Principais Atualizações

Angry Cows

5 de dezembro de 2018

Angry CowsAngry Cows foi mais uma tentativa de copiar e pegar o vácuo do sucesso do Angry Birds, resultando num jogo em Flash onde sua missão é nada mais que causar a destruição e trazer o caos! Derrube barris ou simplesmente os exploda para longe ao arremessar uma frota de super poderosas e irritadas vacas!

Angry Cows apresenta-se como um jogo para pessoas que estão buscando desafios e se divertir com isto, misturando quebra-cabeça, tiro e ação, bem na linha de Angry Birds ou Crush the Castle mesmo.

Controles

  • O mouse faz tudo neste jogo.

Experimente também

Clique Aqui Para Jogar

Ghouls’n Ghosts

4 de dezembro de 2018
Ghouls’n Ghosts

Ghouls’n Ghosts (大魔界村) é um jogo de plataforma com rolagem lateral desenvolvido e lançado pela Capcom em dezembro de 1988 para os arcades japoneses, sendo posteriormente portado para várias outras plataformas. É a sequência do icônico Ghost ‘n Goblins, apresentando gráficos substancialmente superiores aos deste seu predecessor de 1985, um nível de design excelente e altamente imaginativo e inimigos bem animados, tudo combinado em uma agradável e intrigante atmosfera gótica.

Sucesso financeiro e de críticas, o Ghouls’n Ghosts é o segundo game da icônica série Ghost ‘n Goblins, sendo seguido do Super Ghouls’n Ghosts (1991), Maximo – Ghosts to Glory (2002), Maximo vs. Army of Zin (2004) e Ultimate Ghosts’n Goblins (2006). Além disto, ele também ganhou versões para diversos outros sistemas, o que não era mais do que justo para um jogo extremamente popular e divertido.

Enredo

Três anos depois da sua primeira aventura, Arthur, o cavaleiro, mais uma vez encontra-se lutando contra as criaturas horrendas do Mundo dos Demônios. Mas, desta vez, os demônios assassinaram todas as pessoas do reino, inclusive a amada de Arthur, Gunievere. Todas as suas almas destas pessoas estão em posse do rei dos demônios, Lúcifer. Arthur, então, embarca em mais uma jornada para destruir os invasores demoníacos e salvar a alma de todos que pereceram.

Vídeo

Acima, temos o playthrough do clássico Ghouls’n Ghosts sendo defenestrado em mais um Fliperama Nostálgico do canal Defenestrando Jogos. O vídeo compartilha várias informações e curiosidades que usamos para construir este post.

Gameplay

O gameplay do Ghouls’n Ghosts é muito semelhante ao do Ghosts’n Goblins, com seu clássico esquema run and gun consagrado permanecendo intacto, mas com a possibilidade de se atirar para cima e para baixo durante os saltos. A principal diferença é que aqui Arthur tem acesso a diversos novos power-ups para ajudá-lo em sua busca, como a Golden Armor, uma armadura que habilita Arthur a usar uma poderosa magia dependendo da arma que estiver em punho.

Ghouls’n Ghosts é ainda mais difícil do que o seu antecessor, um game já reconhecidamente imperdoável. Nele, o protagonista deve avançar através de uma série de níveis assustadores e derrotar um número de criaturas demoníacas e mortas-vivas.

Ao longo do caminho, Arthur pode recolher uma variedade de armas e armaduras para ajudá-lo em sua missão. Saltando em certos pontos, os jogadores podem fazer com que um baú do tesouro surja no mapa, que, ao receber tiros do herói, podem dropar armamentos, armaduras de ouro ou um mago maligno que transforma Arthur em um homem idoso ou em um pato indefeso.

Fases

Existem cinco fases além da câmara de Lúcifer no final, completando um total de seis níveis. Para zerar o Ghouls’n Ghosts, Arthur deve completar as cinco primeiras duas vezes. Da primeira vez, Arthur é levado de volta ao nível 1 novamente, mas, desta vez, uma arma especial aparece durante o jogo que deve estar equipada para que Arthur possa entrar na câmara de Lúcifer, além de derrotar o chefe Fly final do nível 5. Depois de entrar na grande porta final, o jogador vai diretamente para a câmara do Rei dos Demônios.

