumentar seu poder de ataque.

O sistema de combate melee parece com o Mike Tyson’s Punch-Out!! e o jogador conta quatro tipos de ataque: socar, chutar, faquinha (que perde poder e fica enferrujada com o uso) e pistola (com munição limitada). Como dissemos, estes ataques podem receber upgrades. Por exemplo, alguns reféns podem garantir uma metralhadora semiautomática. As armas de fogo também podem ser usadas para explodir vários materiais explosivos e infligir dano aos inimigos.

Os inimigos consistem principalmente de homens mascarados, ninjas e pistoleiros que se tornam mais fortes à medida que o jogador progride pelos níveis. Eles vão sendo variados com palette swap. Existem sub-chefes como engenheiros, cientistas e uns bombados. Para terminar o jogo, ambos os chefes da primeira missão devem ser eliminados e todos os seis na segunda missão.

Curiosidades

  • O game é um dos 12 primeiros jogos a serem lançados pela SNK para seu então novo console, o Neo Geo AES e para o sistema de arcade MVS. Além de Super Spy também saíram jogos como Magician Lord, NAM-1975, Ninja Combat, Riding Hero, Cyber Lip, Baseball Stars Professional, Puzzled e um jogo de Mahjong;
  • The Super Spy usa um esquema similar ao Crossed Swords, porém este é mais focado no RPG e hack & slash, ao invés de tiro e luta.
  • O líder dos terroristas, o King, tem um leve Semelhança com Geese Howard quando este vilão veste seus ternos em Fatal Fury e The King of Fighters, outros games da SNK.

Saiba Mais

  • Super Spy Doom – Um mod para (GZ)Doom que usa gráficos e elementos do The Super Spy misturado com tiradas típicas de filmes de ação consagrados.

Aliens

30 de outubro de 2017
Aliens

Aliens é um jogo de tiro desenvolvido e lançado pela Konami em março de 1990 pros fliperamas. Embora tenha sido um jogo bem recebido por boa parte da crítica, e não ser nenhum título objetivamente ruim, este shoot ’em up/run and gun de rolagem horizontal nunca foi portado para nenhuma outra plataforma.

O game é baseado no excelente filme Aliens, O Resgate (Aliens), de 1986, e é considerado razoavelmente fiel ao original em termos de enredo, embora contenha alguns elementos que não estão presentes na obra cinematográfica.

Screenshots

As screenshots acima foram ampliadas. A resolução do Aliens é menor.

Vídeo

Abaixo temos o Aliens sendo defenestrado e narrado pelo canal Defenestrando Jogos e, como sempre, apresenta muitas informações e curiosidades interessantes. Uma das fontes para montarmos esta publicação foi este vídeo.

Enredo

57 anos se passaram desde que Ellen Ripley fugiu da sua nave em uma cápsula de fuga, quando esta foi invadida por uma criatura alienígena que matou todos os seus companheiros. Ela foi encontrada vagando pela galáxia e seus relatos não foram muito bem aceitos pela Corporação Weyland-Yutani, que, no passado, havia lhe contratado. Descobrindo que o planeta de onde a criatura surgiu foi colonizado, Ripley e uma equipe formada por fuzileiros espaciais, não tão durões como o Doomguy (pro azar deles), vão se deparar com uma terrível revelação. A ação do jogo começa quando a única sobrevivente da colônia, Newt, é levada pelos Aliens, e isto corresponde aos 20 ou 25 minutos finais do filme. Ripley e o Cabo Hicks correm para salvá-la a qualquer custo, antes que a explosão iminente do planeta aconteça.

Gameplay

Aliens é um jogo de tiro com elementos de shoot ’em up e run and gun e rolagem lateral, como dissemos. No game, o(s) jogador(es) tem que se defender de hordas de alienígenas hostis e brutais e podendo se movimentar em oito direções, parecendo um pouco também com um beat ’em up. Em algumas partes do game, a perspectiva e o gameplay muda para algo tipo rail shooter.

Os jogadores podem escolher controlar a Ripley ou Hicks e começam com uma smartgun, podendo pegar armas melhores como lança-chamas, mísseis ou lança-granadas na medida em que vão progredindo. Eles começam com vários pontos de saúde que são perdidos na medida que são atacados pelos aliens. Se todos estes pontos acabam, o jogador perde uma vida.

Cada fase contém um chefão no seu final e os jogadores terão que vencê-lo para proceder para a próxima etapa do game.

Versão japonesa do Aliens

A versão japonesa do Aliens é muito diferente das versões de outros países:

  • Ambos os níveis de condução da APC foram totalmente apagados;
  • O resgate de Newt foi totalmente retirado;
  • Muitos dos alienígenas, zumbis e chefões podem ser mortos com poucos tiros;
  • Armas especiais e bombas aparecem muito mais frequentemente, dropando do céu em intervalos regulares para os jogadores usarem;
  • Se um jogador estiver carregando uma arma que já está com power-up, o próximo drop é uma vida extra.

Curiosidades

  • Um gabinete de Aliens é visto no jogo The Simpsons. No entanto, é revelado que um Xenomorph que afugenta um Mutante do Espaço (a franquia de filmes recorrente na série de TV) é a Marge Simpson dentro da fantasia;
  • Michael Jackson possuía uma máquina deste jogo que foi vendida no leilão oficial do cantor em 24 de abril de 2009, quando ele já estava falindo.

Saiba Mais

  • Aliens no Arcade Museum – Com mais informações, download do manual do Aliens em PDF, screenshots e fotos do gabinete etc. Em inglês.