Os nomes das fases são:

  1. The Haunted Graveyard (às vezes conhecido como Executioner’s Graveyard) e The Floating Island.
  2. Village of Decay e The Town On Fire.
  3. Baron Rankle’s Tower e The Horrible Faced Mountains.
  4. The Crystal Cave e The Icy Descent.
  5. Lucifer’s Castle Part 1 e Lucifer’s Castle Part 2.
  6. Lucifer’s Chamber.

Pontos

Skeleton Murderer: 100 pontos; The Magician: 100 pontos; Vulture: 200 pontos; Skull Flower: 100 pontos; Skull: 100 pontos; Tornado Weasel: 200 pontos; Giant Earthworm: 200 pontos; Pig Ogre: 500 pontos; Shielder (Level 1 boss): 5000 pontos; Rock Turtle: 200 pontos; Insect Goblin: 100 pontos; Red Arremer King: 500 pontos; Fire Bat: 100 pontos; Eyeball Plant: 500 pontos; Cerberus (Level 2 boss): 5000 pontos; Flying Goblin: 100 pontos; Mud Armor: 500 pontos; Blowfish Ghoul: 100 pontos; Gassuto (Level 3 boss): 5000 pontos; Tree Golem: 500 pontos; Armored Worm: 300 pontos; Goblin Hand: 300 pontos; Water Worm: 200 pontos; Hurricane Eye (small): 500 pontos; Ghoul Snake: 500 pontos; Ohme (Level 4 boss): 5000 pontos; Heart of Ohme: 100 pontos; Ohme Larva: 100 pontos; Dragon Skeleton: 200 pontos; Satan: 1, 000 pontos; Headless Golem: 1000 pontos; Beelzebub (Level 5 boss): 5000 pontos; Lucifer (Final boss): 10000 pontos

Citizen Doll: este item te dá 200 pontos extras.
Knight Doll: este item te dá 500 pontos extras.

Screenshots

As screenshots acima são da versão de fliperama do Ghouls’n Ghosts e foram ampliadas.

Curiosidades

  • Ghouls’n Ghosts foi originalmente lançado nos arcades japoneses com o nome de Daimakaimura;
  • Este título em japonês pode ser traduzido como “Great Demon World Village” ou “Grande Vila do Mundo dos Demônios”;
  • O Ghouls’n Ghosts ficou conhecido como o segundo jogo vídeo feito para o sistema CPS-1;
  • Foi lançada uma reedição de Daimakaimura apenas no Japão.

Ports

Como dito acima, o Ghouls’n Ghosts ganhou ports para várias plataformas, sendo levado para algumas delas como parte de coletâneas:

  • Master System (1989);
  • Mega Drive (1989);
  • Atari ST (1989);
  • Commodore 64 (1989);
  • CPC (1989);
  • SuperGrafx (1990);
  • Amiga (1990);
  • X68000 (22 de abril de 1994);
  • Saturn (1998, Capcom Generation 2: Dai 2 Shuu Makai to Kishi);
  • PlayStation (1998, Capcom Generation 2: Dai 2 Shuu Makai to Kishi e, em 2005, Capcom Retro Game Collection Vol.2);
  • Game Boy Advance (2004, Famicom Mini – Makai-Mura);
  • PlayStation 2 (2006, Capcom Classics Collection);
  • PSP (2006, Capcom Classics Collection);
  • Wii (27 de agosto de 2007, versão de Mega Drive e Capcom Classics Collection);
  • J2ME (2007);
  • PlayStation 3 (2013, Capcom Arcade Cabinet);
  • Android (18 de maio de 2017);
  • iPad (18 de maio de 2017);
  • iPhone (18 de maio de 2017);

Veja também

Burrito Bison Revenge

3 de dezembro de 2018
Burrito Bison Revenge

Burrito Bison Revenge é um jogo muito legal e viciante de arremesso (tipo Homerun In Berzerk Land) online onde o Burrito Bison está de volta para sair esmagando os ursinhos de chiclete, devendo ser lançado o mais longe o possível.

Trata-se, também, da épica sequência do excelente Burrito Bison que trás mais ursinhos de goma especiais, mais luta livre no ringue, mais portas para quebrar, mais poderes para fazer upgrade, mais dinheiro para roubar, muitos achievements e mais!

P.S.: É interessante este “universo” do Burrito Bison. Note o fundo, os objetivos, os especiais e o próprio tema do jogo… Parece que saiu daquelas historinhas do Louco, aquele personagem que aparece muito nas aventuras do Cebolinha!

Experimente também

Clique Aqui Para Jogar

Defenestrando Grind Stormer (1992)

2 de dezembro de 2018
Defenestrando Grind Stormer (1992)

Hoje, como é domingo, estou trazendo aqui para você um gameplay de jogo antigo, sendo o Grind Stormer a bola da vez. O vídeo foi produzido e comentado pelo canal Defenestrando Jogos como parte da sua série Fliperama Nostálgico, sendo bastante informativo e a principal fonte de dados deste post. O conteúdo começa na minutagem aos 10:26 do vídeo (foi exibido originalmente como uma live).

Grind Stormer, conhecido no Japão como V-Five, é um jogo de tiro estilo shoot ’em up desenvolvido e lançado pela Toaplan originalmente para os fliperamas em 1992, sendo posteriormente portado pela Tengen para o Mega Drive/Genesis em 1994. Grind Stormer conta com um enredo de ficção científica bem extravagante e foi bem recebido pela crítica em sua versão do Mega.

Enredo

No ano de 2210, foi finalmente a lançada máquina definitiva de fliperama: Grind Stormer. Este jogo de tiro é tão viciante que o governo designa um jovem para investigar o fenômeno a fim de questionar seu verdadeiro propósito e realizar o impossível: vencer o jogo.

Gameplay

Grind Stormer pode ser descrito como um agitado SHMUP onde a tela é constantemente lotada de inimigos e disparos, enquanto os jogadores contam com uma taxa de tiro constante e ilimitada e podem ser reforçados por power-ups que incluem mísseis, tiros teleguiados, escudos, velocidade adicional, poder extra e pontos de bônus.

Em Grind Stormer, a nave sempre se move em alta velocidade e o jogador pode coletar bombas que causam dano à tela inteira e afastam as balas. A edição V-Five usa uma abordagem parecida com a do Gradius, fazendo com que o jogador avance através de uma seleção de power-ups mostrados à direita, coletando tokens. No primeiro modo, os power-ups são aplicados imediatamente. No segundo modo, a nave é muito mais lenta e precisa-se decidir se gasta tokens com power-ups de velocidade imediatamente ou economizar para procurar munição ou poder adicional posteriormente.

A dificuldade do jogo e quantidade de vidas e continues podem ser definidos nas opções. Depois de usar um continue, o jogador recebe imediatamente um power-up “Especial”, concedendo quatro wingmen.

O Celso, no vídeo do gameplay acima, disse que, devido a ação frenética e a quantidade de disparos e inimigos da tela, o Grind Stormer pode ser considerado um dos pais do subgênero bullet hell.

Curiosidades

  • A versão japonesa, V-Five, é diferente pela maneira que se pega os itens diretamente, ao invés de passar por uma barra de power-ups;
  • Este seria o primeiro jogo de Ikeda Tsunemoto na Toaplan. Ele passou a se tornar um dos membros fundadores da Cave, aonde ainda trabalha como programador. Graças a ele, o fenômeno da “Danmaku”, as enormes barreiras de tiros vistas em Donpachi e tal surgiu.

Dicas e macetes

  • Função oculta: Se o dip switch Invulnerability estiver ativado, você se torna invencível, mas também pode-se pausar o jogo com o bocão de start do Jogador 2 e resetar e reiniciar com o botão de Start do Jogador 1.

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Santa Christmas Tailor

1 de dezembro de 2018
Santa Christmas Tailor

Santa Christmas Tailor é um joguinho de Natal adequado para meninas pequenas onde tem que ajudar o Papai Noel a se preparar para este Dia Santo, pegando as suas medidas e costurando uma roupa nova para ele!