Defenestrando Pocket Gal 2 (1989)

29 de outubro de 2017
Defenestrando Pocket Gal 2 (1989)

Defenestrando Pocket Gal 2 é mais um vídeo da série Fliperama Nostálgico, do canal Defenestrando Jogos, que mostra o gameplay deste antigo game de arcade, além de curiosidades e outras informações interessantes sobre o mesmo.

Estamos adicionando o vídeo aqui hoje, como o de costume, para te dar alguma opção decente de algo para assistir no domingo, visto que só passa porcaria na televisão. Também, muitas dos dados apresentados neste post foram extraídos do mesmo.

Pocket Gal 2, ou apenas Pocket Gal (versão japonesa), é um jogo de bilhar desenvolvido e lançado pela Data East em dezembro de 1987 para os fliperamas. Também conhecido como Super Pool III, Pocket Gal é o primeiro game do spin off da série Side Pocket, também da Data East, sendo sucedido pelo Pocket Gal Deluxe, de 1992. Ele também conta com um bootleg que foi feito pelo “Yada Oriente”.

Enredo

O jogo não possui uma história oficial, até onde se sabe, mas seu enredo parece ter saído de algum filme do Cine Privê: um craque na sinuca sai pelos bares na noite desafiando lindas mulheres e realizando apostas para vê-las peladas. Apesar da temática, a nudez é bem cartunesca, especialmente para os padrões de hoje em dia.

Gameplay

Trata-se de um jogo de bilhar com quatro fases, cada um representado por uma mulher diferente. Se o jogador conseguir uma pontuação estabelecida no começo de cada partida, a oponente tira a roupa e ele passa para a próxima fase.

O game pode ser jogado por dois jogadores e as partidas são vencidas na base do melhor de 3.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Shorty Covers

28 de outubro de 2017
Shorty Covers

Shorty Covers é mais um jogo da série de games online Sift Heads. Neste shooter, Vinnie vai precisar da ajuda da Shorty, sua sensual namorada que vai usar o seu rifle sniper para detonar os inimigos.

Dê uma conferida nas situações e pique bala em todo mundo que cruzar no caminho do Vinnie.

Controlse

  • Use o mouse para mirar e atirar.
  • Use W e S para usar o zoom do sniper.
  • Use a barra de espaço para recarregar.

Clique Aqui Para Jogar

Street Fighter Mugen

27 de outubro de 2017

Street Fighter Mugen

Street Fighter Mugen é um fangame/remake do Street Fighter desenvolvido pelo MUGEN9s (Rurmel Miah). Contando com os melhores lutadores da franquia, segundo o autor, Street Fighter Mugen trata-se de mais uma boa compilação de personagens da popular engine M.U.G.E.N. que já ficou bem famosa e procurada na Internet.

No caso, são 40 personagens tirados de várias versões e sequências de antológicos games como Street Fighter II, Super Street Fighter II, Street Fighter Alpha, Street Fighter III etc. O autor afirma que o game conta também com 29 cenários inspirados nestes e em outros games famosos de luta.

Conta com 9 modos diferentes de jogo, incluindo “Arcade” e”Time”, além de jogabilidade, diversão, gráficos e efeitos sonoros bem semelhantes aos destes clássicos dos games de luta 2D. Isto tudo faz com que o Street Fighter Mugen seja uma excelente opção de jogo independente para baixar e experimentar. E ainda tem o fato de ele ser totalmente gratuito, para incentivar mais ainda…

Screenshots

Vídeos

O vídeo abaixo foi gravado e narrado pelo Facínora para a nossa série de vídeos Fan Gaming Room, que trata sobre fangames ou jogos independentes. Assista um pouco do gameplay do Street Fighter Mugen e algumas considerações sobre o game:

O próximo vídeo é o longplay do Street Fighter Mugen (zerado até o fim), onde o Facínora jogou com o Evil Ken:

Já o vídeo a seguir é o trailer do Street Fighter Mugen feito pelo próprio criador do game:

Controles

Jogador 1

  • Q: Soco fraco
  • W: Soco médio
  • E: Soco forte
  • A: Chute fraco
  • S: Chute médio
  • D: Chute forte
  • Setinhas fazem o papel do direcional (pular, agachar, frente, trás)

Jogador 2

  • Y: Soco fraco
  • U: Soco médio
  • I: Soco forte
  • H: Chute fraco
  • J: Chute médio
  • K: Chute forte
  • P: Pular
  • Ç ou ;: Abaixar
  • L: esquerda ou defesa
  • ~ ou “: direita ou defesa

Os controles podem ser reconfigurados in-game.

Saiba Mais

  • Como jogar em janela: simplesmente aperte alt+enter simultaneamente. Caso não funcione, abra a pasta “Data“, edite o arquivo MUGEN.CFG com o Bloco de Notas e procure a sessão [Video Win], depois edite a linha DXmode = fullscreen para DXmode = Windowed. Salve, e carregue o jogo novamente.
  • Atenção: o jogo funciona no Windows 7, mas o Douglaseagle observou que convém evitar o uso de ALT+TAB ou apertar muitas teclas juntas, para não travar o game.
  • Site oficial do desenvolvedor, com seus outros projetos e mais informações sobre o Street Fighter Mugen. Em inglês.
site ou autor do arquivo MUGEN9s tamanho do arquivo 197,9MB licencaGrátis sistemas operacionais compativeisWindows XP/Vista/7 Download
Página 5 de 205« Primeira...23456789...20...Última »
  • Seja social e nos siga!

           
  • Páginas

  • Tags Especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2018 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.