Clique Aqui Para Jogar

Bud Spencer & Terence Hill – Slaps and Beans

30 de novembro de 2018
Bud Spencer & Terence Hill – Slaps and Beans

Bud Spencer & Terence Hill – Slaps and Beans é um jogo de luta baseado nos filmes de Bud Spencer e Terence Hill, mais conhecidos aqui no Brasil como Trinity [1], desenvolvido pela Trinity Team e lançado pela Buddy Productions em 15 de dezembro de 2017 no Steam. Trata-se de um beat ’em up com estilo retrô indie que combina jogabilidade de títulos do gênero do arcade com gráficos de jogos antigos de PC e que pode ser jogado por até duas pessoas no mesmo teclado.

O Slaps and Beans saiu inicialmente para Windows, Mac e SteamOS + Linux no Steam, mas depois ganhou ports (ou foi disponibilizado) também para o PlayStation 4, Switch e XBox One.

Enredo

Era para ser mais um trabalho comum para ganhar uma graninha, mas não seriam Bud e Terence se tudo acontecesse de acordo com o planejado. O dinheiro sumiu, a linda garota foi sequestrada e um monte de vilões aparecem com más intenções.

Vídeos

Acima, temos um review feito no improviso com as minhas primeiras impressões a respeito deste beat ’em up. É também o 14º episódio da nossa Fan Gaming Room., nossa série de vídeos a respeito de fangames e jogos independentes. Aliás, acho que o Slaps and Beans é as duas coisas…

O vídeo anterior é um jukebox com a trilha sonora oficial do jogo feito pelo INCA-Channel. Como tive que tirar a música no outro por causa de copyright, você pode dar uma curiada nela aqui.

Exibir spoiler: Mais vídeos

Gameplay

O game é, na maioria do tempo, um beat ’em up de rolagem lateral que pode ser jogado por uma ou duas pessoas de modo cooperativo, onde sempre tem os dois heróis na tela dando porrada nos inimigos, mesmo que um seja controlado pelo CPU. Nestas partes, os controles consistem em um direcional que se move em oito direções e 5 botões: ataque forte (que depende do medidor azul), ataque fraco, defesa, corrida e o que recolhe (itens ou inimigos) e interage. Dá para fazer uma combinação de golpes até certo nível, inclusive com os dois heróis batendo no mesmo inimigo ao mesmo tempo.

Eventualmente, o Slaps and Beans muda o gameplay com minigames que podem fugir totalmente do esquema beat ’em up, podendo variar desde simplesmente apertar os botões rapidamente ou acertar tiros nas horas certas até guiar um buggy em uma corrida top-down em uma pista extremamente derrapante ou um concurso de beber cerveja e comer salsicha.

Os inimigos variam bastante em aparência, mas não muito em comportamento. Tem sempre os capangas magrelões padrão que podem vir acompanhados ou não de uns gordões, bombados ou chefões em determinadas partes.

O Slaps and Beans tem 13 fases e começa no Velho Oeste, passando depois vai para outros cenários, como um estúdio de cinema, uma cidade dos anos 50, selva, numa fábrica, porto etc. Estas fases são subdivididas e, entre os grupos de inimigos que devem ser derrotados em cada tela, podem aparecer os minigames ou quebra-cabeças para os jogadores vencerem ou resolverem.

Review do Facínora

O Slaps and Beans é tem a jogabilidade muito boa, animações fluídas que lembram dos filmes, gráficos agradáveis que me lembram clássicos adventures do PC, uma boa dose de humor e uma trilha sonora interessante que remete aos filmes de faroeste espaguete. Entretanto, achei que peca em algumas coisas: controles, que respondem muito bem, mas são meio confusos pra configurar e jogar; muitos minigames que quebram o ritmo das partidas; e umas cenas de conversa que não chegam a ser cutscenes, mas não tem como pular.

Quanto aos controles, seria melhor adotar um esquema mais simples, similar aos beat ’em ups clássicos da Capcom, onde dois ou três botões bastam. É bobagem usar um separado para correr e outro para recolher pick-ups, como no caso do Slaps and Beans. Bastava usar o direcional duas vezes para correr e o de ataque simples para bater, recolher e arremessar, mesmo que perdesse um pouco o dinamismo das partidas. Outra coisa que é paia demais também é que, como na parte da corrida de bugres, o esquema de controle muda do nada.

Já os minigames e quebra-cabeças deveriam ser reduzidos. Entendo que pode ser interessantes para o povão pra evitar repetição, reproduzir cenas bem Bud Spencer e Terence Hill e aumentar o desafio (e alguns são bem difíceis), mas o tanto que o Slaps and Beans apresenta é desnecessário. Era preferível colocar mais diversidades de inimigos e armas do que colocar tantos minigames, ainda mais que alguns são chatos demais.

Agora, isto não é nada perto do fato que não dá para pular as cenas de diálogo e de introdução das fases totalmente, apenas acelerá-las. Se deu game over, o que acontece com frequência, vai ter que ficar esperando pra começar de novo, o que desanima de jogar. Em algumas partes, você retorna perto de onde morreu, mas, se não der sorte, vai ter que recomeçar a fase do início.

Felizmente, até porque eu comprei essa bicheira, o Slaps and Beans tem bem mais pontos positivos do que negativos, e diria que exceto pelos minigames, seria fácil de corrigir alguns do negativos com updates. Enfim, além dos pontos fortes que citei no início da resenha, some aí também o fato que o jogo reproduz muito bem o clima dos filmes, conta com bastante pancadaria e não tem politicamente correto. Ou seja, é o Trinity purinho.

Screenshots

Curiosidades

  1. Embora uma porrada de filmes do Bud Spencer (requiescat in pace) e Terence Hill tenham sido lançados aqui no Brasil como Trinity, apenas o Trinity é o Meu Nome (1970) e o Trinity Ainda é Meu Nome (1971) fazem parte da mesma série. Ambos filmes de faroeste espaguete fizeram um tremendo sucesso e são considerados até hoje como grandes obras do cinema italiano.

Dicas e macetes

  • Na fase da Corrida (Race), procure decorar mais ou menos como é a pista para fazer as curvas nas horas certas e, principalmente, pegar os atalhos para cortar caminho. Dá pra passar na frente de vários oponentes assim e não tem penalty time, não perde volta como no Death Rally e nem o reloginho do demo como no Skunny Kart. Outra coisa que é interessante também é pegar a manha de fazer as curvas no drift, sem precisar de desacelerar muito, mas também sem colidir nos limites da pista.
  • Para vencer o chefão manja rola da fase do Parque de Diversões (Amusement Park), aquele que fica com perna de pau, basta usar o Bud Spencer para dar um soco no foguete de brinquedo (canto esquerdo inferior da área) de modo a acertar a cabeça do inimigo, que perder energia e cair, ficando indefeso por alguns instantes. Daí, você pode enfiar a porrada nele por um tempo antes que ele se levante. O Terence Hill não consegue dar o soco com a mesma força do Bud, mas ele deve ficar procurando o foguete para colocar no brinquedo de novo. Não deixe de matar os capangas para dropar a birita e recuperar energia que o chefão te arranca quando te pega desprevenido.

Saiba mais

site ou autor do arquivo Trinity Team tamanho do arquivo R$ 37,99 sistemas operacionais compativeisWindows, Mac OS X e SteamOS + Linux download link Download

Super Sergeant Shooter [Versão WAD]

28 de novembro de 2018
Super Sergeant Shooter [Versão WAD]

Super Sergeant Shooter é uma série de FPS em Flash criada por brvasil onde um super sargento tem que atravessar várias fases eliminando mercenários inimigos que invadiram um armazém abandonado.

Acontece que estes jogos são conversões do Doom para Flash que, com um pouco de gambiarra, podem funcionar perfeitamente nos ports avançados, quiçá no executável original. Resolvi, então, reunir os mapas do Super Sergeant Shooter 1 e seu Level Pack em um WAD, mantendo todos os seus sprites, texturas e efeitos sonoros, e fazendo também pequenos ajustes para melhorar a estética e a interface do mod.

Enfim, ficou até bem divertida esta brincadeira, além de ser uma forma de preservar estes jogos diante do inevitável fato que o Flash é uma plataforma condenada. Este PWAD também pode servir de base para outros trabalhos mais incrementados. Quem sabe?

Vídeo

No vídeo acima, fiz um showcase no nosso estilo tradicional jogando a primeira parte apenas o PWAD do Super Sergeant Shooter. Na segunda, usei o Flakes Doom + Gambiarra + Colourful Hell + Bolognese Gore Mod e, na terceira e última, o Kriegsland.

Screenshots

Changelog

  • 2 de dezembro de 2018 – Adicionados os mapas do Super Sergeant Shooter 2 como segundo episódio do WAD, assim como os sprites do Shotgun Guy e do zumbi que fica no lugar do Pinky;
  • 28 de novembro de 2018 – Lançamento do mod.

Compatibilidade

Testei brevemente o PWAD aqui no GZDoom (1.8.2, 2.4.0 e 3.6.0), Zandronum 3.0 e no ZDoom 2.8.1, com os IWADs do The Ultimate Doom e da phase 1 do Freedoom. Funciona de boa com essas coisas todas. No Zandronum 2.0 ele pega, mas a animação de tiro da pistola padrão fica zuada.

Veja também

  1. Super Sergeant Shooter – O jogo original em formato Flash e online (para browsers).
  2. G55 – O site oficial do criador da série Super Sergeant Shooter, especializado em joguinhos para browser.
  3. Super Sergeant Shooter Level Pack – O pacote de mapas do Super Sergeant Shooter. Também em Flash.
site ou autor do arquivo Gaming Room tamanho do arquivo 2,7 MB licencaGrátis download link Download

Elona Shooter

26 de novembro de 2018

Elona ShooterElona Shooter é um jogo de tiro estilo defense muito bom, caótico e viciante desenvolvido em Flash baseado no RPG indie chamado Elona, do mesmo autor, contendo alguns elementos deste gênero.

Em Elona Shooter, você pode escolher entre oito classes de heróis, treinar skills, personalizar suas armas e desenvolver suas tropas, tudo a fim de sobreviver… Sobreviver! Isso porque, apesar desse jogo parecer todo bonitinho, ele é difícil pra caramba.

Se você procura um jogo desafiador com vários aspectos a serem desenvolvidos (upgrades de armas, variedade de monstros e ações e tal) Elona Shooter é um tiro, com o perdão do trocadilho, certo.

P.S.: Reparou que os personagens do game lembram muito charsets do RPG Maker?

Comandos

  • O mouse mira e atira.
  • A barra de espaço recarrega.
  • As teclas de 1 a 5 mudam de armas/usa itens.

Veja também

Clique Aqui Para Jogar

Defenestrando Undercover Cops (1992)

25 de novembro de 2018
Defenestrando Undercover Cops (1992)

Hoje, para você assistir aí de bobeira e não morrer de câncer com a programação televisiva, estamos trazendo o playthrough do Undercover Cops, em mais um vídeo comentado produzido pelo canal Defenestrando Jogos e parte do seu Fliperama Nostálgico. É bem informativo e descontraído e trouxe muitas informações que usamos para construir esta publicação nossa. Note que, como o vídeo foi exibido como uma live, demora um pouco para ter conteúdo, o qual começa na minutagem 6:49 do mesmo.

Undercover Cops (アンダーカバーコップス) é um beat ’em up desenvolvido e lançado pela Irem em julho de 1992, originalmente para os fliperamas. Nele, os jogadores controlam os “city sweepers”, um grupo de agentes que atuam contra vagabundos numa Nova Iorque do ano 2043. O jogo é notável pelos seus backgrounds altamente detalhados e pela ambientação de futuro distópico, apresentando também alguns elementos gory, como esqueletos sendo bicados por corvos e um compactador de lixo que esmaga os protagonistas.

Undercover Cops foi a primeira tentativa da Irem de criar um jogo de luta nos moldes do altamente popular Fight Fight, o título da Capcom considerados por algum o responsável por modernizar o gênero beat ’em up. O jogo ganhou ports apenas para Super Famicom (1995), Windows (2011), Macintosh (2011) e Desura (2013). Além disto, o Game Boy recebeu um spin off chamado Undercover Cops: Hakaishin Garumaa e uma translação mais acurada para o ocidente chamada Undercover Cops Alpha que mantém-se mais fiel à versão original de arcade (veja nas curiosidades).

Enredo

É o ano de 2043 e o Dr. Clayborn e seus capangas tomam cada vez mais controle da cidade. O Comissário Gordon (não o do Batman) fez um último pedido de ajuda e chamou três dos melhores city sweepers, os policiais disfarçados de Nova York: Bubba, um ex-jogador profissional de futebol; Flame, uma ex-Miss América; e Claude, um mestre de Karatê e professor de filosofia aposentado. Eles devem vencer os os capangas e lacaios do Dr. Clayborn a fim de restaurar a lei e a ordem na cidade.

Gameplay

Undercover Cops pode ser descrito em poucas linhas como um em beat ’em up de rolagem horizontal extremamente divertido onde quase tudo, exceto as armas dos inimigos (como no Vendetta), pode ser usado pelos protagonistas para ajudar a meter porrada: peixes, rochas, vigas de aço, barris de óleo e até carros. Outro ponto que merece destaque é que, apesar de ser inspirado no Final Fight, os inimigos não são apenas variações do nóia comum de rua, podendo vir também toupeiras estranhas e mutantes com jetpacks pra te atacar.

O jogo conta com cinco fases, onde serão enfrentados grande quantidade de inimigos, devendo também os heróis derrotarem o chefão no final de cada uma delas. Undercover Cops é um game multiplayer onde até três pessoas podem jogar simultaneamente (na versão original de fliperama), e cada um dos personagens podem usar chutes e socos padrões, além de um golpe especial que é mais poderoso mas consome energia.

Para recuperar energia, aliás, os jogadores podem comer ratos, sapos, pássaros e cobras (no bom sentido, é claro), algo que foi aproveitado na série Metal Slug como elemento de humor.

Curiosidades

  • O carro de policia que aparece no final de Undercover Cops lembra muito o veículo do Moon Patrol, um antigo e popular jogo da Irem de sua época;
  • Sobre os itens que parecem uma pequena TV vermelha, tem uma foto do chefe da Fase 1 do R-Type;
  • Uma versão norte-americana do jogo para o Super NES foi planejada, mas nunca foi lançada de fato;
  • Undercover Cops foi um dos 18 jogos de fliperama da compilação Irem Arcade Hits, lançada em 12 de setembro de 2011 para Macintosh, o port que citei acima;
  • Devido ao seu relativo sucesso no Japão, o Undercover Cops ganhou seu próprio mangá de Waita Uziga que teve dois números publicados pela Shinseisha em 1993 e 1995;
  • Existem grandes diferenças entre a versão original de arcade japonesa e a do resto do mundo. A versão japonesa contém músicas diferentes, mais golpes, arte e detalhes em geral, além de melhores gráficos. Os nomes dos heróis também foram trocados: Zan Takahara (Claude), Matt Gables (Bubba) e Rosa Felmond (Flame);
  • A versão norte-americana não contém um golpe da Rosa (Dois toques para frente + pulo + ataque).

Clique Aqui Para Assistir Ao Vídeo

Brutal Defender

24 de novembro de 2018
Brutal Defender

Brutal Defender é um maneiro e sanguinolento jogo de tiro em primeira pessoa para browsers cheio de armas e brutalidade. Use o seu grande arsenal de armas para detonar todas as forças inimigas.

Prepare-se para a extrema violência!

Controles

  • WASD: Movimentar
  • Mouse: Mira e atira
  • Rodinha do Mouse: Troca de armas
  • R: Recarregar
  • Barra de Espaço: Saltar
  • Shift: Correr
  • CTRL: Agachar
  • T: Bullet time

Clique Aqui Para Jogar

  • Inscreva-se na nossa newsletter!

  • Nos siga nas redes sociais!

  • Páginas

  • Áreas especiais

  • Categorias

  • Parceiros

  • eXTReMe Tracker
    Copyright © 2001 - 2018 Gaming Room. Todos os Direitos Reservados - É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste site sem o consentimento dos autores.